F1

Verstappen vê empurrão em Ocon como “resposta bem calma” e afirma: “Poderia ter sido muito pior”

Max Verstappen afirmou que se irritou em Interlagos por não ter recebido um pedido de desculpas, mas avaliou que o empurrão em Esteban Ocon foi “uma resposta bem calma”. O piloto da Red Bull frisou que estava “realmente calmo” no momento, ou “poderia ter sido muito pior”
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Câmeras flagram empurrões de Verstappen em Ocon após o GP do Brasil (Foto: Reprodução)
Max Verstappen considera que o empurrão que deu em Esteban Ocon em Interlagos foi “uma resposta bem calma”. O piloto da Red Bull contou que se irritou por não ter recebido um pedido de desculpas do rival da Force India.
 
No GP do Brasil, o francês acertou a roda traseira direita da Red Bull de Max na saída do S do Senna, fazendo o #33 rodar enquanto liderava a prova e tinha chances reais de vencer. Ao fim da corrida, Verstappen não se conteve e empurrou três vezes o ex-rival dos tempos de F3 Europeia.
 
Nesta quinta-feira (22), durante uma coletiva de imprensa em Abu Dhabi, Verstappen contou que se irritou por não ter recebido um pedido de desculpas, mas considerou que teve uma “resposta bem calma”.
Verstappen empurra Ocon depois do GP do Brasil: agressão aconteceu no parque fechado (Foto: Reprodução TV)
Questionado sobre o que motivou a agressão ao fim da corrida, Verstappen disse que não gostou da postura de Ocon.
 
“Eu queria um pedido de desculpas e tive uma resposta um pouco diferente”, disse Verstappen. “Nós todos somos emotivos e, naquele momento, eu perdi a vitória, então acho que, do meu lado, eu estava realmente calmo, poderia ter sido muito pior”, avaliou.
 
“Acho que empurrar… isso acontece em qualquer esporte. Na verdade, eu vi de novo no futebol há alguns dias. Então, do meu lado, acho que foi uma resposta bem calma”, defendeu. “O que você espera que eu faça? Aperte a mão dele e diga muito obrigado por ser segundo ao invés de primeiro?”, questionou.
 
“Acho que é uma resposta bem normal, mas, ok, recebi meus dois dias [de serviços comunitários] com a FIA, que ainda vamos descobrir o que vamos fazer”, comentou. “Vocês realmente não ouvem o que estava sendo dito, o que estava sendo dito na balança, vocês só me veem empurrar. Mas se vocês entenderem toda a conversa, acho que isso seria diferente”, considerou. 
 
Perguntado, então, sobre o que foi dito, Verstappen recuou: “No fim das contas, não importa o que foi”.
 
“Claramente me irritou, ao invés de um pedido direto de desculpas”, repreendeu. “Depois da corrida, você ainda está com adrenalina no corpo, você talvez não receba a resposta certa, mas não somos robôs, temos emoções e seremos sempre assim, a menos que coloquem robôs nos carros, mas acho que não querem isso”, concluiu.