Indy

Hinchcliffe saiu por “oportunidade de mercado” e foco em longo prazo, diz McLaren

Não pegou bem para a McLaren trocar James Hinchcliffe por Pato O'Ward e Oliver Askew, Zak Brown sabe, mas garante que o time pensou lá na frente com dois jovens de potencial

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Poucas coisas tiveram tanta repercussão negativa entre os fãs nos últimos tempos na Indy quanto a saída de James Hinchcliffe da McLaren. Confirmado anteriormente para 2020, o canadense foi sacado de última hora, preterido pelos jovens Pato O'Ward e Oliver Askew. Chefão do time, Zak Brown sabe que foi bem impopular na escolha, mas defende que foi tudo pensando no futuro da equipe.
 
O norte-americano reconheceu que não foi o que os torcedores esperavam, mas lembrou que o mundo do automobilismo é dinâmico e que existem outros interesses além da escolha do público e do próprio time. Ainda, brincou com a semelhança de Pato com Carlos Sainz Jr, dois ex-Red Bull, citando o sucesso do espanhol na F1.
 
"Sei bem de como foi impopular a decisão pensando nos fãs do James, entendo totalmente. E, sim, eu vejo os comentários, sei que fizemos alguns comentários falando que ele seria nosso piloto, mas, naqueles momentos, ele realmente seria nosso piloto. Só que, nos negócios e no automobilismo, as coisas mudam rapidamente. Tem muita gente envolvida, acionistas, o Pato foi para o mercado e nós gostamos de pilotos da Red Bull que ficam no mercado, eles costumam ser muito bons! Aí, consultamos os acionistas, achamos que era o melhor para o time", disse.
James Hinchcliffe e os fãs da Indy foram pegos de surpresa (Foto: IndyCar)
Brown ainda garantiu que, por mais que não seja o cenário ideal, vão seguir pagando Hinch normalmente seguindo o acordo, mas sem a vaga no grid.
 
"Para ter Pato e Oliver, dois pilotos que achamos que têm potencial para serem grandes estrelas, achamos que a dura decisão era a decisão certa para o time. Ainda que a gente tenha tirado a vaga do Hinchcliffe, vamos seguir cumprindo o contrato, continuaremos o pagando. Obviamente, piloto gosta de correr, então, entendo a frustração", seguiu.
 
Zak ainda garantiu que torce para James se reposicionar no grid, mas colocou o canadense como um candidato ao terceiro carro na Indy 500. Por fim, falou que O'Ward e Askew são para anos e anos.
 
"Ele é um cara muito popular, tem muitos patrocinadores, teve apoio da Honda por muito tempo, espero que ele esteja no grid. Nós gostaríamos de tê-lo conosco, mas tomamos uma decisão pensando no longo prazo. Sabemos que é uma decisão polêmica, mas estamos muito animados por ter uma dupla tão jovem, os dois últimos campeões da Indy Lights, sei que muita gente vai ficar de olho em tudo que eles fizerem. Fizemos o melhor para a equipe, o que não necessariamente foi a decisão mais popular. O importante é que a galera se empolgue com a nossa dupla, vi muita frustração, mas também muita empolgação", completou.
 
Paddockast #40
QUEM VOCÊ ENTREVISTARIA NO GP DO BRASIL?


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.