Vettel foca em felicidade na decisão sobre futuro: “Dinheiro estraga pessoas”

Sebastian Vettel vai pensar mais na felicidade e menos no dinheiro na definição dos próximos passos da carreira. O alemão segue negociando renovação com a Ferrari, mas já imaginando qual será o próximo passo quando deixar a F1 no futuro

Sebastian Vettel precisa decidir o futuro em 2020, ano em que o acordo vigente com a Ferrari na Fórmula 1 se encerra. Ganhando valor estimado acima dos 200 milhões de reais por ano, o alemão já ouviu da escuderia que um novo acordo deve incluir uma redução salarial. Só que isso não é necessariamente um problema para um piloto que parece se importar menos com valores na conta bancária e mais com sua própria felicidade.
 
Vettel não afirmou categoricamente o que vai fazer no futuro. Mesmo com as duas partes sinalizando interesse em uma renovação, resta a dúvida a respeito de o que o tetracampeão fará em um futuro mais distante. É aí que entra a felicidade, que serve de guia para os próximos passos.
 
“Tudo depende de o que é importante para você, o que te leva adiante, e isso é justo”, disse Vettel, entrevistado pelo ‘Motorsport.com’. “Se o dinheiro é seu motivador, você consegue ir muito longe e ter muito sucesso. Há muitos atletas e empresários que correm atrás de dinheiro. Acho que a verdadeira questão é se as pessoas têm noção de quanto é suficiente, e isso não é o caso só na F1. Nós colocamos nossa vida em risco, então é necessário que mostrem gratidão por isso. Nossas carreiras também são mais curtas do que outras. Acho que o que mais importa mesmo é estar feliz. Essa é a chave. Claro, a F1 é um circo, um circo mimado. Há muito dinheiro envolvido e isso estraga as pessoas. Acho que, na média, isso é verdade. O ponto é ter uma noção de quanto é suficiente”, ponderou.
Sebastian Vettel parafraseia Tim Maia: não quero dinheiro, quero felicidade (Foto: Ferrari)
Quando Vettel pensa no futuro, também é hora de pensar no próximo capítulo após a passagem pela F1. Hoje com 33 anos, o que o torna o terceiro mais velho no grid atual, Sebastian não sabe nem mesmo se vai seguir ligado ao automobilismo dentro de alguns anos.
 
“Sendo realista, não vou estar aqui [na F1] daqui 10 anos, então é natural que se pense nisso. Acho que estou em uma posição muito privilegiada e posso tentar fazer muitas coisas quando parar de correr na F1. Talvez correr em outro lugar, talvez fazer algo diferente no automobilismo, talvez algo completamente diferente fora disso. Tenho ideias, mas não decidi ainda”, encerrou.
 
Enquanto Vettel lida com uma negociação de contrato, o companheiro Charles Leclerc já tem acordo até 2024. 13 dos 20 pilotos no grid atual estão no último ano de contrato, o que abre diversas opções no mercado para 2021 e além.

 


 
Paddockast #54
NO ANO DA DANÇA DAS CADEIRAS, QUEM DEVE FICAR SEM CONTRATO?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 

☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube