VÍDEO: Como Hamilton foi da calma ao drama para vencer GP da Inglaterra com três pneus

Lewis Hamilton tinha encaminhada uma vitória que se desenhava como muito tranquila. Mas tudo mudou de forma dramática quando o hexacampeão já percorria a última volta em Silverstone. Com o pneu dianteiro esquerdo furado, o britânico se arrastou para a glória em casa

O desfecho do GP da Inglaterra de Fórmula 1, quarta etapa da temporada 2020 do Mundial, disputada neste domingo (2), ganhou contornos dramáticos. A corrida disputada em Silverstone vinha sendo realizada de maneira monotonia, com parcas batalhas por posição restritas ao pelotão intermediário até a volta 50. Mas tudo mudou drasticamente nos giros derradeiros e, por muito pouco, colocou uma vitória que parecia bem tranquila para Lewis Hamilton a perder.

O britânico liderou a corrida de ponta a ponta e caminhava para um triunfo fácil em Silverstone. Lewis em momento algum foi pressionado por Valtteri Bottas, até o momento em que o finlandês teve um dos pneus dianteiros furados, teve de ir para os boxes e despencou de segundo para 12º lugar, perdendo chances até de pontuar.

Outro que sofreu com pneu furado no fim foi Carlos Sainz, da McLaren, que aparecia numa sólida quinta colocação e ficou fora dos pontos de maneira inesperada. Segundos depois, Hamilton levava o carro rumo à vitória em Silverstone. Foi quando a cena mais dramática da corrida aconteceu.

O hexacampeão do mundo teve, na metade da volta, o pneu dianteiro esquerdo furado. Naquele momento, a vantagem de Hamilton para Max Verstappen, que era o segundo depois do revés de Bottas, era de 33s. Com muito cuidado e, como diria Galvão Bueno, ‘na ponta dos dedos’, o inglês da Mercedes conseguiu conduzir o carro no limite entre velocidade e a tocada perfeita para evitar que o pneu destruísse a suspensão e colocasse de vez a vitória pelos ares.

Deu tudo certo para Hamilton, que cruzou a linha de chegada com apenas três pneus inteiros e vantagem de 5s para Verstappen. Foi uma vitória para deixar o coração na boca, como disse o próprio piloto.

“Nas últimas voltas comecei a perder ritmo. Na volta final, [o pneu] estourou de vez. Fiquei ali com o coração na boca, quase não consegui fazer as duas últimas curvas”, declarou o líder do campeonato, com 88 pontos, contra 58 de Bottas e 52 de Verstappen.

“Até a última volta estava tranquilo, os pneus pareciam bem. O Valtteri fez uma corrida muito forte, eu estava cuidando dos pneus, achava que ele não estava, então, quando ele estourou um pneu, achei que não fosse acontecer comigo, que estivesse tudo bem. O carro estava normal, aí que começou, no finalzinho, a perder pressão. Acho que deveríamos ter parado”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube