Hunter-Reay vence em Pocono prova marcada por acidente fortíssimo com Wilson. Montoya é 3º e Rahal abandona

Ryan Hunter-Reay mostrou muito talento e venceu a etapa de Pocono com uma grande relargada nas voltas finais. Gabby Chaves fez grande prova, mas abandonou no fim com um estouro do motor. A corrida ficou marcada por um acidente fortíssimo de Justin Wilson, que foi acertado por um pedaço da asa de Sage Karam e bateu com força no muro

determinarTipoPlayer(“15583895”, “2”, “0”);

A etapa de Pocono da Indy, disputada neste domingo (23), foi marcada por grandes disputas e uma série de acidentes. O mais grave deles foi com Justin Wilson, que foi acertado no capacete por um pedaço da asa de Sage Karam quando o americano bateu com força no muro. Wilson teve, inclusive, de ser removido da pista de helicóptero. Na prova, cheia de amarelas, melhor para o experiente Ryan Hunter-Reay. O americano foi primoroso na última relargada e superou Gabby Chaves e Takuma Sato para vencer pela segunda vez na temporada.

Chamou a atenção que Michael Andretti não esboçou qualquer comemoração com o triunfo de seu piloto. Pelo contrário, o chefe do time parecia completamente abalado com o acidente de Wilson.

A segunda colocação ficou com o sempre competente Josef Newgarden, que esteve na disputa pela primeiras colocações o tempo inteiro. Extremamente cauteloso, Juan Pablo Montoya descolou um excelente terceiro lugar.

Principal concorrente de Montoya até a prova deste domingo, Graham Rahal acabou acertado por Tristan Vautier, foi para o muro e abandonou.

Will Power fez prova conturbada, mas chegou ainda em quarto. Carlos Muñoz foi o quinto, Takuma Sato ficou em sexto, seguido por Simon Pagenaud, Ryan Briscoe, Scott Dixon e James Jakes.

Tanto Helio Castroneves quanto Tony Kanaan sofreram acidentes, abandonando a corrida em Pocono mais cedo.

Ryan Hunter-Reay venceu a prova em Pocono (Foto: IndyCar)

Confira como foi a etapa em Pocono:

A primeira tentativa de largada para a etapa de Pocono a Indy aconteceu às 15h45 (em Brasília). Entretanto, a direção de prova resolveu dar mais uma volta por Helio Castroneves ter começado a acelerar antes da hora. 

 
A segunda tentativa também foi em vão, com o piloto brasileiro novamente saindo antes da hora. Na terceira volta, tudo certo, com Josef Newgarden fazendo uma largada fantástica e escapando em primeiro. Simon Pagenaud vinha em segundo, com Castroneves na sequência.
 
Tony Kanaan vinha em nono, logo atrás de Ryan Hunter-Reay. Juan Pablo Montoya ganhou uma posição e era 18º após o primeiro giro com ação da corrida.
 
E o bom final de semana de Pippa Mann acabou de péssima maneira. Com problema no motor, a inglesa já ia com seu carro para os boxes lentamente.
 
Newgarden seguia firme na ponta, com Pagenaud próximo. Um pouco mais atrás, mas sem receber assédio de Wilson, vinha Castroneves.

Montoya começava a se recuperar e já entrava no bolo em 14º. O colombiano, entretanto, encontrava resistência do compatriota Gabby Chaves.
Na volta 20, o segundo piloto com problemas ia para os boxes. Não era nenhuma novidade, convenhamos, ver Stefano Coletti já tendo dificuldades e saindo totalmente da disputa da prova. A temporada 2015 do monegasco da KV seguia fraquíssima.
 
Newgarden completava a 25ª volta com a dianteira. Pagenaud seguia menos de 1s atrasado, com Castroneves pouco atrás. O top-5 seguia o mesmo com Wilson e Power.
 
A volta 29 marcou a primeira parada de um dos líderes. Newgarden foi aos boxes, acompanhado de Tristan Vautier, Jack Hawksworth, Wilson, Muñoz, Dixon, Ryan Hunter-Reay, Kanaan e Ryan Briscoe.
 
Quando todos já realizavam as suas paradas, Hawksworth aparecia sem a roda traseira esquerda. Logo na primeira volta do segundo stint, o inglês da Foyt perdeu o pneu, que foi parar no meio da pista e, por muito pouco, não acertou Sage Karam e Montoya.
Com as paradas realizadas, Newgarden tornava a ser primeiro. Wilson vinha em segundo, seguido por Muñoz, Dixon, Kanaan, Hunter-Reay, Briscoe, Rahal, Ed Carpenter e James Jakes.
Acidente entre Graham Rahal e Tristan Vautier complicou a vida do americano (Foto: IndyCar)
A relargada veio na volta 37, com Newgarden segurando Wilson e Muñoz e Sébastien Bourdais indo direto para o muro. Assim, saía da corrida um candidato ao título – ainda que as chances fossem remotas. Nova paralisação na prova.
 
Aproveitando a bandeira amarela, Castroneves, Vautier e Takuma Sato foram para a segunda parada. Enquanto isto, Jimmy Vasser, chefe da KV, dizia não saber o que causou a batida de Bourdais.
 
Na volta 42, mais uma relargada, desta vez com a pressão de Wilson sendo ainda maior. Novamente, Newgarden não cedeu aos assédios dos rivais e manteve a ponta. 
 
Lá atrás, Rahal por muito pouco não acertava em cheio o carro de Briscoe. O australiano levou a pior, ficando com o carro desequilibrado e quase tocando em Ed Carpenter e, depois, Montoya.
 
Na entrevista depois do abandono, Bourdais reconheceu que foi pelo lado sujo, mas reclamou dos fiscais que não limparam a pista toda.
 
Kanaan vinha com bom ritmo e, na volta 50, conseguia superar Muñoz. Em outro duelo Andretti vs Ganassi, Hunter-Reay tirava Dixon da frente para ser quinto.
 
Os dois principais candidatos ao título da temporada vinham próximos: Rahal em sétimo e Montoya em nono.
 
O rendimento de Kanaan era realmente espetacular. O baiano partiu para cima de Wilson, tirou o inglês do caminho e, na sequência, não tomou conhecimento de Newgarden para virar líder.
Kanaan e Newgarden abriram nova rodada de paradas na volta 66. Assim, a Andretti vinha com uma trinca na dianteira: Hunter-Reay, Muñoz e Wilson.
 
Pagenaud então vinha na ponta com as paradas realizadas. Hunter-Reay era segundo, trazendo consigo Kanaan. Montoya fazia prova espetacular e já era quarto, seguido pelo compatriota Muñoz.
 
Muñoz e Montoya, então, começaram a discutir posição e quem se deu muito bem foi Castroneves. O brasileiro deixou os dois colombianos para trás e, logo depois, passou Kanaan. Duas voltas foram o necessário para que o paulista já tirasse Hunter-Reay e Pagenaud da frente, voltando à liderança.
 
Na volta 84, Hawksworth escapou de traseira, tocou Kimball e ambos foram se arrastando pelo muro, causando mais uma bandeira amarela. Uma vez mais, os pilotos aproveitaram a ocasião para mais uma rodada de pit-stops.
 
Power, então, resolveu aparecer na corrida de maneira patética. O australiano rodou completamente sozinho já na saída dos boxes.
 
Castroneves seguia líder, Pagenaud vinha atrás, na sequência apareciam Kanaan, Karam, Montoya, Hunter-Reay, Jakes, Briscoe, Carpenter e Dixon.
 
A relargada veio na 92ª e, então, Rahal viu suas chances de título praticamente desaparecerem. Em uma esquisitíssima linha de três, Vautier pisou na grama, tocou Rahal e o piloto da RLL foi com tudo no muro. Ambos deixaram a prova e o americano por pouco não chegou às vias de fato com o francês.
 

determinarTipoPlayer(“15583836”, “2”, “0”);

Novamente, a bandeira amarela foi acionada. Com metade da prova superada, Kanaan vinha liderando. Pagenaud, Karam, Castroneves, Montoya, Hunter-Reay, Jakes, Briscoe, Dixon e Muñoz fechavam o top-10.

A relargada foi muito boa para Pagenaud. O francês tomou a ponta e trouxe junto Karam, enquanto Kanaan e Castroneves brigavam pelo terceiro posto. A prova ganhou novo ponteiro na volta 106: Karam, com ritmo muito bom.
 
Não demorou muito para que outra bandeira amarela acontecesse. Jakes tocou na traseira de Carpenter e a carenagem do americano saiu voando. Nova rodada de paradas para os pilotos. Sem ir aos boxes, Chaves tomava a liderança provisoriamente. 
 
Só que a liderança de Chaves não durou quase nada. A relargada veio na volta 115, com Power imediatamente mergulhando para ser ponteiro. Mas o ritmo do piloto da Bryan Herta estava longe de ser ruim e, no giro seguinte, o colombiano tornava a ser líder. 
 
A volta 118 proporcionou um dos grandes momentos da corrida em Pocono. Muñoz, Dixon, Kanaan e Montoya formaram uma linha de quatro na reta principal, com o piloto da Andretti saindo na frente.

A corrida vinha com uma boa sequência de voltas, Chaves ia para finalmente trocar seus pneus, enquanto Kanaan perdia o controle do carro e tinha mais uma forte batida na prova. 132 voltas completadas, nova amarela. 17 pilotos apenas no mesmo giro.

O grupo novamente foi para os boxes e, inacreditavelmente, Power voltou a ter problemas, com o carro engasgando na saída e tornando a perder posições.

A relargada veio – e a nova bandeira amarela também. Agora, era Marco Andretti, apagadíssimo no final de semana, que batia e dava adeus definitivo ao sonho de ser campeão. A batida foi forte, deixando o americano um pouco atordoado e paralisando por muito tempo a corrida. Andretti ficou com os joelhos machucados também no acidente.

Na volta 148, ainda com bandeira amarela, Power e Kimball tentaram mexer na estratégia. Ambos foram aos boxes tentando evitar que tivessem de poupar combustível no fim.

Nova relargada aconteceu no giro seguinte. Pagenaud seguia na frente, Karam vinha logo atas, Hunter-Reay, Muñoz, Newgarden, Chaves, Dixon, Montoya, Sato e Castroneves também figuravam no top-10.
 
A liderança trocaria de mãos duas voltas mais tarde. Hunter-Reay apertava e tirava Pagenaud da ponta, enquanto seu companheiro Muñoz formava uma linha de três com Karam e Newgarden atrás do terceiro posto.
 
Montoya seguia impressionando pela cautela e tranquilidade na prova. Sabendo do abandono de seu principal rival no campeonato, o colombiano só tratava de ficar longe de problemas e era sétimo, sem forçar ou se defender exageradamente. 

A quantidade de pilotos na briga seguia diminuindo. Com 40 voltas para o fim, Carpenter recolhia seu carro com problemas mecânicos. Então, foi hora da bandeira amarela mais bizarra do dia: uma raposa cruzou a pista de Pocono, mudando a estratégia de todo mundo. Assim, o pelotão tornou a ir para os boxes.

Newgarden teve grandes momentos na prova inteira e fechou em segundo (Foto: AP)

A relargada veio com 34 voltas para o final. E ela foi um tanto conturbada: sete pilotos chegaram a ficar lado a lado. No fim das contas, Castroneves se deu mal e foi parar o muro após ir para o lado sujo, dando adeus para o campeonato. Dos candidatos, seguiam na pista apenas Montoya, Dixon, Power e Newgarden.

Mais uma ida aos boxes e Dixon com um problemaço pela frente: o neozelandês teve dificuldades nos pits e perdeu muito tempo, indo parar em 14º, último dentre os que seguiam na disputa.

Antes da relargada, Hunter-Reay era quem puxava o pelotão. Atrás dele vinham: Sato, Newgarden, Karam, Chaves, Montoya, Briscoe, Power, Pagenaud e Muñoz.
 
E Newgarden tornou a fazer grande relargada, desta vez com 28 voltas para o final. O americano saltou na frente, ainda que logo depois tenha sido superado por Sato. 
 
Newgarden foi perdendo força e quem vinha escalando o pelotão era Montoya. Sato não fez grande volta e a liderança caiu no colo de Karam com 26 giros restantes. Montoya, na dele, era quinto. Chaves seguia brilhando intensamente e era terceiro.
 
Com 21 voltas para o final, dois acidentes fortíssimos voltaram a parar a corrida. Primeiro foi o então líder Karam que foi para o muro. Logo depois, foi Wilson quem também bateu com violência. O americano da Ganassi deixou o carro claramente atordoado, até mancando, mas bem. A situação do inglês da Andretti preocupava mais.

Na repetição, percebeu-se que um pedaço da asa de Karam voou e bateu exatamente no capacete de Wilson. O inglês, então, foi direto no muro. Restavam 12 pilotos na disputa da prova e Wilson era removido da pista de helicóptero. 

Karam e Wilson se envolveram em um forte acidente (Foto: Reprodução/TV)

Depois de muito tempo de paralisação, a direção de prova optou por dar a bandeira verde com sete voltas para o fim da corrida. Chaves era o líder. A nova saída veio, e ele conseguiu segurar os ataques de Sato. Pouco atrás, Hunter-Reay já superava Montoya, que não parecia nada desconfortável na quarta colocação.

No giro seguinte, Hunter-Reay foi para a dianteira. O americano tirou Sato e Chaves da frente em uma tacada só.

No fim, um castigo para Chaves: seu motor Honda estourou e o que tinha tudo para ser um resultado histórico, virou um amargo 11º lugar. 

Com bandeira amarela, Hunter-Reay cruzou a linha final na frente, com Newgarden e Montoya fechando o pódio.

Ryan Hunter-Reay vence as 500 Milhas de Pocono (Foto: AP)

Indy, 500 Milhas de Pocono, final:

1 28 RYAN HUNTER-REAY EUA ANDRETTI HONDA 200 voltas 3:25:08.109
2 67 JOSEF NEWGARDEN EUA CFH CHEVROLET +0.105  
3 2 JUAN PABLO MONTOYA COL PENSKE CHEVROLET +0.570  
4 1 WILL POWER AUS PENSKE CHEVROLET +1.471  
5 26 CARLOS MUÑOZ COL ANDRETTI HONDA +2.000  
6 14 TAKUMA SATO JAP FOYT HONDA +3.517  
7 22 SIMON PAGENAUD FRA PENSKE CHEVROLET +4.503  
8 5 RYAN BRISCOE AUS SCHMIDT PETERSON HONDA +4.800  
9 9 SCOTT DIXON NZL GANASSI CHEVROLET +5.686  
10 7 JAMES JAKES ING SCHMIDT PETERSON HONDA +6.299  
11 98 GABBY CHAVES COL BRYAN HERTA HONDA +3 voltas NC
12 83 CHARLIE KIMBALL EUA GANASSI CHEVROLET +7 voltas NC
13 18 PIPPA MANN ING DALE COYNE HONDA +15 voltas NC
14 8 SAGE KARAM EUA GANASSI CHEVROLET +21 voltas NC
15 25 JUSTIN WILSON ING ANDRETTI HONDA +21 voltas NC
16 3 HELIO CASTRONEVES BRA PENSKE CHEVROLET +34 voltas NC
17 20 ED CARPENTER EUA CFH CHEVROLET +44 voltas NC
18 27 MARCO ANDRETTI EUA ANDRETTI HONDA +62 voltas NC
19 10 TONY KANAAN BRA GANASSI CHEVROLET +69 voltas NC
20 15 GRAHAM RAHAL EUA RLL HONDA +108 voltas NC
21 19 TRISTAN VAUTIER FRA DALE COYNE HONDA +108 voltas NC
22 41 JACK HAWKSWORTH ING FOYT HONDA +118 voltas NC
23 11 SÉBASTIEN BOURDAIS FRA KV CHEVROLET +164 voltas NC
24 4 STEFANO COLETTI MCO KV CHEVROLET +181 voltas NC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube