Rossi faz mistério sobre equipe, mas diz que já tem contrato assinado na Indy 2023

Alexander Rossi revelou que acertou um novo vínculo para permanecer na categoria e que os detalhes devem ser divulgados nas próximas três ou quatro semanas

FÓRMULA INDY: HERTA DÁ SHOW NA PISTA MOLHADA E GANHA CONFIANÇA ANTES DA INDY 500

Alexander Rossi já assinou um novo contrato e pode estar de mudança na Indy. Os rumores são de que o americano estaria acertado com a McLaren para 2023. Em entrevista ao site Motorsport.com, o vencedor da Indy 500 em 2016 confirmou que já tem um vínculo para o próximo ano, mas não revelou com qual equipe. De acordo com Rossi, os detalhes serão divulgados nas próximas três a quatro semanas.

Depois de brigar pelo título da Indy em 2018 e 2019, o americano não vence uma corrida há três anos, mas afirmou que ainda tem como grande objetivo o título da categoria. “Quero ganhar o campeonato. É tudo sobre o campeonato para mim. A Indy 500 é incrível, é ótima, mas a maior motivação para mim no domingo é a chance de ganhar o dobro de pontos”, disse Alexander, que vai largar na 20ª colocação nas 500 Milhas de Indianápolis de 2022.

Questionado sobre quantas equipes acredita que possam levar o campeonato, Rossi foi direto: “Três”. Quando perguntado se a Andretti seria um desses times, o americano despistou: “Faz muito tempo que não ganhamos. Basta olhar para as estatísticas: tivemos 2012 com Ryan [Hunter-Reay], e nada desde então”.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Alexander Rossi quer voltar a brigar pelo título da Indy (Foto: IndyCar)

“Na última década duas equipes dominaram o campeonato [Ganassi e Penske] e agora acho que há três equipes capazes de vencer. Nossos carros são rápidos o suficiente para vencer, eu sempre digo às pessoas que nossos carros têm potencial para vencer campeonatos, são rápidos em quase todos os lugares que vamos”, prosseguiu Alexander.

As declarações do americano dão a entender que ele está de fato de saída da Andretti depois de cinco anos. Além da insatisfação de não ter brigado pelo título nos últimos anos, Rossi também expressou sua frustração com a falta de empenho da equipe para ajustar os pequenos detalhes, como, por exemplo, os pit-stops.

LEIA MAIS: Maldição da pole? Em que lugar a história diz que é melhor largar na Indy 500

Alexander Rossi foi o grande vencedor da Indy 500 em 2016 (Foto: IndyCar)

“A equipe está bem ciente das minhas frustrações com os pit-stops e eles estão fazendo o possível para resolver isso. Me disseram que o melhor grupo disponível de pessoas estará no meu carro para as 500 Milhas de Indianápolis e acredito neles. Dentro da equipe, as relações são ótimas, o departamento de engenharia é um dos melhores, talvez o melhor da IndyCar. Minhas frustrações estão nos pequenos detalhes, e, quando as coisas são tão competitivas quanto aqui, você tem que ter tudo”, explicou o ex-piloto da Fórmula 1.

“Não estou dizendo que todas as outras equipes são perfeitas, isso seria insano, mas venho expressando minhas preocupações nos últimos dois anos. Algumas foram corrigidas, não me interpretem mal, mas outras não. Isso é uma grande frustração, os pequenos detalhes, porque, como eu digo o tempo todo, nossos carros de corrida continuam ficando mais rápidos. Temos carros realmente ótimos”, concluiu o americano.

Rossi tem como melhor resultado na atual temporada um oitavo lugar no GP de Long Beach e ocupa apenas a 15ª colocação no campeonato. A Indy retorna neste domingo, dia 29 de maio, para a 106ª edição das 500 Milhas de Indianápolis, com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar