Peroni diz que “não lembra” de acidente na F3 e que “tem sorte por caminhar”

Alex Peroni retornou à Austrália, onde vai dar sequência ao processo de recuperação pós-acidente em Monza pela Fórmula 3. O piloto não precisou de cirurgia, mas vai passar até 40 dias em período de repouso absoluto por conta de vértebra fraturada

Alex Peroni, vítima de uma concussão e da fratura de uma vértebra no violento acidente em Monza pela Fórmula 3, já voltou para a Austrália. No país natal para a sequência do processo de recuperação, Peroni avaliou ser um cara de sorte por ainda conseguir caminhar normalmente.
 
“Eu apaguei durante a batida, então não me lembro”, disse Peroni. “Acho que é por isso que não fiquei traumatizado pela batida. Tenho muita sorte por estar caminhando e estou empolgado para voltar ao carro o mais cedo possível”, seguiu.
Alex Peroni conseguiu caminhar após sair do carro, mas não lembra o que aconteceu (Foto: Twitter)

“Fico muito feliz também por estar em casa. Claro que é um jeito bem ruim de terminar a temporada, tendo essa batida, mas estou pensando no futuro tanto quanto posso”, destacou.

 
A fratura na vértebra não exigiu cirurgia. Entretanto, o australiano precisa passar de 30 a 40 dias com equipamento protetor, além de repousar – preferencialmente passando boa parte do período deitado, o que ajuda na recuperação da coluna.
 
O repouso significa que Peroni não retorna ao grid da F3 para a rodada final, em Sóchi. O piloto ainda não tem planos concretos para a temporada 2020, quando planeja um retorno completo às pistas.
 

Paddockast #33
10 ANOS DE SECA BRASILEIRA NA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube