F2

Sem dinheiro na Indy, O’Ward admite chance de seguir na Europa após rodada da F2

Pato O’Ward sofre para fechar contas na Indy, onde a Red Bull não está disposta a investir. O panorama é outro na F2, onde o mexicano estreia neste fim de semana. A possível carreira estável já seduz Pato, com futuro incerto

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
Pato O’Ward vai passar por um momento importante da carreira neste fim de semana – o mexicano, apoiado pela Red Bull, corre a etapa da Áustria da Fórmula 2, substituindo o suspenso Mahaveer Raghunathan. Sofrendo para garantir a permanência no grid da Indy até o fim de 2019, Pato reconhece que pode nem voltar aos Estados Unidos no segundo semestre.
 
A questão é financeira: O’Ward já está sem dinheiro para bancar a permanência na Carlin. Apesar de ainda defender a equipe britânica na Indy, o mexicano já foi cortado de etapas em ovais. Na Europa, com o apoio da Red Bull, a vida ficaria mais fácil.
 
“Agora estamos sem saber por questões financeiras”, disse O’Ward sobre o futuro, ao ‘Motorsport.com’. “A verdade é que não sei onde vou seguir meu futuro, não sei qual vai ser minha carreira depois da Áustria. Estamos batalhando com o dinheiro na Indy. Não é um rumor, não temos dinheiro e se eu precisar [seguir na Indy], alguém precisa me apoiar, porque eu não tenho como. Já estamos sem orçamento desde Detroit”, seguiu.
Patrício O'Ward (Foto: Indycar)
A vida fica dificultada nos Estados Unidos porque a Red Bull não tem interesse em se expor na Indy – o capacete do mexicano carrega as cores da marca de energéticos, mas o carro segue com as cores da Carlin.
 
“O mercado dos Estados Unidos não importa para eles [Red Bull]. Se me apoiarem em algum lugar, vai ser na Europa. Se se fecha [a oportunidade] na Indy e se abre a na F2, claro que viria para cá [Europa]. Precisaria aprender outras coisas, carros diferentes, algo mais parecido com um F1, que é algo que pode acontecer no futuro”, explicou.
 
Independente da questão financeira, O’Ward já tinha o automobilismo europeu, de olho na F1, como possibilidade. Em entrevista ao GRANDE PREMIUM, o mexicano fez questão de deixar as portas abertas.
 
“Obviamente, se alguma coisa acontecer na Fórmula 1 ou se for bom em geral para mim, vou avaliar. Não fecharia as portas para a Europa: faria o que fosse melhor para a minha carreira [caso surgisse a chance]”, afirmou na ocasião.
 
O’Ward é 22º na classificação da Indy. O oitavo lugar em Austin foi o melhor resultado da temporada, além de representar o único top-10. Em contrapartida, a eliminação no Bump Day das 500 Milhas de Indianápolis foi o ponto negativo de 2019 até aqui.