Leclerc vence corrida 1 confusa marcada por bandeira vermelha e engarrafamento na curva 8 em Baku na F2

Ao menos para Charles Leclerc, a primeira prova do fim de semana no Azerbaijão foi tranquila, com uma vitória, dedicada ao pai, conquistada praticamente de ponta a ponta. Mas a disputa em Baku foi marcada por vários incidentes e um congestionamento na apertadíssima curva 8, o que causou o fim da corrida duas voltas antes do previsto

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Charles Leclerc foi o grande nome da primeira corrida da rodada dupla da F2 neste fim de semana em Baku. Neste sábado (24), depois de largar na pole-position, o piloto da Prema dominou a corrida e não deu chances a ninguém, triunfando pela terceira vez na temporada. O piloto da Prema dedicou a vitória ao pai, Hervé Leclerc, que morreu na última quarta-feira.

 
A corrida, no entanto, foi cheia de incidentes. Ainda que a largada tivesse sido relativamente tranquila, a prova em si foi bastante conturbada, marcada por intervenções do safety-car e muitas batidas no muro. Nenhuma muito grave. Mas, nas voltas finais da prova, um congestionamento determinou o fim antecipado da peleja. Sam Gelael bateu na apertadíssima curva 8, Sergey Sirotkin também acertou o muro, e os carros que vinham atrás não conseguiram passar. A direção de prova acionou a bandeira vermelha e, depois, encerrou a corrida.
 
Nyck de Vries foi o segundo colocado, enquanto Nicolas Lafiti terminou no último degrau do pódio. Oliver Rowland foi o quarto, seguido por Artem Markelov. Norman Nato, Jordan King, Ralph Boschung, Sergio Canamasas e Sirotkin fecharam a lista dos dez primeiros. Sergio Sette Câmara ficou perto de pontuar, terminou a corrida em nono, mas foi punido por ter ficado lento durante o período de safety-car e terminou em 13º.
Charles Leclerc foi o grande nome deste sábado na F2 (Foto: Theodore Racing)
Saiba como foi a corrida 1 da F2 no Azerbaijão
 
A largada foi surpreendentemente tranquila para os padrões da F2, com nenhum grande problema. Nem a curva 8, grande preocupação por ser extremamente estreita, foi palco de acidentes no começo da prova. Leclerc largou bem e manteve a liderança, seguido por Nicolas Latifi e Nyck de Vries.
 
Quem se deu mal foi Johnny Cecotto. O ítalo-venezuelano teve problemas na largada e só conseguiu fazer funcionar seu motor no pit-lane. Quando finalmente partiu, o piloto da Rapax não teve muito tempo para acelerar: Cecotto sequer conseguiu fazer a curva 1, bateu na barreira de proteção e abandonou. A direção de prova acionou o safety-car.
 
Na relargada, De Vries passou Latifi e subiu para segundo. Sette Câmara perdia duas posições e caía para 13º. Pouco depois, a janela para o pit-stop obrigatório foi aberta. Em seguida, Antonio Fuoco, companheiro de Leclerc na Prema, cometeu um erro durante disputa com Canamasas, passou reto na área de escape e bateu no muro. O malaio Nabil Jeffri era outro a bater na barreira de proteção, e isso fez a direção de prova acionar o safety-car virtual.
Engarrafamento na curva 8 em Baku encerra corrida 1 da F2 (Foto: Reprodução)
Leclerc vinha em segundo, só atrás de Luca Ghiotto, mas o italiano ainda tinha de fazer seu pit-stop. Louis Déletraz era outro piloto que ficava fora da prova após sair de traseira e bater no muro. O safety-car entrava mais uma vez na pista após 13 voltas. Três voltas depois, nova relargada em Baku, e daí em diante, a prova foi um pouco mais tranquila. Leclerc voltou à liderança depois que Ghiotto fez seu pit-stop obrigatório.
 
Sette Câmara vinha em nono, mas teria de cumprir uma punição de 10s por ter andado muito lento em regime de safety-car. O brasileiro perguntou via rádio a razão da punição, e o engenheiro da equipe MP Motorsport praticamente o mandou se calar e seguir pilotando.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Restando três voltas para o fim da prova, Sam Gelael passou pela zebra, perdeu o controle do carro e bateu na curva 8. Mas o piloto ficou atravessado na pista, de modo que os que vinham atrás não conseguiram passar naquele trecho tão estreito, causando um congestionamento surreal na pista Sergey Sirotkin também bateu. Assim, para retirar todos os carros, a direção de prova teve de acionar a bandeira vermelha. 

 
Minutos depois, a FIA confirmou que a prova não seria retomada. Do pit-lane, Leclerc comemorou a terceira vitória na temporada 2017 da F2. De Vries e Latifi completaram o pódio azeri.
NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube