O’Ward estraga festa de Newgarden no fim e vence GP de Detroit 2. Palou é 3º

Pato O'Ward superou Josef Newgarden nas voltas finais, venceu em Detroit e estragou a festa da Penske, que segue no jejum. Álex Palou chegou em terceiro

Pato O’Ward é o primeiro piloto a vencer duas vezes na temporada 2021 da Indy. Neste domingo (13), o mexicano estragou a festa de Josef Newgarden e da Penske, passou o rival nas voltas finais e, com uma performance agressiva e precisa, levou o triunfo do GP de Detroit 2 para casa com a McLaren, assumindo a liderança do campeonato.

O’Ward teve sete voltas finais de cinema. Depois da última relargada, o mexicano saiu de quinto para primeiro em poucos minutos, deixando para trás, pela ordem: Graham Rahal, Álex Palou, Colton Herta e, finalmente, Newgarden, com direito a um toque e tudo.

O segundo lugar de Newgrden, de certa forma, foi um tanto quanto heroico. Único dos líderes de pneus macios e gastos, o americano segurou na unha o quanto foi possível e ainda salvou o segundo lugar, na frente do então líder do campeonato, Palou, de Herta e de Rahal, todos cruzando a linha de chegada muito próximos.

Will Power foi sexto em bela corrida de recuperação, com Scott Dixon, Simon Pagenaud, Marcus Ericsson e Santino Ferrucci completando o grupo dos dez primeiros colocados. Romain Grosjean abandonou poucas voltas antes do fim. O francês teve um novo incêndio na carreira, mas nada que possa ser comparado ao do GP do Bahrein. Foram apenas chamas nos freios e nada de grave aconteceu com o piloto.

A Indy volta já na semana que vem, com a disputa do GP de Elkhart Lake. O’Ward agora comanda o campeonato, com Palou na cola, Dixon e Newgarden na perseguição.

Pato O’Ward venceu de novo na Indy no GP de Detroit 2 (Foto: IndyCar)

Confira como foi o GP de Detroit 2

A largada da segunda corrida em Detroit aconteceu pontualmente às 13h50 e Josef Newgarden saiu muito bem, deixando Colton Herta e Rinus VeeKay se pegando depois, com o americano da Andretti segundo em segundo. Só que pouco atrás veio o tumulto.

Alexander Rossi e Scott Dixon fizeram um sanduíche de Romain Grosjean e nenhum dos três ter ido ao muro foi um milagre. No entanto, os carros ficaram lentos e geraram o chamado efeito sanfona, que culminou com Sébastien Bourdais montando na zebra, James Hinchcliffe tirando o pé para não bater e levando uma paulada de Max Chilton.

O piloto da Carlin levou a pior, perdendo o bico e parando na barreira de pneus. Vinha, então, a primeira bandeira amarela, providencial para metade do grid, que já aproveitava para se livrar dos pneus macios. A ordem tinha Newgarden, Herta, Álex Palou, Rossi, Graham Rahal, Ed Jones, Dixon, Conor Daly, Santino Ferrucci e Simon Pagenaud, com apenas Newgarden de compostos duros no top-10.

Romain Grosjean virou recheio de sanduíche na largada e depois causou amarela ótima para O’Ward em Detroit (Foto: IndyCar)

A relargada acontecia na quinta volta e Newgarden saía muito bem de novo. Com os pneus duros, já abria 2s4 em cima de Herta em pouco mais de um giro e parecia, se tudo corresse bem, na melhor das táticas em Detroit.

O ritmo de Newgarden continuava forte, mas o que estava mais claro era que a corrida começava bem mais conservadora que a de sábado, sem tantas disputas, sem confusões. Após 10 voltas, Newgarden tinha 4s para Herta, depois vinham Palou, Rossi e Rahal. Enquanto isso, Daly já fazia sua primeira parada.

Os pneus de Rossi iam acabando, ao passo que o americano já tinha também um dano na asa pela batida da largada. O resultado? Rahal passou sem problemas e um imenso pelotão foi se formando ali atrás, com Dixon passando para a quinta colocação após briga boa.

Rinus VeeKay bateu com Marcus Ericsson (Foto: IndyCar)

Newgarden abria 11s para Herta depois de 15 voltas e, enquanto Rossi ia despencando até parar nos boxes na 17ª volta para trocar o bico, VeeKay e Ericsson se tocavam e complicavam muito suas vidas, com muitos danos nos carros, a ponto do holandês ter de parar.

Na volta 19, todo mundo começando a parar. Dixon, Ferrucci e Pagenaud foram juntos, depois foi a vez de Newgarden, O’Ward, Herta, Palou e Rahal. Isso tudo enquanto tinha o carro de Kellett parado na saída dos boxes, com problemas após o pit-stop.

Newgarden vinha tão bem que voltava na frente mesmo já tendo parado, levando 5s8 de frente para Will Power, que esticava como dava o primeiro stint. Depois vinham Herta, Sato, Palou, Ericsson, Rahal, Harvey, Daly e Dixon. Já começavam a se misturar as estratégias.

Power fez um longuíssimo primeiro stint (Foto: Indycar)

Power, Sato e Harvey iam aos boxes na volta 27 e o australiano voltava sendo superado por Pato, caindo para oitavo. Lá na frente, 9s8 separavam Newgarden de Herta, enquanto Palou tinha 1s8 de frente para Ericsson na terceira colocação.

Ericsson parava também enquanto Grosjean rodava Harvey. O inglês precisou voltar aos boxes, enquanto o francês tomou um drive-through pelo lance. Ambos despencaram para fora do top-20 ali naquele momento, quando a corrida se aproximava da metade.

A corrida seguia bem dominada por Newgarden, mas havia uma questão fundamental: o americano seria capaz de manter a vantagem quando fosse ter seu stint com pneus macios? A distância para Herta rodava na casa de 7s5, 14s4 para Palou, 16s5 para Rahal e incríveis 30s8 para Dixon.

Graham Rahal andou muito bem de novo, mas acabou atropelado por O’Ward em Detroit (Foto: IndyCar)

Vinham as paradas finais de todo mundo, com Newgarden indo aos boxes na 47. Seriam 24 voltas para o americano tentar suportar os ataques de Herta com os pneus piores. Ali, as chances maiores pareciam mesmo com Colton, que só estava 3s atrás do rival.

A prova seguia com confusões. VeeKay era bloqueado por McLaughlin, enquanto Ferrucci trancava a porta com tudo em cima de Pagenaud na briga pela nona colocação. Askew, em jornada discretíssima, recolhia o carro e abandonava. Lá na frente, só 1s7 entre Newgarden e Herta com 20 voltas para o fim.

Power fazia a última parada da corrida na volta 53 e voltava em sétimo. Dali para frente, o papo parecia claro: as coisas seriam resolvidas todas na pista do jeito que estavam. Só que Johnson resolveu aprontar, rodou sozinho e, pronto, bandeira amarela acionada. Virava um drama imenso para Newgarden, que não iria mais sofrer com Herta, mas também Palou, Rahal, Dixon, Pato, Power, Ericsson, Pagenaud e Hunter-Reay. Todo mundo entrava no bolo.

Colton Herta bateu na trave em Detroit, vencida por O’Ward (Foto: IndyCar)

Com 12 voltas para o fim, a relargada. Mais uma vez, Newgarden saiu bem demais e deixou o problema para Herta, que foi batendo roda por Palou. Rahal segurava O’Ward, que havia superado Dixon ainda na primeira curva. Aí, então, mais uma amarela, desta vez boa para Josef, pois matava tempo.

Foi Grosjean, que surgia com o carro em chamas, mais uma vez. Só que nada nem perto do que aconteceu no Bahrein, foi apenas os freios. O francês abandonava de novo, deixando a disputa pela vitória para menos de oito voltas em bandeira verde.

A relargada aconteceu com sete voltas para o fim. Newgarden saiu muito bem de novo e O’Ward era quem voava, atropelando Rahal e Palou e colando imediatamente em Herta. Pagenaud levava o oitavo lugar em cima de Ericsson e Sato quase ia ao muro após toque com Hunter-Reay.

Josef Newgarden foi superado por Pato O’Ward no fim em Detroit (Foto: IndyCar)

A corrida estava nas mãos de Herta, mas O’Ward tinha um plano. E o plano era atacar, atacar e atacar. O mexicano tirou Colton da frente, jogou o rival para o lado e ainda fez Palou superar o americano, que travava tudo no fim da reta. O duelo, então, era Newgarden x Pato.

E não tinha como tirar de O’Ward neste domingo. Agressivo, o mexicano apertou, incomodou e viu Newgarden, sem pneus, sucumbir. O americano derrapou, o mexicano veio lançado e levou a dianteira com direito ainda a um toque entre os dois.

Pato disparou e venceu, enquanto que Josef tratou de trancar a rua, evitando as manobras de Palou, Herta e até Rahal, que se juntou ao bolo. Um segundo lugar meio heroico, mas bem amargo para o americano. Em Detroit, o segundo triunfo de O’Ward em 2021, novo líder da Indy.

Indy 2021, GP de Detroit 2, Final:

1P O’WARDMcLaren Chevrolet1:41:30.88170 voltas
2J NEWGARDENPenske Chevrolet+6.760 
3A PALOUGanassi Honda+6.939 
4C HERTAAndretti Honda+7.056 
5G RAHALRLL Honda+7.695 
6W POWERPenske Chevrolet+8.442 
7S DIXONGanassi Honda+8.832 
8S PAGENAUDPenske Chevrolet+9.064 
9M ERICSSONGanassi Honda+9.525 
10S FERRUCCIRLL Honda+10.686 
11R HUNTER-REAYAndretti Honda+10.985 
12T SATORLL Honda+11.576 
13A ROSSIAndretti Honda+14.210 
14J HINCHCLIFFEAndretti Honda+14.997 
15C DALYCarpenter Chevrolet+15.153 
16S BOURDAISFoyt Chevrolet+15.273 
17E JONESDale Coyne Honda+16.118 
18R VEEKAYCarpenter Chevrolet+18.855 
19J HARVEYMeyer Shank Honda+1 volta 
20S McLAUGHLINPenske Chevrolet+1 volta 
21J JOHNSONGanassi Honda+1 volta 
22M CHILTONCarlin Chevrolet+2 voltas 
23D KELLETTFoyt Chevrolet+9 voltas 
24R GROSJEANDale Coyne Honda+13 voltasNC
25O ASKEWMcLaren Chevrolet+24 voltasNC

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!
WEB STORIES: Como foi a quarta vitória de Helio Castroneves na Indy 500?

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar