Newgarden lamenta derrota para O’Ward em Detroit, mas admite: “Não tinha o que fazer”

Josef Newgarden afirmou que não tinha mais aderência nos pneus dianteiros nas 10 voltas finais e que não tinha defesa para os ataques de Pato O'Ward nas voltas finais em Detroit

A ultrapassagem da vitória de Pato O’Ward (Vídeo: NBCSN)

Josef Newgarden sai do domingo (13) em Detroit com gosto de decepção. O piloto da Penske foi o pole-position da corrida 2 e liderou a maior parte das 70 voltas da corrida até ser superado pelo mexicano Pato O’Ward no fim e amargar a segunda posição, aumentando a sequência para oito provas sem vitórias.

O bicampeão teve uma estratégia diferente com paradas mais antecipadas e utilizando os pneus macios no stint final de corrida. O piloto da Penske perdeu rendimento e era muito mais lentos que os rivais, apesar de ainda salvar a segunda posição.

“Triste, decepcionado. Tínhamos o carro a ser batido. As amarelas vieram quando não precisávamos, os pneus errados vieram quando não precisávamos. Foi uma estratégia boa, mas a amarela matou. Perdi os dianteiros e realmente precisava disso, então é isso. Tentamos, buscamos. Não quero procurar coisas, acho que não foi do nosso jeito no fim e isso é triste”, citou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Newgarden lamentou nova derrota (Foto: Indycar)

Newgarden explicou que não tinha o que fazer para se defender de Pato O’Ward nas voltas finais. O piloto da Penske comentou que a indefinição sobre a entrada do pace-car após o problema de Dalton Kellett nos boxes motivou a tomada de decisão diferente. A corrida acabou seguindo de forma normal após o incidente com o canadense.

“Ele veio como um trem descarrilhado, o que eu iria fazer? Não tinha o que fazer, e com Palou também, ele estava atrás de mim no fim para me passar, mas consegui me segurar. Meus pneus dianteiros estavam mortos nas últimas 10 voltas, tentei ser agressivo, mas nada foi ao nosso favor, especialmente a primeira amarela. Tivemos de parar porque não sabíamos se teria o pace-car, e se não fizéssemos isso, seríamos lavados pelos outros. Tivemos de colocar mais 10 voltas nos pneus que não queríamos, teria sido mais fácil se não fosse isso. Era o nosso plano”, concluiu.

Newgarden retorna ao cockpit da Penske na próxima etapa da Indy, o GP de Elkhart Lake, no circuito de Road America, no próximo dia 20.

GP às 10: Pierre Gasly na Mercedes em 2022: a F1 pode ver isso?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar