Honda fala sobre futuro elétrico e apoia chegada de nova montadora na Indy

David Salters, presidente da Honda, falou sobre uma potencial mudança da Indy em caminho elétrico e negou insatisfação com a entrada de terceira montadora que criará sistema híbrido

ASTON MARTIN NA F1 E YAMAHA NA MOTOGP: ANÚNCIOS QUE SURPRENDEM ZERO PESSOAS | WGP

A Indy passará por uma mudança de regulamento em 2023 com a entrada dos motores híbridos. Além de Chevrolet e Honda. uma terceira montadora, ainda não divulgada, entra no campeonato e será a responsável por construir a tecnologia, o que não incomoda a fábrica japonesa, que atualmente lidera o campeonato com Álex Palou, da Ganassi, que guia o #10 de motor Honda.

O novo motor será de 2.4 litros com sistema de combustão interna e a introdução do KERS, sistema de recuperação de energia cinética. Por efeitos da COVID-19, a produção do KERS terá de ser atrasada e só pode ser concluída e preparada para uso em 2023.

Em entrevista ao site norte-americano Motorsport.com, David Salters, presidente da Honda Performance Development, falou sobre a possível chance da eletrificação total da Indy no futuro.

“Sim, é uma tecnologia relevante, é a eletrificação. Acho que pode ser interessante. É relevante aos nossos engenheiros, fazemos alguns carros híbridos muito bons, então podemos aproveitar esta habilidade. Há duas coisas nisso: vamos mudar para os híbridos, mas também competimos atualmente com um biocombustível eficaz, o E85 – 85% de etanol. Então estamos aprendendo sobre essas coisas também, estamos ansiosos por isso”, comentou Salters.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Honda está com Álex Palou (Foto: IndyCar)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Mesmo com a limitação por conta da entrada da terceira montadora, Salters também acredita que a Honda terá um importante desafio de engenharia a partir de 2023 e negou frustração.

“Bem, estamos ajudando. É do interesse de todos fazer com que funciona. Há muita tecnologia de origem, e muito disso trata de aplicá-la e integrá-la, fazendo com que funcione em conjunto. Você pode dizer que isso é parte do desafio. Ainda há muito a aprender, é bom para os engenheiros, precisamos estar em alguma forma de eletrificação adicional e isso ajudará os engenheiros a aprender e pensar lateralmente sobre como integrá-lo e aproveitar ao máximo esse sistema”, completou.

Na Indy, a Honda fornece motores para Andretti, Ganassi, Dale Coyne, Meyer Shank e Rahal. A próxima etapa do campeonato acontece neste domingo (19), no circuito de Laguna Seca, em Monterey, Califórnia, Estados Unidos.

SORTE SORRI PARA PALOU NA INDY. BAGNAIA FINALMENTE VENCE | Paddock Plus

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar