Vettel diminui tom após anúncio da Pirelli tirar culpa da Ferrari, mas mantém que explosão “não é aceitável”

Sebastian Vettel diminuiu as críticas e falou bem tranquilo sobre o resultado do estouro de seu pneu em Spa-Francorchamps após a investigação da Pirelli inocentar ele e a Ferrari de culpa. Mas voltou a afirmar que é inaceitável perder um pneu nesta altura e a esta velocidade sem qualquer aviso prévio

Após a Pirelli revelar, já em Monza, que a investigação mostrou efeitos externos "anormais" como a causa do estouro do pneu de Sebastian Vettel no final do GP da Bélgica, o piloto recuou um pouco nas críticas mais que contundentes que havia feito de cabeça quente após a prova, mas manteve um ponto de tudo que dissera: é inaceitável.
 
O resultado da investigação inocenta a Ferrari, já que a estratégia de uma parada apenas não causou danos estruturais no composto a ponto de forçar estouro. Na coletiva de imprensa oficial da FIA em Monza, Vettel foi perguntado sobre se agora que a Pirelli assumiu a culpa, o caso é aceitável.
 
"Acho que não é aceitável ter uma explosão nesse tipo de velocidade e do nada, acho que foi isso que eu falei depois da corrida. Então não tenho nada mais a dizer sobre, mas as investigações que foram realizadas explicam mais ou menos o que aconteceu, não tudo, elas ainda estão sendo realizadas", puxou a orelha.
Sebastian Vettel teve sorte com um pneu furado no fim da corrida em Spa-Francorchamps (Foto: AP)
"Como eu disse, o mais importante é que evoluamos. Do lado deles, está sendo cuidado da forma correta e com muito profissionalismo, então acho que está indo bem", seguiu.
 
"Algumas mudanças foram feitas, como na pressão dos pneus, por exemplo, que vamos ver como funciona. Essa, claro, é a reação de curto prazo. Ao longo prazo, precisamos entender melhor o que houve. É muito claro que todo mundo está tentando fazer seu melhor", garantiu. 

Além disso, o tetrcampeão pediu mais atenção com a segurança – não apenas neste caso específico, mas no geral. E falou que sempre esteve em contato com a Pirelli sobre a investigação. 

"Acho que eu tenho uma boa ideia, porque fui um dos dois a ter problemas com pneus na Bélgica, tive um bom insight do que estava acontecendo depois da corrida, com as análises, mais que Felipe e Daniel, não sei Nico. Mas a maneira como foi feita foi bem profissional, buscando resolver a situação. Fala-se de que os carros são mais rápidos que antes, mais seguros. Com certeza são mais seguros do que já foram, mas sempre há espaço para mais. Ainda acontecem acidentes e coisas podem acontecer. Então, acho que isso é mais importante do que qualquer comunicado de imprensa.

 
Depois, Sebastian seguiu cumprimentando a Pirelli pelo trabalho do passado.
 
"Tivemos um problema dois anos atrás que foi mudado e nunca mais houve. Então dá para se notar que todo mundo trata da melhor forma possível", seguiu.
 
O GP da Itália acontece neste final de semana, e o GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube