Após problemas da primeira edição, Indy decide retirar GP da Luisiana do calendário para 2016

Os problemas climáticas, competitivos, de promoção e público do primeiro GP da Luisiana, em abril passado, fez com que a Indy confirmasse que a prova está fora do calendário para 2016. Responsáveis pelo autódromo de Nova Orleans querem prova de volta em 2017

Não durou muito – para dizer o mínimo – a passagem do autódromo de Nova Orleans no calendário da Indy. Após ser sede de testes coletivos e receber a primeira edição do GP da Luisiana por lá, o autódromo foi excluído do calendário da categoria para a temporada 2016. 
 
O calendário em si ainda não foi desfraldado, mas oficiais da categoria já informaram a mudança. A corrida por lá foi a segunda da temporada, em abril, e acabou marcada por uma infinidade de bandeiras amarelas, além de uma promoção abaixo da crítica – cerca de 10 mil pessoas apenas estiveram nas arquibancadas para assistir a corrida.
Chuva assola boxes no NOLA no domingo da corrida (Foto: IndyCar)
A presidente do autódromo de Nova Orleans, Kristen Engeron, confirmou ao jornal local 'New Orleans Advocate' que a Indy confirmou nos úlitmos dias que não voltaria lá. Mas Engeron afirma seguir nas conversas para que a categoria volte em 2017 e adiante.
 
"A Indy não entrou em muitos detalhes. Continuamos em conversas com eles sobre nos colocar no calendário para 2017 e para os anos depois disso", disse a presidente.
 
Além de Nola, os ovais de Milwaukee e Pocono são outras etapas a perigo para voltarem no próximo ano. A Indy já confirmou que duas corridas que não aconteceram em 2015, em Road America e uma pelas ruas de Boston, entram. Phoenix é outra cidade que tem fortes chances de ingressar.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube