Wehrlein revela que falta de experiência determinou perda de vaga na Mercedes: “Querem um piloto pronto”

Pascal Wehrlein teve chances de substituir Nico Rosberg na Mercedes, mas foi superado por Valtteri Bottas. O alemão revela que a pouca experiência na F1 – apenas um ano com a Manor – fez a diferença na decisão dos alemães

A pouca experiência na F1 foi determinante para os rumos da temporada 2017 de Pascal Wehrlein. O piloto que estava conformado com uma vaga na Sauber chegou a sonhar com uma chance na Mercedes quando Nico Rosberg se aposentou. Não deu: Valtteri Bottas levou a melhor e assinou com a equipe de Brackley. E, de acordo com Wehrlein, o que fez a diferença foi a falta de experiência.
 
“Ele [Toto Wolff, chefe da Mercedes] me disse que um ano de experiência não era suficiente. Isso ficou bem claro. Ele disse ‘nós achamos que seria melhor você ter mais experiência, no segundo ano os pilotos ainda estão progredindo bastante’. Acho que a Mercedes quer um piloto pronto e um piloto perfeito, que já alcançou seu máximo. Eu ainda não alcancei meu máximo por conta da experiência, e isso está bastante claro”, explicou.
Pascal Wehrlein (Foto: Sauber F1 Team)
Toda a experiência que Wehrlein tinha na F1 era uma temporada com a falida Manor, além de testes pontuais com Mercedes e Force India – equipe que também pensou em contratar Pascal, mas escolheu Esteban Ocon.
 
Mesmo depois de perder a melhor vaga da F1, Wehrlein não se abate. O alemão tomou cuidado para não pensar muito no mercado de pilotos, focando em outras tarefas.
 
“Eu sabia que era um dos candidatos, um dos possíveis pilotos, mas não foquei muito nisso. A decisão não era minha, então foquei no treinamento, nas coisas que eu podia melhorar para esse ano e esperei a decisão”, contou.
 
A temporada 2017 da F1 começa em 26 de março, com o GP da Austrália.
 
PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube