Indy

Na Indy com carro “mais legal e de menor aderência”, Muñoz volta ao grid tentando mudar destino

Ao GRANDE PRÊMIO, o colombiano, que volta a disputar a prova onde quase se consagrou duas vezes, falou um pouco de tudo, especialmente de seu momento. E só um resultado grandioso — a vitória — resolveria sua carreira, seja na Indy ou eventualmente no SportsCar

Warm Up, de Indianápolis / GABRIEL CURTY, de Indianápolis / VICTOR MARTINS, de São Paulo
Carlos Muñoz bateu na trave duas vezes em Indianápolis. Na estreia no Speedway, em 2013, e três anos depois, o colombiano ficou com a amarga segunda colocação, terminando respectivamente atrás de Tony Kanaan e Alexander Rossi — e até com melhor desempenho que os dois. E mesmo tendo resultados expressivos e constantes ótimas performances, Muñoz não garantiu sequência na Indy.
Carlos Muñoz comentou expectativas para a Indy 500 e relembrou retrospecto na prova (Foto: Reprodução/Twitter)

Foram quatro anos de Andretti até cair numa Foyt que tinha o pior carro do grid. O resultado depois de 2017 foi a falta de um carro para guiar. Agora, na condição de 'extra' e de novo na Andretti, Carlos tenta a sorte. Uma vitória mudaria completamente a carreira que se encontra parada por falta de patrocínio.

Na entrevista ao GRANDE PRÊMIO, Muñoz falou do novo carro, da atração por Indianápolis e em que pensa se não se encontrar na Indy em um futuro próximo.


TEM LENHA PRA QUEIMAR

CASTRONEVES SENTE FALTA DA INDY E MERECE ESTAR NO GRID