Armstrong vence corrida 1 da F2 na Holanda. Drugovich é 10º e Pourchaire sai zerado

Marcus Armstrong ultrapassou Clément Novalak na largada e controlou o resto da corrida sprint da Fórmula 2 em Zandvoort. Felipe Drugovich viu o rival Théo Pourchaire se enrolar e não marcar pontos

TUDO SOBRE A CLASSIFICAÇÃO DO GP DA HOLANDA DE F1 | Briefing

A corrida sprint da Fórmula 2 em Zandvoort, neste sábado (3), abriu a rodada dupla na Holanda da maneira como já se esperava: sem as maiores emoções do mundo numa pista em que ultrapassagens são extremamente raras. Num desenho assim, Marcus Armstrong fez aquilo que de melhor dá para fazer: apostou na largada, tomou a frente e partiu para a vitória.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Relacionadas


Armstrong largava no segundo lugar de acordo com o sistema de grid invertido da Fórmula 2 — sai em nono na corrida principal, no domingo — e tinha Clément Novalak pela frente. No momento da largada, engoliu o oponente, tomou a frente e passou a fazer o que é mais lógico em Zandvoort: controlou as ações sem gastar muito do equipamento.

Novalak não se aproximava, mas também permanecia no segundo lugar. Apesar de Dennis Hauger e Liam Lawson serem mais rápidos que ele, não havia onde passar e um trem foi se formando. Armstrong agradeceu e partiu para vencer sem qualquer ameaça.

Mais atrás, Felipe Drugovich, que fez a pole do fim de semana e sai na frente no domingo, largou em décimo e por lá ficou: mas conseguiu marcar um ponto após anotar a melhor volta da corrida. Melhor que o único rival na luta pelo título, Théo Pourchaire, que saiu em 16º, errou, caiu para o 20º posto e por lá mesmo ficou. Drugovich está cada vez mais perto do título.

Atrás de Armstrong, Novalak, Hauger e Lawson, Jüri Vips, Richard Verschoor, Ayumu Iwasa e Logan Sargeant finalizaram a zona de pontos. Jack Doohan e Drugovich fecharam o top-10.

O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL todas as atividades do GP da Holanda de Fórmula 1. No F2, a largada da corrida principal está marcada para as 5h05 (de Brasília, GMT-3).

A largada da corrida sprint da Fórmula 2 na Áustria (Foto: Reprodução/F2)
Paddockast #163: Os segundões da F1 2022: dá para confiar em Sainz e Pérez?

Confira como foi a corrida:

Na rebarba da Fórmula 1, a F2 chegava no calor de Zandvoort para pegar um aslfato de quase 40°C na hora da largada da corrida sprint. Ao menos dava para dizer que o clima era estável, sem oferecer grandes surpresas.

Como sempre acontece, o grid de largada da corrida sprint tem o top-10 inversamente proporcional ao que estará alinhado no domingo, na hora da corrida principal. Assim, Clément Novalak era quem largada na dianteira e tinha Marcus Armstrong ao lado na primeira fila. Felipe Drugovich ficava com a décima colocação, tendo Jack Doohan lado a lado.

A primeira tentativa de largada teve de ser abortada após o Charouz de Tatiana Calderón, que retornou ao grid na semana passada, na Bélgica, sequer sair do espaço. Com o carro travado, a pilota colombiana teve de largar do pit-lane em Zandvoort.

No momento em que a partida finalmente aconteceu, Armstrong foi bem e Novalak, ao contrário, foi péssimo. Marcus assumia a liderança e via chance de ouro para vencer a corrida. Novalak, apesar de companheiro de Drugovich na MP — equipe da casa — não conseguia tirar grande ritmo e segurava o pelotão.

Théo Pourchaire saiu da pista na tentativa de ultrapassar (Foto: Reprodução/Fórmula 2)

Pelotão, esse, que contava com Dennis Hauger, Liam Lawson, Jüri Vips, Richard Verschoor, Ayumu Iwasa e Logan Sargeant, todos muito próximos nas posições que valiam ponto. A única mudança aí, tirando na liderança, foi de Lawson tomando o quarto lugar de Vips. Doohan e Drugovich seguiam em nono e décimo. Numa pista sem pontos de ultrapassagem, como na Holanda, largar bem é chave para buscar um resultado.

Quem sabia disso muito bem e tinha pressa era Théo Pourchaire. O francês, vendo a chance de ser campeão escapar de pouco a pouco por entre os dedos, largara no 16º posto após bater sozinho na classificação. Na segunda volta, freou tarde demais na tentativa de ultrapassar David Beckmann e saiu da pista, caindo para a 20ª colocação.

O próximo a sair da pista foi Olli Caldwell, de volta após uma corrida de suspensão. O inglês saiu da pista sozinho na curva um e teve de trocar a asa dianteira nos boxes. Voltou em último, atrás até de Calderón, que saíra do pit-lane.

Hauger sabia que só teria chances de vencer a corrida se ultrapassasse Novalak sem muita demora, porque o francês só se afastaria de Armstrong. Então, foi para cima, mas não encontrou espaço para mergulhar de vez. Novalak, de fato, segurava os demais. Entre o segundo e sexto colocados, ninguém tinha mais de 1s de vantagem para quem vinha atrás.

Durante um período da corrida, pela décima volta, Novalak até entrou na janela de abertura do DRS para alcançar o líder da corrida, mas era apenas isso. Logo, saía novamente e não efetivamente se aproximava. A verdade era que, com metade da corrida, não havia luta pela vitória. Um pouco mais tarde, ficou claro que Novalak só chegou a diminuir a distância após Armstrong atropelar um dos muitos pombos espalhados pelos cantos de Zandvoort.

E também não havia abandonos, mas nem tudo dura para sempre. Caldwell não se recuperou da saída da pista e terminou levando o carro da Campos aos boxes e deixando na garagem. O que apareceu também foi uma ultrapassagem, o leitor acredite se quiser. Jehan Daruvala passou Marino Sato… pelo 16º lugar.

Tudo parecia se encaminhar para um fim de corrida sem grandes emoções, mas Calderón tinha outros planos e, com quatro voltas para a bandeirada, escapou e ficou com o carro preso na brita. Fim de corrida para ela, e obrigação da chamada do safety-car.

A direção de prova cronometrou bem e limpou o carro a tempo de uma última volta de bandeira verde. A relargada sempre traz possibilidades de mudanças, mas também não foi o que aconteceu. Assim, Armstrong partiu para a terceira vitória da temporada. Drugovich ainda salvou um ponto ao conquistar a melhor volta da corrida.

F2 2022, GP da Holanda, Zandvoort, Corrida Sprint, Resultado Final:

1M ARMSTRONGHitech 29 voltas
2C NOVALAKMP+0.880
3D HAUGERPrema+1.990
4L LAWSONCarlin+2.517
5J VIPSHitech+3.026
6A IWASADAMS+3.318
7R VERSCHOORTrident+4.268
8L SARGEANTCarlin+4.650
9J DOOHANVirtuosi+4.840
10F DRUGOVICHMP+5.458
11F VESTIART+6.287
12A CORDEELVan Amersfoort+6.719
13E FITTIPALDICharouz+7.416
14D BECKMANNVan Amersfoort+8.103
15R NISSANYDAMS+8.940
16J DARUVALAPrema+9.719
17R BOSCHUNGCampos+9.818
18C WILLIAMSTrident+10.445
19M SATOVirtuosi+11.288
20T POURCHAIREART+11.470
21T CALDERÓNCharouzNC
22O CALDWELLCamposNC
GASLY E HERTA DENTRO, SCHUMACHER E RICCIARDO FORA? F1 2023 ENLOUQUECE | TT GP #67
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 2 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.