Promessa do motociclismo, Elena Myers revela real motivo de aposentadoria aos 22 anos: abuso sexual

Elena Myers foi uma pilota extremamente promissora no motociclismo norte-americano - inclusive guiando uma moto da Suzuki na MotoGP em Indianápolis 2011. Mas abandonou o esporte repentinamente aos 22 anos de idade. Agora, mais de um ano depois do anúncio, o motivo: um abuso sexual

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Elena Myers tinha uma carreira promissora e um talento inegável. Mas anunciou aposentadoria ao final da temporada 2015, aos 22 anos de idade. Aquele ano foi ótimo para Elena, que terminou no quinto lugar geral do Superbike de MotoAmerica, a maior competição de superbike dos Estados Unidos. Agora, pouco mais de um ano depois, ela revelou o motivo da aposentadoria precoce: um abuso sexual sofrido há alguns anos.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Myers contou em entrevista a revista norte-americana 'Philladelphia Magazine' que o abuso aconteceu quando ela tinha 20 anos, num hotel spa chamado Loews, na Filadélfia. E o agressor foi um massagista chamado Jerome McNeil. A agressão acoteceu em setembro de 2014. Myers está processando o hotel e o agressor.

 
"Começou a tocar minha genitália por cima da calcinha e apertar minhas nádegas. Fiquei em choque. Ele era muito maior que eu, e eu não queria que acontecesse mais nada. Foi assustador. Apresentei uma queixa ao hotel, e a única coisa que recebi foi um pedido de desculpas e uma refeição grátis para compensar a experiência ruim", relatou. "Pensei em chamar a polícia, mas não queria passar por isso. Queria seguir minha vida e esquecê-lo".
 
Mais tarde, Elena descobriu que o agressor, McNeil, já tinha outras denúncias contra si e inclusive já havia sido julgado por um estupro de uma criança de 12 anos de idade. No processo, conta que ele foi "indiferente" a ela antes e após o abuso sexual.
Elena Myers (Foto: ESPN.us)
"Eu era uma pessoa muito feliz. Gostava de sair e jamais havia tido qualquer problema, mas me tornei uma pessoa com muito medo e não me reconhecia", contou. "Tinha ataques de ansiedade, algo que não se encaixava em nada com meu caráter", seguiu Elena.
 
A ex-pilota californiana mandou ainda um recado para outras pessoas abusadas. "Espero que isso ajude a que outros homens e mulheres em circunstâncias idênticas consigam a ajuda necessária para lidar com o trauma da agressão sexual", falou. E terminou com um pedido. "Por favor, não se calem."
 
Aos 16 anos de idade, Myers chegou a vencer uma etapa da Ama Pro Supersport, então em Sonoma. Depois, em 2012, foi venceu uma corrida da mesma categoria em Daytona, se tornando a primeira mulher a ganhar uma corrida profissional no famoso autódromo. Em 2011, teve a chance de guiar a Suzuki de Álvaro Bautista em Indianápolis. Na ocasião, se tornou a primeira mulher a guiar uma moto da classe rainha do Mundial.

PADDOCK GP #65 RECEBE PIPO DERANI E FAZ PRÉVIA DO eP DA ARGENTINA DE F-E

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube