Tozzo vai ao pódio na corrida 2 do BR de Marcas e dedica resultado à cidade natal de Chapecó: “Está em lágrimas”

Felipe Tozzo foi aguerrido e, sob chuva, segurou o terceiro lugar na corrida 2 do Brasileiro de Marcas. É a forma que o chapecoense Tozzo encontrou de homenagear a cidade de Chapecó, atingida pela tragédia com o voo 2933 da LaMia

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Felipe Tozzo, sobrinho do novo presidente da Chapecoense Ivan Tozzo, viveu dias muito difíceis. Desde a queda do voo 2933 da LaMia nas redondezas de Medellín, na Colômbia, Felipe só teve cabeça para a tragédia. 71 pessoas perderam a vida em um acidente que devastou a pequena Chapecó, cidade do oeste catarinense. Neste domingo (11), uma alegria: o pódio na corrida 2 do Brasileiro de Marcas foi o sol depois da tempestade.
 
Tozzo foi o terceiro colocado em uma corrida exigente. A chuva caiu forte em Interlagos, mas Felipe batalhou para se manter no alto da tabela. Ultrapassando e sendo ultrapassado, o terceiro lugar foi mantido. Mas isso era muito pequeno perto do que acontece em Chapecó.
 
“Se eu disser que tinha vontade de vir, estarei mentindo”, admitiu Tozzo. “Amo automobilismo, mas não tinha vontade nenhuma de estar aqui. Tenho um respeito muito grande pelas pessoas que confiam em mim, minha equipe, são pessoas sensacionais que moram dentro do meu coração. Eu não podia deixar eles na mão”, seguiu.
Felipe Tozzo (Foto: Fábio Davini/Vicar)

“A minha cidade está em lágrimas, minha cidade está devastada e eu queria prestar uma homenagem para eles. Não só aos jogadores, comissão técnica, todos que estavam naquele avião. Perdi amigos, pessoas que convivi diariamente. Foi muito difícil para todos de lá. Queria dedicar isso a Chapecó. Merecia um pouco de felicidade agora, dedico para eles”, continuou.

 
O ponto alto da corrida de Tozzo foi a ultrapassagem sobre Carlos Souza, na chicane da Curva do Café. Felipe tracionou melhor do que o adversário e bateu rodas para tomar o segundo posto. O problema é que o toque resultou em perda de rendimento.
 
“Meu carro piorou muito. Desalinhou, não virar direito para a direita, e isso me fez perder um pouco de rendimento e a segunda colocação. Graças a Deus consegui segurar o pódio”, finalizou.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube