Melhor novato, Lundgaard exalta “resultado muito bom” em St. Pete

Piloto da Rahal destacou ritmo com os pneus mais macios no início da corrida e comemorou desempenho em estreia na Indy

ESTRUTURA, DINHEIRO E TRADIÇÃO: ANDRETTI É 11ª EQUIPE PERFEITA PARA FÓRMULA 1?

Na etapa de St. Pete, que abriu a temporada 2022 da Indy, Christian Lundgaard apresentou o melhor desempenho entre os seis estreantes da categoria ao terminar a prova na 11ª posição. Largando do 15º lugar, o piloto da RLL superou as dificuldades habituais da primeira corrida e destacou o desempenho do carro com os pneus mais macios para somar bons pontos.

Depois de duas temporadas completas na Fórmula 2, no qual obteve o sétimo lugar no campeonato de pilotos em 2020 como melhor resultado, o ex-piloto da academia da Renault deixou o automobilismo europeu para trilhar uma nova trajetória nos EUA, com apenas 20 anos.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

E em sua segunda aparição, depois de ter estreado no misto de Indianápolis em 2021, figurou entre os dez primeiros durante algumas voltas no circuito de rua de St. Pete, mas cruzou a linha de chegada na 11ª posição. Apesar de lamentar a chance de terminar no top-10, o dinamarquês destacou o desempenho do carro, principalmente com os pneus vermelhos, os mais macios.

“Foi uma longa corrida”, começou, em entrevista ao site da revista americana Racer. “Penso que perdemos algumas posições no início da corrida, que gostaria de ter mantido. Acho que cobrimos algum terreno no primeiro ciclo de pit-stop, o que foi bom”, afirmou.

“Ficamos muito tempo nos vermelhos [macios], com os quais fiquei muito feliz. Acho que o ritmo nos vermelhos foi bastante decente, talvez pudéssemos ter sido um pouco mais rápido se tivéssemos um pouco de ar limpo, mas nunca saberemos”, acrescentou.

CHRISTIAN LUNDGAARD; RLL; INDY; BARBER; TESTE;
Christian Lundgaard estreou na Indy neste fim de semana (Foto: Alpine F1 Team)

Devido às dificuldades com os pneus pretos, mais duros, e também com a exigência física na reta decisiva do GP de St. Pete, Lundgaard aprovou o equilíbrio do carro e ficou satisfeito com o resultado. “No final, acho que o equilíbrio do carro foi decente, apenas não tivemos o ritmo adequado que os carros da Penske tinham. Voltar para casa com um resultado como esse é muito bom no nosso primeiro fim de semana”, resumiu.

Além de Lundgaard, a Indy contou com as estreias de mais cinco pilotos. Kyle Kirkwood, da AJ Foyt, que terminou a prova em 18º lugar; Callum Ilott, da Juncos Hollinger Racing, que também veio da Fórmula 2, e cruzou na 19ª colocação; Devlin DeFrancesco, da Andretti, que foi 22º; Tatiana Calderón, companheira de Kirkwood na Foyt, que foi 24ª; e David Malukas, da Dale Coyne, que abandonou.

Lundgaad e os cinco novatos voltam a competir no oval do Texas, segunda prova da temporada da Indy, que acontece no próximo dia 20.

COMO MERCEDES E RED BULL JÁ SE ENFRENTAM NA FÓRMULA 1 2022
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar