Melhores do Ano: leitores do GRANDE PRÊMIO elegem Verstappen melhor piloto. Williams é decepção de 2016

A última leva de vencedores do Melhores do Ano tem Indy, F-E, rali/turismo/Nascar, cena e decepção do ano, melhor piloto que compete em categorias brasileiras e, obviamente, o melhor piloto de 2016

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Após a revelação dos primeiros nomes eleitos pelo voto dos leitores, nesta sexta-feira (30), é hora de mostrar a segunda e última leva de vencedores do Melhores do Ano do GRANDE PRÊMIO

 
Na segunda parte do resultado final da eleição, os melhores da Indy, da F-E, de Nascar/Turismo/Rali, além da cena e da decepção do ano, do melhor piloto que compete no Brasil e, é claro, o melhor piloto de 2016.

Lenha para queimar

Helio Castroneves não conseguiu o tão sonhado título da Indy, mas garantiu o prêmio de melhor piloto da categoria. Para 37% dos leitores do GP, o brasileiro foi o grande destaque de 2016, em votação bastante apertada com seu companheiro de Penske Will Power, que terminou o ano com o vice-campeonato.

Campeão e dominante durante praticamente toda a temporada, Simon Pagenaud foi apenas o terceiro mais votado, conquistando um pouco menos da metade da porcentagem de Castroneves.

Helio Castroneves foi eleito o melhor da Indy em 2016 (Foto: IndyCar)
O brasileiro do ano

Lucas Di Grassi foi mesmo o grande nome do Brasil no automobilismo mundial. O paulista também levou a melhor nos votos da F-E, tendo 64% da preferência na categoria em que foi vice-campeão.

Sébastien Buemi até conseguiu fechar o campeonato na frente do brasileiro, mas nos Melhores do Ano terminou em segundo, recebendo quase três vezes menos votos que Di Grassi.

Di Grassi ganhou na categoria F-E (Foto: Reprodução)
Fenômeno francês

Sébastien Ogier é um dos grandes fenômenos do automobilismo atual. O francês de 33 anos buscou, em 2016, o tetracampeonato consecutivo do Mundial de Rali, levando a melhor também na votação popular, sendo eleito com 38% dos votos o melhor piloto de rali/turismo/Nascar.

A categoria, aliás, foi a mais disputada de todas, com todos os candidatos recebendo mais de 13%. O segundo mais votado foi José María López, tricampeão do WTCC e agora na F-E. Em terceiro, fechando o pódio, veio Jimmie Johnson, pentacampeão da Nascar.

Sébastien Ogieré um fenômeno do Mundial de Rali (Foto: FIA)
Regularidade premiada

Rubens Barrichello foi mais um dos destaques da temporada 2016. O veterano entendeu que não tinha equipamento para brigar de igual para igual com Felipe Fraga na Stock Car e resolveu ganhar terreno na base da estratégia, dominando as segundas corridas dos finais de semana. No fim, o paulista foi vice-campeão, mas levou o prêmio Melhores do Ano com 55% dos votos.

Fraga, o campeão mais jovem da história da categoria, foi o segundo mais bem votado, com 29% do público ao seu lado. Um surpreendente Diego Nunes fechou o pódio.

Rubens Barrichello ficou perto do título. O sonho do bi fica para 2017 (Foto: Fábio Davini/Vicar)
Depois de um passo para frente, vários para trás

A Williams renasceu em 2014 e, em 2015, conseguiu se manter perto do topo. Nesta temporada, porém, despencou, fechando no quinto lugar no Mundial de Construtores e sendo eleita a grande decepção do automobilismo em 2016, com 30%.

Outra equipe da F1 apareceu no pódio na categoria decepção. A Ferrari, que prometia brigar com a Mercedes, fechou atrás até da Red Bull, sendo lembrada por 24% dos votantes. Na frente da escuderia italiana ficou um piloto da própria Ferrari. Sebastian Vettel, apagado o ano todo, recebeu 25% dos votos.

A Williams foi a grande decepção de 2016 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Todo mundo chorou

A emocionante despedida de Felipe Massa em Interlagos não poderia perder o título de cena do ano. O brasileiro bateu e causou uma bandeira amarela que parecia feita sob medida para que se despedisse de todos. A cena recebeu 50% dos votos.

O segundo lugar teve um empate em 21%. O dramático abandono da Toyota nos instantes finais das 24 Horas de Le Mans ficou junto com a celebração do título inédito de Nico Rosberg.

Felipe Massa emocionou na despedida (Foto: Glenn Dunbar/Williams)
Moleque bom

O prêmio de melhor piloto do ano teve uma grande surpresa. Contrariando a lógica dos últimos anos, o eleito na categoria F1 não foi o mesmo que venceu o prêmio geral. O escolhido do público foi o avassalador jovem Max Verstappen, que recebeu 39% da preferência popular.

Lewis Hamilton, que ganhou na categoria F1, ficou com a segunda posição, ganhando bons 30%. O campeão Rosberg foi o terceiro, com 24%. Marc Márquez, campeão da MotoGP, e Sébastien Buemi, campeão da F-E, completaram o rol dos cinco melhores do ano.

Max Verstappen: o piloto do ano (Foto: Red Bull Content Pool)
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube