Sem Bump Day, Alonso chega otimista para Indy 500: “Espero lutar pela vitória”

Uma vez que não há mais que 33 carros inscritos para a 104ª edição das 500 Milhas de Indianápolis, desta vez Fernando Alonso não corre o risco de repetir 2019 e ser eliminado no Bump Day

Depois de muita indefinição e do adiamento em razão da pandemia do Covid-19, a edição 104 das 500 Milhas de Indianápolis começa sua programação nesta quarta-feira (12) com a execução dos primeiros treinos livres no Indianapolis Motor Speedway. Fernando Alonso, bicampeão mundial de Fórmula 1, está de volta ao Brickyard pouco mais de um ano depois de ter sido eliminado no Bump Day e ficado fora do grid de 33 carros. Naquela oportunidade, Alonso tentou um lugar na corrida com a McLaren, que tinha parceria com a Carlin.

Desta vez, Alonso regressa a Indianápolis com uma perspectiva diferente e mais otimista. Primeiro, por não correr o risco de nova eliminação no Bump Day, uma vez a edição deste ano da Indy 500 compreende somente 33 carros, número exato para completar o tradicional grid. O espanhol de 39 anos, desta vez, aposta na maior experiência da Schmidt Peterson, organização que abraçou a operação da McLaren nesta temporada.

FERNANDO ALONSO; INDY; INDY 500; 500 MILHAS;
Fernando Alonso vai disputar as 500 Milhas de Indianápolis pela segunda vez (Foto: Fernando Alonso/Twitter)

Em videoconferência na última terça-feira, Alonso acredita que dá para sonhar até em conquistar o triunfo que falta para lograr a tão almejada Tríplice Coroa — resultado das vitórias no GP de Mônaco de Fórmula 1, das 24 Horas de Le Mans e das 500 Milhas de Indianápolis, feito alcançado apenas por um piloto: Graham Hill.

“Espero que neste ano sejamos competitivos o bastante para lutar pela vitória. Agora mesmo, antes de começar os treinos, estamos otimistas, da mesma forma que estávamos no ano passado. Devemos esperar para ver o ritmo que vamos ter”, explicou o futuro piloto da Renault a partir de 2021.

“Mas não tenho dúvidas de que a SP e sua grande experiência vai nos dar algo a mais neste ano, uma vez que no ano passado não estávamos prontos para o desafio. Acredito que vai ser uma boa jornada para nós, mas vamos passo a passo porque há muitas coisas para fazer”, salientou.

Depois da eliminação sofrida no Bump Day do ano passado e não ter conseguido largar para a que seria sua segunda participação na Indy 500, Alonso não escondeu um certo alívio.

“Neste ano já somos 33 carros na classificação, de modo que isso vai nos tirar pressão e nos permitirá focar na corrida”, finalizou o companheiro de equipe de Pato O’Ward e Oliver Askew.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar