Piquet admite conversas para correr na Indy, mas só aceita se for “uma situação muito boa”

Depois de participar da Indy Lights no fim de semana, Nelsinho Piquet falou sobre a experiência que viveu no Canadá e também revelou que foi sondado pela Indy, mas que só aceitaria correr na categoria se tivesse uma ”situação muito boa”

Líder da F-E e de contrato renovado com a equipe China, Nelsinho Piquet viveu uma nova experiência no fim de semana, quando disputou a rodada dupla da Indy Lights em Toronto. E a incursão na categoria de acesso pode ser um primeiro passo para a Indy no futuro. Em entrevista ao jornalista Americo Teixeira Jr., dono do 'Diário Motorsport' e parceiro do GRANDE PRÊMIO, o piloto confirmou que recebeu sondagens da principal série de monopostos dos EUA, mas fez uma ressalva. "Faria, mas teria de ser uma situação muito boa”, disse.

Piquet também falou sobre a participação na Lights. O filho do tricampeão da F1 poderia ter saído do Canadá com dois pódios – um deles, inclusive, de vencedor, depois de ter cravado a pole-position da Carlin na primeira temporada da equipe inglesa na categoria norte-americana. Mas as duas oportunidades na rodada dupla foram tiradas das mãos de Piquet ao ser “atropelado” na pista de rua de Toronto por erros de adversários.

Nelsinho Piquet andou pela Carlin em Toronto na Indy Lights (Foto: Reprodução/Twitter)

O piloto de 29 anos foi condescendente com seus pares. “São meninos”, disse. E comparou os programas norte-americano e europeu nas categorias de acesso, destacando o melhor pacote técnico na Europa. Mas enalteceu o lado positivo nos Estados Unidos, que é a premiação em dinheiro, permitindo que o piloto tenha recursos para ter acesso à categoria seguinte.

Leia a entrevista completa no Diário Motorsport.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube