“Imensamente empolgado”, Alonso aposta em adaptação rápida ao carro da Indy, mas garante retorno à F1 no Canadá

Fernando Alonso não escondeu o quanto está maravilhado com a chance de buscar um novo desafio com a disputa das 500 Milhas de Indianápolis neste ano. O bicampeão mundial de F1 vai seguir para os Estados Unidos para os testes com o carro da McLaren-Andretti-Honda tão logo encerre sua participação no GP da Espanha, em maio

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Fernando Alonso vai realizar um grande sonho na carreira e disputar as 500 Milhas de Indianápolis pela primeira vez em 2017. E com todo o suporte da McLaren, que vai retornar ao grid da maior corrida do mundo em parceria com a Andretti e a Honda. A grande bomba foi anunciada ao mundo na manhã desta quarta-feira (12). Uma notícia que choca o esporte a motor de tão surpreendente que é, mas é um motivo a mais para animar o bicampeão do mundo, hoje sem tantas perspectivas de bons resultados na F1. O que Fernando quer, mais do que tudo, é fazer história e tentar buscar a tão sonhada Tríplice Coroa.

 
Mas o espanhol garante que vai voltar à F1 tão logo dispute a Indy 500 no fim do mês. Por conta da sua participação em Indianápolis, Alonso vai perder o GP de Mônaco, marcado para o mesmo dia, sempre o último domingo de maio, neste ano sendo o dia 28..
 
“Estou imensamente empolgado porque vou correr neste ano a Indy 500 com a McLaren, Honda e a Andretti Autosport. A Indy 500 é uma das mais famosas corridas do calendário do esporte a motor, rivalizando somente com as 24 Horas de Le Mans e com o GP de Mônaco, e é claro que é um arrependimento não conseguir correr em Mônaco neste ano”, afirmou o espanhol.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Fernando Alonso e a cúpula da McLaren no anúncio mais surpreendente de 2017 (Foto: McLaren)
“Mas Mônaco vai ser a única corrida em 2017 que eu vou perder [na F1] e vou voltar ao cockpit da McLaren-Honda MCL32 para o GP do Canadá em Montreal no começo de junho”, assegurou o bicampeão do mundo, que aposta em adaptação rápida com o carro da Indy.
 
“Jamais corri em um carro da Indy antes, e jamais guiei em um superoval, mas estou confiante de que vou me adaptar rapidamente. Já assisti muitas corridas da Indy pela TV e on line, e está claro que é preciso de muita precisão para correr de forma tão próxima dos outros carros a mais de 350 km/h”, comentou.
 
“Percebo que vou estar em uma curva íngreme de aprendizado, então vou voar de Barcelona para Indianápolis logo depois do GP da Espanha para testar nosso McLaren-Honda-Andretti a partir de 15 de maio, e espero acumular o máximo de milhas a cada dia, e sei o quão bons são os caras da Andretti Autosport. Vou estar orgulhoso por correr com eles e pretendo tirar o máximo do conhecimento e experiência deles o quanto puder”, elogiou o bicampeão.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Alonso já teve a chance de triunfar em Mônaco em 2006, com a Renault, e em 2007, com a McLaren. O sonho maior do espanhol de 35 anos é realizar uma façanha só antes lograda por Graham Hill, que venceu as três maiores corridas do automobilismo: GP de Mônaco de F1, as 500 Milhas de Indianápolis e as 24 Horas de Le Mans. Alonso reafirmou que seu grande sonho é o de fazer história no esporte a motor.

 
“Já venci o GP de Mônaco duas vezes, e uma das minhas ambições é vencer a Tríplice Coroa, algo que apenas um piloto conquistou na história do esporte a motor: Graham Hill. É um desafio duríssimo, mas estou pronto para isso. Não sei quando vou correr em Le Mans, mas um dia vou tentar. Tenho apenas 35 anos. Tenho muito tempo para isso”, finalizou o piloto, que jamais escondeu o desejo de também correr na mais icônica prova de resistência do planeta.
 
PADDOCK GP #73 DISCUTE F1, MOTOGP E INDY E FAZ PRÉVIA DO GP DO BAHREIN

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube