Vettel lamenta separação entre Renault e Red Bull e lembra feitos da marca francesa: “Infelizmente se esquece rápido”

Sebastian Vettel não esqueceu as raízes e disse ser triste ver a separação após tantas brigas de Red Bull e Renault, mas fez questão de ressaltar que a montadora francesa, tão criticada nos últimos dois anos, fez muita coisa digna de nota positiva nos anos anteriores, especialmente de 2010 a 2013

Depois de um 2014 fora do prumo, Sebastian Vettel deixou a Red Bull e foi à Ferrari, onde vive um 2015 de sonhos. Mas a realidade que o tetracampeão mundial deixou para trás, essa segue bem parecida. No segundo ano de crise, Red Bull e Renault chegaram ao final da linha de uma parceria que rendeu oito títulos mundiais, entre Pilotos e Construtores. Parte ativa desta equação, Vettel lamentou.
 
Para Sebastian, a separação das parceiras que tanto êxito lograram nos últimos anos é triste. Especialmente quando ainda há toda uma série de feitos da Renault neste período recente que agora parecem esquecidos e fechados em algum porão da F1.
 
"Obviamente é triste. Fui parte da maior parte da parceria e tivemos anos de muito sucesso, o que agora infelizmente se esquece muito rápido por causa da situação", comentou o alemão.
Sebastian Vettel já foi muito feliz com a Renault e a Red Bull (Foto: Getty Images)
"A Renault fez um trabalho fantástico no passado. Nos forneceu um motor forte, com as técnicas mais novas que eu acredito serem mínimas para ser competitivo quando tivemos a era dos difusores soprados. Creio que a Renault foi provavelmente uma das melhores e mais avançadas. Há muita coisa que as pessoas agora tendem a esquecer que a Renault atingiu, mas espero que eles fiquem no esporte", avaliou.
 
Outro campeão mundial pela Renault também se manifestou de forma parecida. Fernando Alonso foi bicampeão em 2005 e 2006, saiu e voltou em 2008 para mais duas temporadas na última vez que a marca francesa operou uma escuderia própria. Pela história, espera que a construtora fique.
 
"É uma construtora muito grande com uma história muito grande na F1, então acho que se eles ficarem como um time oficial, ou algo do gênero, se decidirem que é o melhor para eles, creio que também é bom para a F1. A Renault está ligada à história desse esporte, então espero que eles fiquem", encerrou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube