Indy

Newgarden acerta em cheio na estratégia e vence GP de São Petersburgo. Dixon é 2º após bela manobra

O GP de St. Pete foi marcado pelo domínio das equipes maiores. Porém, se destacaram na briga Josef Newgarden e Scott Dixon. Desta vez, foi o americano quem acertou na estratégia e deixou um arrojado neozelandês para trás. Will Power fechou o pódio, Tony Kanaan ficou em 15º e Matheus Leist abandonou
Grande Prêmio / GABRIEL CURTY, de São Paulo
A Penske acertou em cheio na estratégia neste domingo (10). Em São Petersburgo, Josef Newgarden deixou para trás as corridas complicadas que teve no fim de 2018 e começou 2019 com uma grande vitória em cima de um Scott Dixon que teve belíssima atuação.

A Penske e a Ganassi foram as grandes protagonistas da etapa, mas o ritmo do time de Chip Ganassi parecia levemente superior durante a prova. Assim, coube a Roger Penske e seus comandados ousar na tática com Newgarden e o americano surgiu numa surpreendente liderança para não mais sair de lá, vencendo pela primeira vez nas ruas da Flórida e pela 11ª vez na Indy.

Dixon nem foi o piloto da Ganassi mais rápido do dia, afinal, Felix Rosenqvist teve ótima performance, mas levou a segunda posição em grande manobra para cima de Will Power, que completou o pódio. Rosenqvist, com problemas nos boxes, foi o quarto.

Alexander Rossi ficou em um discreto quinto lugar, sem grandes momentos no dia. Segurando firme os ataques de Simon Pagenaud, James Hinchcliffe levou a melhor em uma espécie de 'Indy B', em um grupo bem distante o tempo todo do top-5.

Os novos nomes do grid tiveram atuações bem convincentes. Colton Herta foi oitavo, seguido por Santino Ferrucci e Jack Harvey.

A primeira etapa foi bem complicada para a Foyt. Matheus Leist se envolveu em um acidente quando Ed Jones foi parar no muro, enquanto Tony Kanaan teve problemas nos boxes e fechou em 15º.
Josef Newgarden venceu em St. Pete (Foto: IndyCar)
Confira como foi o GP de São Petersburgo

A largada do GP de abertura da temporada 2019 em St. Pete aconteceu às 14h40 (em Brasília). Will Power saiu muito forte e já escapou na ponta, com Josef Newgarden ficando exposto aos ataques da dupla da Ganassi e da dupla da Andretti.
 
Mesmo tomando um ligeiro toque de Ryan Hunter-Reay, Felix Rosenqvist se lançou e superou Newgarden, com o americano fechando as investidas de Scott Dixon na sequência. O toque ainda fez Hunter-Reay perder lugar para Alexander Rossi.
 
As primeiras voltas foram surpreendentemente limpas, sem maiores enroscos ou confusões. Na quinta volta, Power liderava com Rosenqvist, Newgarden, Dixon, Rossi, Hunter-Reay, Jack Harvey, Charlie Kimball, Graham Rahal e James Hinchcliffe fechando o top-10.
 

Os muros, que tanto castigaram nos treinos e na classificação, seguiam intactos, enquanto Rosenqvist encostava em Power e Marcus Ericsson, Santino Ferrucci e Matheus Leist abriam a rodada de ida aos boxes.

Rahal era o primeiro dos ponteiros a ir para os boxes e, naquele momento, Sébastien Bourdais aparecia parado fora da pista. O #18 passou com pequeno foco de fogo no carro e abandonou ali mesmo na curva 10.
 
Power aproveitou a chance e foi aos boxes, mas errou feio na entrada e quase bateu. Rosenqvist esticou a janela e garantiu o ponto pela liderança, parando uma volta antes de Newgarden, Dixon e Hunter-Reay.
 
Quando Rossi voltava para a pista e restava apenas Tony Kanaan a fazer sua parada, o motor Honda de Hunter-Reay abriu o bico. O americano, que tão bem andou nos treinos livres e que tem ótimo retrospecto em St. Pete, se tornava o segundo abandono.
 
Com Kanaan e Ben Hanley parando em bandeira amarela, o primeiro quinto da corrida era concluído com Power, Rosenqvist, Newgarden, Dixon, Rossi, Harvey, Rahal, Hinch, Ed Jones e Kimball no top-10. Spencer Pigot e Max Chilton já paravam duas vezes.

A relargada veio na volta 23 e Rosenqvist foi magistral. O sueco fritou os pneus num mergulho corajoso e superou Power. Quando ia tomar o troco, controlou muito bem o carro e manteve a ponta, colocando a Ganassi na frente. Newgarden tentou aproveitar o embalo e passar o companheiro, mas Power aprendeu a lição.
 

 
Foi aí que veio a terceira bandeira amarela. Jones perdeu o carro e foi direto no muro, ficando atravessado no meio da pista. O resultado foi um festival de detritos na pista e, de quebra, um Matheus Leist que não conseguiu desviar do #20 e também abandonou. Os dois saíram dos carros aparentemente bem, mas Jones afirmou que achava que tinha quebrado um dedo.

Veio a relargada e o ataque nas primeiras posições da vez foi de Dixon em cima de Newgarden. Porém, nada aconteceu e o top-5 seguiu o mesmo com Rosenqvist, Power, Newgarden, Dixon e Rossi. Harvey se segurava de Hinch numa espécie de 'Indy B' que começava a ser formada. Simon Pagenaud era oitavo, com um inspirado Takuma Sato em nono e Ericsson em décimo.
 
Com mais uma rodada de paradas em andamento, ficava claro que a prova tinha, no mínimo, dois pelotões. Isso porque Rossi já abria quase 10s pra Harvey, que segurava o ritmo de Pagenaud, teoricamente o sexto piloto com chances reais de vencer a corrida.
 

Power, Rossi e Pagenaud pararam antes dos outros três e aquilo seria o suficiente para mexer na então liderança da corrida. Quando Rosenqvist foi aos boxes, voltou exatamente atrás de Power, que não quis saber e fechou o sueco. Sem querer atrito, Felix tirou o pé e ficou para trás em relação ao australiano.
 
Dixon foi aos boxes na volta 54 e praticamente repetiu o que aconteceu com seu companheiro, tendo a porta fechada por Power no retorno à pista. No entanto, o líder mudou, de fato, no 56º giro, quando Newgarden parou e, de pneus vermelhos, aproveitou que Andretti estava na frente de Power e sumiu na ponta. 

A sequência de giros foi excelente para o fã da Indy. Dixon partiu para cima de Power e o duelo foi belíssimo. O australiano defendeu-se de forma firme até onde pode, mas o neozelandês conseguiu uma finta espetacular para tomar o terceiro - que seria segundo - lugar.
Marco Andretti quase mudou os rumos da prova (Foto: IndyCar)
Enquanto o estreante Ericsson recolhia o carro, Andretti fazia mais uma parada e deixava as primeiras colocações em uma ordem mais real, com Newgarden 6s na frente de Dixon. Power, Rosenqvist e Rossi vinham perto, com Hinch e Pagenaud começando a se aproximar.

Curiosamente, Newgarden era o único dos cinco primeiros com os pneus vermelhos e não parecia sofrer muito no final do stint. O americano da Penske conseguia seguir acima dos 7s de frente para os demais.
 
Hinch abria a suposta rodada final de paradas na volta 79. Enquanto isso, Sato via sua reação acabar e ficava voltas e mais voltas parado nos boxes. O momento decisivo veio no 80º giro, com Newgarden parando e sendo seguido pelos demais concorrentes na volta seguinte. 
A largada em St. Pete (Foto: IndyCar)
O que mais parecia preocupar Newgarden na reta final era uma possível bandeira amarela, que ameaçou sair por pedaços de uma faixa de patrocínio que entrou no traçado após Power dar mais uma fechada em saída de boxes de Rosenqvist. Na parte final do pelotão, a Foyt piorava ainda mais as coisas para Kanaan, errando no pit-stop.

Apesar de Dixon conseguir reduzir bem a vantagem de Newgarden, o americano parecia com a vitória segura em condições normais. Briga boa mesmo era pelo quarto lugar, entre Rosenqvist e Rossi, e pelo sexto, entre Hinch e Pagenaud.
 
Só que isso mudou com 11 voltas para o fim. Após passar o retardatário Veach, Newgarden ficou preso por vários giros em Andretti e os quase 7s viraram 2s1. Quando finalmente passou o #98, Dixon foi junto, como se nem existisse um retardatário na frente, com Andretti parado, em um ato claro de rivalidade entre Honda e Chevrolet.

Indy, GP de São Petersburgo, Classificação final

1 J NEWGARDEN Penske Chevrolet 2:04:18.259 110 voltas
2 S DIXON Ganassi Honda +2.900  
3 W POWER Penske Chevrolet +12.744  
4 F ROSENQVIST Ganassi Honda +14.586  
5 A ROSSI Andretti Honda +18.362  
6 J HINCHCLIFFE SPM Honda +31.160  
7 S PAGENAUD Penske Chevrolet +31.440  
8 C HERTA Harding Honda +40.470  
9 S FERRUCCI Dale Coyne Honda +57.603  
10 J HARVEY Meyer Shank Honda +59.191  
11 S PIGOT Carpenter Chevrolet +1:02.687  
12 G RAHAL RLL Honda +1 volta  
13 M ANDRETTI Andretti Honda +1 volta  
14 Z VEACH Andretti Honda +1 volta  
15 T KANAAN Foyt Chevrolet +1 volta  
16 M CHILTON Carlin Chevrolet +1 volta  
17 C KIMBALL Carlin Chevrolet +1 volta  
18 B HANLEY DragonSpeed Chevrolet +2 voltas  
19 T SATO RLL Honda +35 voltas NC
20 M ERICSSON SPM Honda +56 voltas NC
21 E JONES Carpenter Chevrolet +85 voltas NC
22 M LEIST Foyt Chevrolet +85 voltas NC
23 R HUNTER-REAY Andretti Honda +91 voltas NC
24 S BOURDAIS Dale Coyne Honda +99 voltas NC