Indy

Pagenaud crava pole e confirma domínio da Penske em Iowa. Newgarden é 3º

Simon Pagenaud aproveitou um domínio completo da Penske no primeiro dia do GP de Iowa e puxou a trinca no grid de largada com mais uma pole. Josef Newgarden parte de terceiro e Alexander Rossi sai em sexto

Grande Prêmio / GABRIEL CURTY, de São Paulo
A Penske segue completamente dominante na sexta-feira (19) da Indy em Iowa. Simon Pagenaud confirmou a ótima forma do time e cravou mais uma pole, puxando a trinca que foi completada por Will Power e Josef Newgarden.

A vantagem da Penske foi impressionante. Pagenaud garantiu a posição de honra com 35s746, combinação de voltas quase 0s5 mais veloz que a do quarto colocado, o melhor do resto, Takuma Sato.

James Hinchcliffe fez uma bela classificação e conseguiu bater Alexander Rossi, grande rival de Newgarden na luta pelo título e que vai precisar de uma certa recuperação no sábado. Graham Rahal parte de sétimo, enquanto Scott Dixon, que ainda sonha com o caneco, é apenas o oitavo. Ryan Hunter-Reay e Marcus Ericsson fecham o top-10 do grid.

Tony Kanaan teve uma de suas melhores classificações do ano. O brasileiro levou a Foyt a um surpreendente 13º lugar, enquanto Matheus Leist voltou a ter um ritmo abaixo como no TL1 e vai partir de 22º na corrida deste sábado.
Simon Pagenaud é pole (Foto: IndyCar)
Saiba como foi a classificação em Iowa
 
A definição do grid começou com cinco minutos de atraso por problemas causados por uma corrida de categoria-suporte da Indy. Quando a pista foi devidamente liberado, os pilotos saíram respeitando a ordem inversa da classificação do campeonato. Eram apenas duas voltas para cada, coisa de menos de 40s no somatório final. A pista estava muito quente, especialmente nas curvas 3 e 4, que passavam dos 50ºC.
 
Conor Daly foi o primeiro, virando uma marca pouco competitiva em 37s028. Seu companheiro, Sage Karam, saiu na sequência, praticamente empatando e se colocando em vantagem no detalhe, menos de 0s1 mais rápido que o #59 da Carlin.
 
Os brasileiros da Foyt foram para suas voltas rápidas logo depois, com Matheus Leist mantendo um ritmo lento que mostrou no TL1 e ficando bem longe até das Carlin. Tony Kanaan, por outro lado, voltou a ser competitivo e e colocou 0s11 em Karam, uma marca que, dependendo das condições de pista dali para frente, poderia render bom lugar no grid.
Conor Daly não foi mal com a Carlin (Foto: IndyCar)
Ainda com muitos altos e baixos, Zach Veach teve mais um momento bem fraco na classificação, passando bem alto nas marcas e ficando entre Daly e Leist, em penúltimo. Daí veio Marcus Ericsson, que foi pior que Tony na primeira volta, mas roubou a pole provisória do brasileiro no giro complementar, sendo 0s15 mais veloz no total.
 
A luz amarela acendia de vez na Andretti quando Marco rodava de forma parecida com Veach e se colocava apenas na frente do companheiro e de Leist. Assim, Ryan Hunter-Reay e, principalmente, Alexander Rossi teriam de fazer milagre. Outra equipe que não vinha bem desde o treino livre era a Carpenter, com a sexta marca de Spencer Pigot, entre as duas Andretti.
 
A confirmação da complicação da Carpenter veio com Ed, dono do time e piloto, que só foi um pouquinho melhor que Pigot, ficando na frente de Andretti. Entre os companheiros, porém, teve a tentativa de Colton Herta, que só foi inferior a Ericsson.

As Dale Coyne entraram juntas e tiveram desempenhos completamente opostos. Santino Ferrucci chegou até a sonhar com a pole provisória, mas fechou em terceiro, enquanto Sébastien Bourdais lutou com o carro desde a volta de aquecimento e só andou melhor que Leist.
Colton Herta parte do meio do grid (Foto: IndyCar)
Sob pressão, Felix Rosenqvist voltou a decepcionar. O sueco da Ganassi ficou ali entre as Carlin, em uma posição que seria meio de grid, se muito. A liderança trocou de mãos internamente na Schmidt Peterson. Tranquilo, James Hinchcliffe encaixou duas voltas boas e passou mais de 0s1 mais rápido que Ericsson.
 
O nível da classificação, como era de se esperar, subia bastante ali no fim e Graham Rahal conseguia se meter entre os dois carros da Schmidt Peterson. Na sequência, Ryan Hunter-Reay se colocou atrás de Rahal, dando um alívio para a Andretti e, claro, para Rossi, que seria o penúltimo a sair.
 
A briga pela pole começava a pegar fogo e Takuma Sato tirava Hinch dali, mas logo era batido na sequência por Will Power, que tomava a primeira posição com 35s842, quase 0s4 na frente do japonês, uma vantagem absurda. 
Alexander Rossi sai de sexto (Foto: IndyCar)
Scott Dixon não chegou participando da briga, mas não foi mal, se posicionando em quinto com apenas três pilotos pela frente. Simon Pagenaud veio e deu pinta de que a Penske iria dominar a situação, conseguindo bater até Power, combinando os giros em 35s746.

Restavam apenas os dois líderes do campeonato e, no geral, ambos acabaram decepcionando um pouco. Alexander Rossi foi sexto, talvez o teto da Andretti na sexta-feira, enquanto Josef Newgarden perdeu para os companheiros e, assim, larga de terceiro.

Indy 2019, GP de Iowa, Grid de largada:

1 S PAGENAUD Penske Chevrolet 35.746  
2 W POWER Penske Chevrolet 35.842 +0.096
3 J NEWGARDEN Penske Chevrolet 35.870 +0.124
4 T SATO RLL Honda 36.234 +0.488
5 J HINCHCLIFFE SPM Honda 36.531 +0.785
6 A ROSSI Andretti Honda 36.561 +0.815
7 G RAHAL RLL Honda 36.602 +0.856
8 S DIXON Ganassi Honda 36.630 +0.884
9 R HUNTER-REAY Andretti Honda 36.652 +0.906
10 M ERICSSON SPM Honda 36.661 +0.915
11 C HERTA Harding Honda 36.709 +0.963
12 S FERRUCCI Dale Coyne Honda 36.716 +0.970
13 T KANAAN Foyt Chevrolet 36.814 +1.068
14 S KARAM Carlin Chevrolet 36.925 +1.179
15 F ROSENQVIST Ganassi Honda 36.943 +1.197
16 C DALY Carlin Chevrolet 37.028 +1.282
17 E CARPENTER Carpenter Chevrolet 37.091 +1.345
18 M ANDRETTI Andretti Honda 37.197 +1.451
19 S PIGOT Carpenter Chevrolet 37.469 +1.723
20 Z VEACH Andretti Honda 37.505 +1.759
21 S BOURDAIS Dale Coyne Honda 37.556 +1.810
22 M LEIST Foyt Chevrolet 38.512 +2.766


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.