Vettel até tenta defender, mas reconhece que Ferrari “não pode se orgulhar” da temporada 2016 na F1

Sebastian Vettel saiu em defesa da Ferrari e disse que muitas vezes a equipe é criticada injustamente. Mas, ao falar da temporada e dos objetivos não atingidos em 2016, o tetracampeão admitiu que a esquadra italiana não pode mesmo estar orgulhosa de sua performance

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Sebastian Vettel fez uma análise da temporada 2016 da F1 e admitiu que a Ferrari "não pode se orgulhar" do campeonato que disputou neste ano, especialmente por ter ficado fora da briga pelo título. Ainda assim, o alemão acredita que a equipe italiana é mais forte do que os resultados obtidos sugerem.

 
A esquadra de Maranello começou o ano com a expectativa de entrar em uma briga mais forte com a Mercedes, mas o desempenho após as primeiras etapas mostrou que o objetivo era demasiado otimista. A verdade é que a Ferrari não evoluiu como prometeu e ainda viu a Red Bull crescer vertiginosamente, a ponto de tomar a segunda colocação no Mundial de Construtores.
 
Até o momento, o time vermelho não venceu ainda, ao contrário das três vitórias em 2015, e segue em terceiro na tabela, a 71 pontos da equipe austríaca. Vettel aparece em quarto na classificação entre os pilotos, enquanto Kimi Räikkönen é o sexto.
Sebastian Vettel chega a Abu Dhabi para a última corrida de 2016 na F1 (Foto: Ferrari)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

"Em resumo, acho que o carro representou um passo à frente na comparação com o ano passado", afirmou o tetracampeão aos jornalistas, nesta quinta-feira (24), em Abu Dhabi, onde a F1 está para a corrida final do campeonato.

 
"Acho que o nosso desempenho foi realmente melhor do que os resultados vêm mostrando, mas as circunstâncias nem sempre foram as melhores. No entanto, não podemos estar orgulhosos deste ano, porque começamos a temporada querendo lutar pelo título e não conseguimos isso, então essa é a meta para o próximo ano", completou.
 
"Será um desafio enorme para todas as equipes, incluindo a nossa, preparar os carros para 2017 com tantas mudanças, mas é para isso que estamos aqui", acrescentou o piloto de 29 anos.

Apesar da dura temporada vivida neste ano, Sebastian acha que a Ferrari vem sendo injustamente criticada. "Acho que o ponto mais forte é que temos a experiência. Muitas vezes somos criticados, mas eu não acho que isso seja justo, estamos trabalhando muito, somos pessoas bastante comprometidas."

 
Sobre o fim de semana derradeiro do campeonato, o alemão crê que o time italiano possa ter uma performance mais competitiva em Yas Marina. "Nós estamos aqui para lutar. Disse isso muitas vezes nesta temporada que as coisas não estavam como gostaríamos, mas estou aqui para brigar até o fim. Em geral, deve ser uma boa pista para nós. Não vejo por que não", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube