Tsunoda vence corrida 1 insana em Sakhir. Schumacher é 7º e põe mão na taça

Yuki Tsunoda levou a melhor em uma disputa quente na corrida 1 da Fórmula 2 em Sakhir. Felipe Drugovich brigou pelo pódio até o fim, mas acabou em quarto após manobras de defesa bem agressivas de Nikita Mazepin. Mick Schumacher foi sétimo e agora está bem perto do título

A primeira corrida da Fórmula 2 no anel externo de Sakhir teve disputas intensas da primeira até a última volta. Com manobras das mais clássicas até as mais agressivas, Yuki Tsunoda foi quem levou a melhor neste sábado (5). No entanto, o japonês não tem mais chances de título, já que Mick Schumacher fez grande corrida de recuperação e fechou em sétimo.

A segunda colocação ficou com o chinês Guanyu Zhou, que teve uma tática de alongar mais o primeiro stint. O piloto da UNI-Virtuosi tomou ainda uma punição de 5s por exceder a velocidade nos boxes, mas, mesmo assim, ficou na frente de Nikita Mazepin e Felipe Drugovich.

A briga pelo terceiro lugar foi quente até os metros derradeiros. É que Mazepin jogou muito duro com todo mundo, colando todos os oponentes no muro da reta principal, mas com Drugovich foi além. Não apenas na reta, mas também nas curvas seguintes, o russo foi empurrando o brasileiro para fora do traçado seguidas vezes. O resultado foi o carro da MP acertando e destruindo uma placa de patrocínio.

Robert Shwartzman perdeu fôlego e acabou em quinto, na frente de Callum Ilott, que chegou na frente de Schumacher, mas segue em situação delicadíssima para ser campeão neste domingo.

A segunda corrida da Fórmula 2 no Bahrein acontece neste domingo, com largada prevista para 9h20 (em Brasília)

Yuki Tsunoda levou a melhor em corrida insana em Sakhir (Foto: F2)

Saiba como foi a corrida 1 da Fórmula 2 em Sakhir

A primeira prova do final de semana da F2 no anel externo do Bahrein começou às 9h10 (em Brasília), com uma ótima largada dos russos. Nikita Mazepin pulou na ponta, com Robert Shwartzman acompanhando na segunda colocação. Logo atrás, o pole Yuki Tsunoda, Artem Markelov e Felipe Drugovich.

Os ponteiros se mantinham nas mesmas colocações no início da corrida, mas o pelotão intermediário vinha quente, com diversos momentos de linhas de três pilotos. Callum Ilott vinha em oitavo, precisando de mais para seguir bem na caça a Mick Schumacher, mas, em um primeiro momento, parecia que o alemão era quem estava desesperado.

Depois de uma boa largada de 18º para 16º, Mick foi dividindo curvas, tocou roda novamente com Roy Nissani e com Giuliano Alesi e, assim, foi ganhando terreno. Na volta 7, a primeira manobra mais suave, utilizando DRS para deixar o garoto Théo Pourchaire para trás e virar 12º. Christian Lundgaard e Guilherme Samaia despencavam após toques nos metros iniciais.

A largada da F2 em Sakhir (Foto: Reprodução)

Após voltas iniciais muito quentes, a corrida deixava um pouco de ser frenética, ao menos naquela área do meio do pelotão. Lá na frente, porém, Drugovich imprimia bom ritmo e aproveitava alguns erros de Markelov para retomar o quarto posto.

Tsunoda insistiu bastante e, no 13º giro, finalmente recuperou a segunda posição diante de Shwartzman, que já perdia ritmo com pneus desgastados. Pouco atrás, Guanyu Zhou superava Jehan Daruvala e Markelov para entrar no top-5, enquanto que Ilott era superado por Dan Ticktum.

Daruvala e Shwartzman abriam as paradas nos boxes, com Schumacher seguindo ganhando terreno na pista e, principalmente, tendo muito mais ação com os pneus duros. De macios, Ilott ia perdendo ritmo e já entrava na mira do rival na briga pelo título.

Callum Ilott recebe pressão de Mick Schumacher (Foto: Reprodução)

Ilott parou na volta 17, junto com Tsunoda e Pedro Piquet, que também vinha na briga por pontos. Drugovich assumia a dianteira após a parada de Mazepin, que voltou na pista exatamente no meio de Tsunoda e Shwartzman na briga virtual pela pole. No fim, melhor de novo para os russos, com Nikita em décimo, Robert em 11º e Yuki em 12º, com mais dificuldade para aquecer os pneus.

Drugovich esticou muito o primeiro stint e conseguiu ir aos boxes apenas na 21ª volta, voltando perto do top-3 e com uma boa folga para Daruvala e Ilott. Ainda que não fosse favorito, seguia na briga pelo triunfo.

Na volta 28, Zhou parava e apenas três pilotos ainda deviam pit-stop: Schumacher, Luca Ghiotto e Pourchaire. O alemão, após largar em 18º, ocupava ao menos provisoriamente a dianteira, mas em excelentes condições na prova, já que a margem para Ilott, o rival direto pelo título, vinha 27s atrás.

Mick Schumacher escalando o pelotão (Foto: Reprodução)

Quando Mick parou, no 30º giro, voltou em décimo, mas ainda perdeu dois lugares para Louis Delétraz e Ticktum com seus pneus bem frios. Mesmo assim, em 12º, seguia em boas condições de atacar nas voltas finais. Outra boa notícia para o alemão era uma punição de 5s a Zhou, o sétimo, por exceder a velocidade nos boxes.

A reação de Mick começava cedo. Com 15 voltas para o fim, o alemão já limpava Delétraz e Markelov da frente e voltava ao top-10, colado em Ticktum.

Tsunoda retomava o segundo lugar em cima de Shwartzman, com Drugovich colando nos dois e na briga firme. Mas o mais importante vinha atrás, com Ilott perdendo ritmo, em sexto, enquanto Schumacher fazia linda manobra para superar Ticktum e virar nono colocado, louco para fechar o campeonato ainda hoje.

Nikita Mazepin, Yuki Tsunoda e Robert Shwartzman na briga (Foto: Reprodução)

Com dez voltas pela frente, Shwartzman ia perdendo fôlego cedo. Melhor para Drugovich, que conquistava mais uma posição e entrava na zona do pódio. Schumacher, por sua vez, tirava Piquet da frente, virava oitavo e começava a remar para tirar os 8s para Daruvala.

Foi quando a corrida virou completamente a esquina da loucura. Mazepin perdeu performance e foi ficando lento. Aí, do nada, uma prova ligeiramente controlada virou uma batalha de quatro carros pela vitória. Tsunoda passou o russo e tomou a dianteira depois de uma série de fechadas e tentativas agressivas.

Depois, foi a vez de Drugovich passar Mazepin, mas perder o ponto de frenagem na curva 1 e levar o troco e ainda ser passado por Zhou, que tinha aquela punição de 5s na conta. Para o brasileiro, a boa notícia é que ainda conseguiu passar de novo Mazepin no giro seguinte.

Só que o troco do troco do russo aconteceu na penúltima volta e, dali para frente, Nikita se defendeu com todas as armas que tinha. O resultado foi Drugovich jogado perto do muro na reta principal e, depois jogado na placa de publicidade. O brasileiro reclamou muito no rádio e o incidente logo entrou em investigação.

Sem ter nada com isso, Tsunoda conseguiu escapar da confusão e venceu, seguido por um Zhou que aproveitou o enrosco de Mazepin e Drugovich, passou ambos e abriu o suficiente para abater os 5s da punição. O russo ainda completou o pódio, ao menos enquanto a investigação não se completava.

Ilott se arrastou no sexto lugar, logo na frente de Schumacher, que perdeu o duelo para o rival na corrida, mas ganhou pensando no campeonato, mantendo os confortáveis 14 pontos de vantagem com sétimo posto e a volta mais rápida.

Fórmula 2 2020, GP de Sakhir, Corrida 1, Final:

1Y TSUNODACarlin48 voltas 
2G ZHOUUNI-Virtuosi+5.613
3N MAZEPINHitech+6.280
4F DRUGOVICHMP +6.655
5R SHWARTZMANPrema+7.438
6C ILOTTUNI-Virtuosi+8.143
7M SCHUMACHERPrema+10.339
8J DARUVALACarlin+11.818
9D TICKTUMDAMS+14.640
10P PIQUETCharouz+17.511
11M ARMSTRONGART+17.789
12L DELÉTRAZCharouz+19.374
13A MARKELOVHWA+31.999
14R BOSCHUNGCampos+34.388
15G ALESIMP+35.082
16L GHIOTTOHitech+38.113
17M SATOTrident+39.059
18T POURCHAIREHWA+41.719
19S GELAELDAMS+45.847
20R NISSANYTirdent+50.305
21C LUNDGAARDART+59.292
22G SAMAIACampos+1 volta

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube