Indy

Penske e Ganassi se unem e pedem vagas garantidas na Indy 500 para carros que fazem temporada integral

Roger Penske e Chip Ganassi querem que carros que disputem a temporada toda da Indy tenham vagas garantidas nas 500 Milhas de Indianápolis. A categoria entendeu a queixa e até sinaliza já com mudanças nos próximos anos no Bump Day

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A volta do Bump Day na temporada 2018 da Indy fez os proprietários das principais equipes se lembrarem de como a classificação para a Indy 500 é dramática. Ainda que não seja de nenhum dos times do trio-de-ferro, James Hinchcliffe é um dos pilotos mais carismáticos e queridos do grid e acabou de fora da prova de 2019, comprometendo totalmente um início promissor de temporada. Para evitar que isso aconteça novamente, Roger Penske e Chip Ganassi defendem que o Bump Day só tenha carros que não fazem o campeonato completo.
 
A ideia já foi defendida em outros tempos por Michael Andretti e a própria Indy admite abrir debate para discutir uma proposta que entende que faz mesmo sentido. De acordo com Penske, é justamente a categoria quem precisa entender o impacto que é ter um piloto tradicional do grid ficando de fora de sua principal etapa.
 
"Acho que uma equipe que está aqui desde o primeiro dia, que corre a temporada toda, que está sempre com um mesmo piloto, acho que merece ter a vaga garantida no grid da Indy 500. Acho que a própria categoria precisa entender o impacto disso, temos muitos acordos aqui que movem isso tudo e não podem ser perdidos em uma situação assim, isso acaba interferindo na temporada toda, espero que entendam", comentou Roger.
Scott Dixon seria um dos beneficiados pela ideia de Roger Penske e Chip Ganassi (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Ganassi foi na mesma linha do rival histórico e deixou claro que os principais times do grid estão focados em fazer com que a Indy mude o esquema de classificação das 500 Milhas de Indianápolis já para os próximos anos.
 
"Ele sabe bem como é não estar nessa corrida. Graças a Deus que isso nunca me aconteceu, mas, obviamente, concordo com ele. Quando você está comprometido com a categoria o ano todo, quer e deve correr o ano todo", disse Chip.
 
Chefão da categoria, Mark Miles entendeu e concordou com as queixas dos chefes das duas principais equipes da Indy. O dirigente prometeu discutir o assunto e sinalizou que pode, sim, garantir vagas para os titulares.
 
"Se eu fosse um chefe de equipe que estivesse na temporada toda e investindo tanto eu também ia querer sempre estar na Indy 500, querer saber se sempre estaria lá como estaria em Long Beach e qualquer outra prova. Faz sentido a queixa. O evento tem suas marcas, tradições e o drama da classificação é um deles. Precisamos considerar todos os pontos citados aí e então tomaremos uma decisão para o futuro", falou Miles ao jornal 'Indianapolis Star'. 
 
Vencedor da prova em 2016, vice-campeão da Indy em 2018 e um dos favoritos ao título e à vitória na Indy 500 de 2019, Alexander Rossi não se mostrou favorável à ideia de Penske e Ganassi.
 
"De uma perspectiva egoísta, óbvio que queria sempre ter minha vaga garantida, mas penso em tudo, no show, no Bump Day e nos fãs que amam isso. Acho que deveria seguir como está", opinou.


 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.