F3

Chefe de equipe de Sophia Flörsch festeja operação bem-sucedida e avisa: “Não há mais risco de paralisia”

Frits van Amersfoort, chefe da equipe em que corre Sophia Flörsch, vibrou com a cirurgia pela qual a alemã foi submetida. O dirigente garantiu que os riscos de paralisia não existem mais e que a pilota vai voltar às pistas
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Sophia Floersch em Macau (Foto: Van Amersfoort)

Frits van Amersfoort deu boas notícias sobre o estado de saúde de Sophia Flörsch. Nesta segunda-feira (19), o chefe da equipe que leva o seu nome e pela qual Sophia correu a temporada 2018 da F3 Europeia e o GP de Macau, afirmou que a pilota de 17 anos não corre mais riscos de paralisia após a bem-sucedida cirurgia de sete horas na coluna.
 
O dirigente explicou que a operação foi feita logo no dia seguinte para minimizar os riscos de danos permanentes na alemã e comentou que tudo deu certo e já não há mais o temor que Sophia perca os movimentos.
 
"Tudo está funcionando, está tudo em ordem. A paralisia era o maior medo. A operação precisou acontecer tão rapidamente por isso, porque temíamos que a medula espinhal pudesse ser danificada. Nós estamos extremamente felizes que agora ela está se recuperando e tudo tem ido muito bem. Não há mais risco de paralisa qualquer que seja", disse à emissora britânica 'BBC'.
Sophia Floersch bateu forte no GP de Macau (Foto: Reprodução/Facebook)
Van Amersfoort também mostrou-se extremamente otimista em relação ao retorno da pilota às pistas e falou que Sophia deve usar o inverno europeu para se recuperar.
 
"Tenho certeza que a Sophia vai voltar a correr. Felizmente o inverno está começando e aí ela vai ter bastante tempo para se recuperar. Tenho certeza que estará de volta. Quem tem o automobilismo na veia é assim, volta porque é o esporte que amamos", completou.
 
Os demais envolvidos no acidente também tiveram os quadros atualizados. Sho Tsuboi, o outro piloto envolvido na colisão, foi liberado do hospital na noite de domingo, bem como o fotógrafo Minami Hiroyuki. Chan Weng Wang, outro fotógrafo e que teve o rim dilacerado, deve ficar mais dez dias no hospital, enquanto o fiscal Chan Cha, que quebrou a mandíbula, pode ser liberado em três ou quatro dias.
Sophia Flörsch decola e acerta a cabine dos fotógrafos na Curva Lisboa em Macau (Foto: Macau Grand Prix)
O acidente
 
Sophia sofreu um acidente gravíssimo durante o GP de Macau deste domingo (18). A pilota de 17 anos chegou na curva Lisboa já sem controle do carro após toque em Jehan Daruvala e, virada ao contrário, subiu no carro de Sho Tsuboi antes de ser lançada violentamente por cima da grade. Sophia acabou batendo com a parte de cima do cockpit direto em um muro onde estavam alguns fotógrafos.
 
Apesar da dor nas costas e da fratura na coluna, Sophia foi às redes sociais quase que imediatamente depois para avisar que estava bem.
 
"Só gostaria de deixar todo mundo ciente de que estou bem, mas vou passar por uma cirurgia amanhã de manhã. Agradeço ao pessoal da FIA, da HWA, da Mercedes pelo cuidado que estão tendo comigo. Obrigado a todos pelas mensagens de apoio. Em breve atualizo", escreveu.
 
O incidente acabou deixando cinco pessoas hospitalizadas. Além de Sophia, que estava a 276 km/h, e Tsuboi, um fiscal de pista e dois fotógrafos também foram retirados e levados para o hospital geral Conde São Januário, próximo da pista de Macau.
 
Além da pilota com a fratura na coluna, Tsuboi se queixou de dores lombares quando deu entrada no hospital. O fiscal Chan Cha In teve dilaceração na face, fraturou a mandíbula e desgaste na parede abdominal.
 
O fotógrafo Chan Weng Wang teve dilaceração nos rins, enquanto o outro fotógrafo, Minami Hiroyuki, sofreu uma concussão.