Drugovich dispara na frente e vence com autoridade corrida 2 da F2 em Barcelona

Felipe Drugovich deu aula na corrida complementar da Fórmula 2 em Barcelona. O brasileiro conseguiu andar com ritmo forte ao mesmo tempo em que controlou desgaste de pneus, combinação que rendeu o segundo triunfo no ano. Pedro Piquet foi sétimo e pontuou

Depois de uma corrida louca e disputada na abertura do fim de semana da Fórmula 2 em Barcelona, o domingo (16) trouxe algo muito diferente: o domínio total de Felipe Drugovich. O brasileiro assumiu a liderança ainda na largada, depois aliando ritmo forte com ótimo controle dos pneus para garantir a vitória com sobras.

Drugovich largou em segundo, consequência do grid invertido, e passou Luca Ghiotto nos primeiros metros. O brasileiro foi beneficiado por brigas do italiano com Callum Ilott, que custaram tempo aos dois. Na altura da linha de chegada, a vantagem era nada menos do que 9s5.

Ghiotto, também fazendo bom trabalho com os pneus, terminou em segundo. Mick Schumacher herdou o terceiro lugar nas voltas finais, tirando proveito do desgaste acentuado de Ilott, que caiu pelas tabelas. O quarto lugar coube a Yuki Tsunoda, com Nobuharu Matsushita e Nikita Mazepin logo atrás.

FELIPE DRUGOVICH; F2; BARCELONA;
Felipe Drugovich esteve imbatível na manhã de domingo em Barcelona (Foto: Dutch Photo Agency)

Pedro Piquet fez sua melhor corrida no ano e foi recompensado com os primeiros pontos de 2020. O brasileiro evitou desgaste de pneus e surgiu em sétimo. Ilott foi oitavo, tirando proveito de uma punição de 5s a Christian Lundgaard.

O resultado mantém Ilott na liderança do campeonato. São 121 pontos contra 103 de Shwartzman, ainda vice-líder. A briga pelo título começa a virar exclusividade dos dois, com o terceiro colocado Lundgaard estacionando em 87. Drugovich sobe para oitavo com 67, isso enquanto Piquet fica em 18° com os 2 de hoje.

Saiba como foi a corrida 2 da Fórmula 2 em Barcelona

A corrida, assim como a de 24 horas atrás, começou com o pole-position vacilando. Luca Ghiotto não reagiu tão rápido quanto devia ao apagar das luzes e viu Felipe Drugovich assumir a liderança com facilidade. O italiano ficou em segundo, isso enquanto Callum Ilott subiu para segundo. Mick Schumacher, Guanyu Zhou, Yuki Tsunoda, Nobuharu Matsushita e Robert Shwartzman fechavam a zona de pontos.

Com pista livre, Drugovich tratou de pisar tão fundo quanto possível. O brasileiro não teve dificuldades para abrir 3s de vantagem sobre Ghiotto em duas voltas. Era necessário, já que Ilott viria babando tão logo conseguisse subir para segundo.

Só que Ilott não conseguiu, pelo menos não logo de cara. O britânico foi surpreendido pelo ritmo mais forte de Ghiotto, que conseguiu acompanhar o ritmo de Drugovich e estabilizar a distância de 3s.

As voltas passavam e, curiosamente, as principais brigas aconteciam fora da zona de pontos. Louis Delétraz, antes nono, começou a perder rendimento e foi alvo de uma ultrapassagem ousada de Nikita Mazepin, colocando pneus na grama e tudo na reta principal. Logo começou a ficar claro: o suíço estava com alto desgaste de pneus, problema que começava a afetar outros no grid também. E era recém a volta 11 de 26.

Felipe Drugovich abriu vantagem enorme sobre Luca Ghiotto ainda nas voltas iniciais (Foto: Reprodução/TV)

Na frente, Drugovich claramente seguia com rendimento superior, abrindo já 5s5 de vantagem sobre Ghiotto. A incógnita era o desgaste de pneus: o italiano parecia tomar mais cuidado da borracha, permitindo que o brasileiro fugisse e que Ilott colasse.

A volta 14 trouxe o ataque de Ilott a Ghiotto. O britânico tentou passar por fora na primeira curva, mas acabou sem espaço para completar a manobra na segunda. O piloto seguia em terceiro e, mais do que isso, agora exposto a Mick Schumacher, que tentava ir ao pódio.

As posições não mudavam na dianteira, salvo Tsunoda tomando o quinto lugar das mãos de Zhou. Sem tanta ação na pista, os olhos voltavam aos boxes. Gente do calibre de Shwartzman e Ticktum, ambos fora da zona de pontos e sem muito a perder, faziam o pit-stop, isso em uma prova que não obrigava a trocar de pneus.

O motivo era claro. Na frente, Ilott perdeu rendimento rapidamente e caiu de terceiro para quinto, sendo superado por Schumacher e Tsunoda. Zhou, por sua vez, fritou os pneus e acabou com um furo.

F2 2020, Barcelona, corrida 2:

1F DRUGOVICHMP26 voltas
2L GHIOTTOHitech+9.536
3M SCHUMACHERPrema+10.956
4Y TSUNODACarlin+14.924
5N MATSUSHITAMP+19.924
6N MAZEPINHitech+23.231
7P PIQUETCharouz+24.528
8C ILOTTUNI-Virtuosi+29.718
9L DELÉTRAZCharouz+31.973
10D TICKTUMDAMS+32.155
11C LUNDGAARDART+34.196
12R NISSANYTirdent+34.822
13R SHWARTZMANPrema+41.254
14G ZHOUUNI-Virtuosi+41.996
15M ARMSTRONGART+43.413
16A MARKELOVHWA+45.618
17J DARUVALACarlin+46.219
18J AITKENCampos+48.431
19G ALESIHWA+54.736
20G SAMAIACampos+1:09.082
21M SATOTrident+1:14.667
22S GELAELDAMSNL

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar