‘Herdeira’ da F3 Euro, Euro Masters vive “pior momento” e foca em grid de 15 carros, diz equipe

A Euro Masters – campeonato que ‘herdou’ carros e calendário da F3 Europeia, agora fundida com GP3 – começa 2019 em clima de incerteza. Frits van Amersfoort, chefe da equipe que carrega o sobrenome, revela dificuldades para encher o grid

A transição dos dias de F3 Europeia para Euro Masters não acontece de forma tranquila. A nova categoria, agora servindo como preliminar de etapas do DTM, sofre para cativar a atenção de pilotos. Para Frits van Amersfoort, chefe da equipe Van Amersfoort, trata-se de um momento “horrível” para um campeonato que vai nascer com a meta de formar um grid de 15 carros.
 
“Esse é o pior momento de todos nos fórmulas quando você pensa na F3. O mercado [de pilotos] está muito ruim”, lamentou van Amersfoort, entrevistado pela revista ‘Autosport’. “Todos os campeonatos diferentes estão uns contra os outros a respeito de quantos pilotos terão. É horrível”, seguiu.
 
“Todos os dias eu falo para mim mesmo, ‘relaxa Frits, eles vão aparecer’, mas não é fácil. Eu tenho muita confiança de que podemos conseguir 14 ou 15 carros na European Masters para levar o campeonato adiante”, comentou.
 
Um grid de 15 carros já representa uma queda significativa para um campeonato que teve 27 participantes diferentes – 21 em tempo integral – durante 2018.
A Euro Masters substitui a F3 Euro, mas nasce com dificuldades (Foto: FIA F3)

A Euro Masters é fruto da mudança promovida pela FIA no sistema de formação de pilotos. Com duas das categorias promovidas pela federação – F3 Euro e GP3 – competindo pelo mesmo nicho, optou-se pela união dos campeonatos, competindo agora com o carro da GP3 e atendendo por FIA F3. A Euro Masters surgiu do ‘vácuo’ deixado pela F3 Euro, aproveitando o carro e a condição de campeonato suporte do DTM.
 
A solução da Euro Masters para atrair mais pilotos é modificar o formato da pré-temporada. Depois de inicialmente banir testes privados, permitindo apenas as atividades coletivas, o campeonato voltou atrás nesta quarta-feira (30). O objetivo é, com tempo de pista liberado em janeiro e fevereiro, afirmar-se como opção viável aos pilotos ainda sem planos definidos para 2019.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube