Rossi ganha ponta após Lynn bater sozinho, vence corrida 1 da GP2 em Sóchi e adia título de Vandoorne

A vitória na corrida 1 da GP2 na Rússia caiu no colo de Alexander Rossi. O americano se aproveitou de uma batida de Alex Lynn e, assim, adiou a festa do título de Stoffel Vandoorne, que foi terceiro

determinarTipoPlayer(“15640077”, “2”, “0”);


Alexander Rossi ainda respira na disputa pelo título da temporada 2015 da GP2. Neste sábado (10), o americano fez boa corrida e foi presenteado com um acidente de Alex Lynn, que bateu sozinho, herdando a liderança e vencendo a corrida. Stoffel Vandoorne, que poderia já ter sido campeão, ficou em terceiro e fez a melhor volta da prova.

A corrida 1 da principal categoria de acesso à F1 foi reduzida. Por culpa de um acidente entre Artem Markelov, Sergio Canamasas e Marlon Stöckinger, além de uma batida de Jordan King, a bandeira vermelha teve de ser acionada e, com a luminosidade reduzida, a direção de prova não teve escolha. 

A segunda posição ficou com Pierre Gasly. Companheiro de Lynn, o francês teve atuação bastante segura e chegou a pressionar Rossi pelo primeiro lugar, perdendo ritmo nas voltas derradeiras.

Quietinho, Sergey Sirotkin caminho tranquilo para o quarto lugar. Também bastante discreto, Rio Haryanto ganhou posições nos boxes e fechou o top-5 da corrida inaugural do final de semana da GP2.

Raffaele Marciello teve altos e baixos e ficou em sexto, seguido por Richie Stanaway, Arthur Pic, Dean Stoneman e Mitch Evans

Com o resultado, Vandoorne foi para 278 pontos. Após vencer, Rossi subiu para 178 e segue vivo na luta pelo título. Sirotkin é o terceiro com 127, Haryanto tem 119 e Lynn tem 90.

A segunda corrida da GP2 em Sóchi acontece neste domingo com largada prevista para 5h (em Brasília).

Alexander Rossi venceu a corrida 1 na Rússia (Foto: AP)

Confira como foi a corrida 1 da GP2 em Sóchi:

 
A largada para a corrida 1 da GP2 aconteceu às 10h43 (em Brasília). No grid, 23 carros, já que o romeno Robert Visoiu, saiu dos boxes.
 
Alex Lynn fez ótimo trabalho na partida e disparou na frente. Stoffel Vandoorne, enquanto isso, saía muito mal e ainda ficava encaixotado em Arthur Pic. 
 
Melhor para Alexander Rossi, que apenas seguiu seu traçado e ganhou o segundo lugar em disputa com Pic e Pierre Gasly.
 
Com Lynn ainda na ponta, o top-10 seguia com Rossi, Pic, Gasly, Vandoorne, Raffaele Marciello, Norman Nato, Sergey Sirotkin, André Negrão e Johnny Cecotto Jr.
 
A primeira volta não chegou sequer à metade quando quatro pilotos bateram no fim do pelotão: Artem Markelov, Sergio Canamasas, Marlon Stöckinger e Jordan King abandonaram na hora. King, aliás, batia sozinho.
 
Como consequência das batidas, a direção da prova russa deu bandeira vermelha.
 
Após mais de 30 minutos de paralisação, a direção de prova reduziu a corrida para apenas 15 voltas. A relargada veio às 11h19, com Lynn novamente desgarrando.
 
A iluminação era um dos pontos que mais atrapalhavam. Com o sol quase se pondo, a reta principal era feita com sol na cara.
Alexander Rossi venceu a corrida 1 da GP2 em Sóchi (Foto: Reprodução/Twitter)
Lynn já abria 2s7 para Rossi, que recebia pressão de Pic. Logo atrás, Gasly e Vandoorne travavam boa briga pelo quarto posto.
 
O DRS foi liberado na sexta volta, com Gasly já mais longe de Vandoorne e colado em Pic.
 
No sétimo giro, Lynn abriu a janela de paradas. O trabalho da Dams não foi dos mais rápidos.
 
Ainda sem paradas, Pic e Vandoorne travaram boa briga pela liderança. O belga aproveitou um erro do francês e foi para a ponta.
 
Na volta dos boxes, Rossi até conseguiu ficar na frente de Lynn, mas por pouquíssimo tempo. O inglês apertou e passou o americano que ainda estava com pneus frios. Rossi, então, teve de conter os ímpetos de Gasly.
 
Na volta 12, bandeira amarela na pista. Era o líder Lynn, que aparecia lento após destruir a suspensão esquerda em uma batida grotesca sozinho. No mesmo giro, Vandoorne foi aos boxes.
 
O trabalho da ART foi bom e, mesmo após todos os problemas, o belga era terceiro. Rossi e Gasly apareciam um pouco à frente, brigando duro pela vitória.
 
No fim, Rossi conseguiu respirar e abriu para Gasly, que por muito pouco não perdeu a segunda colocação para Vandoorne.
 
Por sua vez, o belga foi conservador nas voltas finais, mas, no último giro, apertou o ritmo para fazer a volta mais rápida e ganhar a bonificação que estava indo para Gasly.

GP2, Rússia, Corrida 1:
1 ALEXANDER ROSSI EUA RACING ENGINEERING 58:33.520 15 voltas
2 PIERRE GASLY FRA DAMS +3.101  
3 STOFFEL VANDOORNE BEL ART +4.279  
4 SERGEY SIROTKIN RUS RAPAX +8.474  
5 RIO HARYANTO INA CAMPOS +11.884  
6 RAFFAELE MARCIELLO ITA TRIDENT +12.695  
7 RICHIE STANAWAY NZL STATUS +14.506  
8 ARTHUR PIC FRA CAMPOS +15.698  
9 DEAN STONEMAN ING CARLIN +20.660  
10 MITCH EVANS NZL RUSSIAN TIME +23.457  
11 NOBUHARA MATSUSHITA JAP ART +26.819  
12 NORMAN NATO FRA ARDEN +27.140  
13 JOHNNY CECOTTO JR. VEN TRIDENT +30.727  
14 ANDRÉ NEGRÃO BRA ARDEN +32.828  
15 NATHANAËL BERTHON FRA LAZARUS +37.369  
16 RENÉ BINDER AUT TRIDENT +39.930  
17 ROBERT VIȘOIU ROM RAPAX +42.614  
18 NICHOLAS LATIFI CAN MP +44.888  
19 SEAN GELAEL INA CARLIN +59.064  
20 ALEX LYNN ING DAMS +5 voltas NC
21 MARLON STÖKINGER SUI STATUS +15 voltas NC
22 ARTEM MARKELOV RUS RUSSIAN TIME +15 voltas NC
23 JORDAN KING ING RACING ENGINEERING +15 voltas NC
24 SERGIO CANAMASAS ESP MP +15 voltas NC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube