Lundgaard domina e vence corrida 2 da F2 em Mugello. Schumacher amplia liderança

Christian Lundgaard assumiu a liderança na largada e não foi mais alcançado. O dinamarquês sobrou e venceu com 14s de vantagem. Mick Schumacher, cada vez mais líder da F2, foi quarto em corrida sem brasileiros na zona de pontos

Christian Lundgaard caminhava para a vitória na corrida 1 da Fórmula 2 em Mugello, mas foi traído por um safety-car tardio. Um dia depois, neste domingo (13), tudo correu bem: o dinamarquês assumiu a liderança ainda na largada, depois controlando a corrida e garantindo vitória.

Foram inacreditáveis 14s de vantagem sobre Delétraz, segundo colocado. O suíço esteve mais preocupado com Jüri Vips, que chegou perto de fazer a ultrapassagem no fim. Não deu, mas o estoniano teve o primeiro pódio na F2 como prêmio de consolação.

Mick Schumacher terminou em quarto. O pódio voltou a escapar, mas o alemão segue fazendo valer a regularidade, pontuando sempre. O alemão superou os adversários diretos na luta pelo título e ampliou a vantagem na liderança do campeonato.

Christian Lundgaard abriu 14s de vantagem para Louis Delétraz (Foto: Reprodução/Twitter)

Guanyu Zhou fez grande corrida após largar do fim do grid, terminando em quinto. Callum Ilott, Jehan Daruvala e um inesperado Marino Sato fecharam a zona de pontos.

Os brasileiros acabaram o dia zerados. Felipe Drugovich passou a maior parte da prova na zona de pontos, mas perdeu performance após ser tocado por Yuki Tsunoda e acabou em 15°. Pedro Piquet conseguiu o 12° lugar, enquanto Guilherme Samaia foi 16°.

Saiba como foi a corrida 2 da Fórmula 2 em Mugello

Através do grid invertido, a largada teria Artem Markelov e Jüri Vips formando uma primeira fila improvável. Só que foi o terceiro colocado quem partiu melhor: Christian Lundgaard voou no apagar das luzes e surgiu em primeiro.

Markelov seguou o segundo lugar, com Delétraz em terceiro. Vips patinou e caiu para quarto, com Schumacher em quinto. Drugovich, Armstrong e Ghiotto completavam a zona de pontos. Mais atrás, começava a ‘remontada’ de outros protagonistas do campeonato: Ilott subia para 12°, enquanto Shwartzman aparecia em 16°. O russo, por sinal, fazia pilotagem agressiva: na terceira volta, forçou uma manobra linda por fora contra Zhou.

O começo da prova teve ainda um incidente na parte da trás envolvendo Ticktum. O britânico precisou trocar a asa dianteira e ficou essencialmente fora da briga por pontos.

Jüri Vips conseguiu o primeiro pódio na F2 (Foto: Reprodução/Twitter)

Quatro voltas tinham passado e Lundgaard fazia excelente trabalho. O dinamarquês abriu 4s de vantagem sobre Markelov, que sustentava 1s sobre Delétraz. O russo se esforçava, isso até perder tempo e, no sexto giro, acabar ultrapassado pelo suíço, novo segundo colocado.

Vips tentou fazer o mesmo uma volta depois, mas acabou tocado de leve por Markelov, que segurou o terceiro lugar. Mais atrás, Ghiotto passou Drugovich e assumiu o sexto lugar. Mais um pouco e Mazepin fez o mesmo, tomando o sétimo posto e deixando o brasileiro em oitavo.

Foi só na décima volta que Vips passou Markelov. Schumacher, depois de um pouco de briga, fez o mesmo. Aí entramos em ritmo de passa boi, passa boiada: Mazepin, Ghiotto e Drugovich também superaram o russo, que em um toque danificou a asa dianteira. Era hora de ir aos boxes e desistir de brigar por pontos.

Era a volta 13, já na segunda metade da corrida. A zona de pontos tinha Lundgaard, Delétraz, Vips, Schumacher, Mazepin, Ghiotto, Drugovich e Daruvala. Ilott seguia reagindo e já aparecia em nono, flertando com pontos.

Nikita Mazepin fez Luca Ghiotto conhecer melhor a caixa de brita de Mugello (Foto: Reprodução/Twitter)

O primeiro grande acidente da corrida aconteceu na volta 16. Ghiotto tentou passar Mazepin por fora, mas foi surpreendido: o russo não deu tanto espaço assim e os dois bateram, com o italiano quase levantando voo e abandonando na hora.

O safety-car virtual foi acionado por dois giros. A Hitech achou que o safety-car normal seria acionado e chamou Mazepin para um pit-stop. Erro crasso: a pista foi liberada novamente e o russo acabou muito longe dos pontos.

A prova seguia com o top-4 intacto: Lundgaard, Delétraz, Vips e Schumacher tinham prova tranquila. Drugovich, nem tanto: o brasileiro relargou mal e perdeu posição para Daruvala. Agora em sexto, o brasileiro cometeu erro na última curva e perdeu posições para Zhou e Ilott. Era a vez de Tsunoda tentar atacar, mas não deu muito certo: o japonês foi afoito, tocando a traseira de Felipe e danificando a asa dianteira. O japonês foi aos boxes para pit emergencial.

Drugovich não parou, mas também tinha problemas. O carro perdeu rendimento subitamente e desabou para fora da zona de pontos. Quem também sofria era Shwartzman: o russo acabou com as chances de pontuar após passeio pela brita.

A corrida chegou ao fim com Lundgaard correndo quase em outra categoria. Foram 14s de vantagem sobre Delétraz, que fez bom trabalho ao se defender de Vips.

F2 2020, Mugello, corrida 2:

1C LUNDGAARDART23 voltas
2L DELÉTRAZCharouz+14.321
3J VIPSDAMS+14.870
4M SCHUMACHERPrema+18.018
5G ZHOUUNI-Virtuosi+18.382
6C ILOTTUNI-Virtuosi+24.421
7J DARUVALACarlin+26.264
8M SATOTrident+26.301
9R SHWARTZMANPrema+31.425
10R NISSANYTirdent+32.942
11M ARMSTRONGART+34.902
12P PIQUETCharouz+35.040
13J AITKENCampos+35.254
14N MATSUSHITAMP+36.983
15F DRUGOVICHMP+39.072
16G SAMAIACampos+48.433
17D TICKTUMDAMS+48.483
18N MAZEPINHitech+50.793
19Y TSUNODACarlin+1:09.649
20A MARKELOVHWA+1:21.885
21G ALESIHWA+9 voltasNC
22L GHIOTTOHitech+9 voltasNC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube