Após largar em 37º, Johnson supera Harvick em disputa intensa e leva a vitória na etapa de Atlanta da Nascar

Contra todas as probabilidades, Johnson faz corrida de recuperação brilhante e segura o ímpeto de carros mais rápidos. Dois acidentes fortes marcam corrida turbulenta, que também foi atrasada por causa da chuva. Logano, quarto colocado, segue líder da Sprint Cup

A etapa de Atlanta da Sprint Cup, realizada na tarde de hoje (1º), reservou uma corrida cheia de ultrapassagens e mudanças de líderes. Jimmie Johnson precisou recuperar trinta e seis posições na pista para vencer a primeira em 2015. Atrás veio Harvick, que liderou a maioria das voltas – mas pecou nas relargadas, onde perdeu posições cruciais. O ponto alto da Atlanta 500 foi a constante briga entre a dupla, que passou boa parte da prova trocando posições na pista e nos boxes.
 
As dez bandeiras amarelas, somadas a uma vermelha e o atraso de uma hora por causa da chuva provam que não foi um dia nem normal, nem tranquilo. As ultrapassagens ocorreram aos montes. DaleEarnhardt Jr., Logano e Kenseth – que fecharam os cinco primeiros – passaram boa parte da tarde ultrapassando ou sendo ultrapassado.
 
Dois acidentes mais fortes também colaboraram para o tumulto da prova. O primeiro, ocasionado por DennyHamlin tirou quatro carros da disputa; o segundo, fruto de um erro de Greg Biffle, impediu oito pilotos de cruzar a linha de chegada.
 
Na classificação do campeonato, Logano segue líder, com 88 pontos. Johnson agora é o segundo, com 87.Harvick é o terceiro com 86. A próxima etapa da Sprint Cup será realizada em Las Vegas, no próximo domingo.
Jimmie Johnson venceu a prova em Atlanta (Foto: Getty Images)
Saiba como foi a etapa da Sprint Cup em Atlanta:
 
O clima em Atlanta não era dos melhores. O céu esteve nublado durante o dia todo, inclusive com chuva durante a manhã. Às 13h, horário local, o asfalto ainda estava úmido, precisando ser secado pela organização da prova. Naturalmente, a largada foi atrasada em mais de uma hora.
 
Outra variável climática, a temperatura, trazia novidades: apenas 5º, com sensação térmica de 2º. Era, com sobras, a temperatura mais baixa de todo o final de semana.
 
Às 14h, após mais uma breve garoa, a bandeira verde finalmente foi agitada. Logano, Hamlin, McMurray, Larson e Kahne eram os cinco primeiros. Apesar das baixas temperaturas e das condições desfavoráveis, as ultrapassagens eram realizadas sem maiores problemas. Um exemplo é Ricky Stenhouse Jr., que largou em vigésimo e alcançou a oitava colocação em menos de dez voltas.
 
Enquanto o meio do grid estava muito embolado, com os carros muito próximos, Joey Logano nadava abria vantagem com sobras. O líder do campeonato conseguiu três segundos sobre Hamlin sem maiores problemas.
 
Dos pilotos que precisaram largar do fim do grid, Jimmie Johnson foi o mais bem-sucedido. O hexacampeão da Sprint Cup não tardou para, na volta vinte, chegar ao 13º posto. Jeff Gordon e Tony Stewart, que também conseguiram uma classificação ruim, vinham em 21º e 29º, respectivamente.
 
Entre os cinco primeiros, Kahne não conseguiu segurar sua posição. DaleEarnhardt Jr. e Carl Edwards tomaram sua posição sem maiores problemas.
 
Na volta 25, a primeira bandeira amarela, programada pela organização. Ao mesmo tempo, o promissor Stenhouse Jr. teve um pneu furado, que jogou por terra suas expectativas de uma boa corrida.
 
Foram cinco voltas com bandeira amarela. Mais do que o suficiente para todos irem aos boxes para seus primeiros pits. As alterações na ordem, porém, não foram muitas. Na relargada, Logano, Hamlin, Earnhardt Jr, Edwards e Ragan eram os primeiros.
 
Após a bandeira verde, Hamlin ensaiou uma ultrapassagem sobre Logano, que foi prontamente revidada pelo pole da corrida.
 
Conforme as voltas corriam, os três primeiros fugiam dos outros carros. Earnhardt Jr., com mais ritmo, aproveitou o momento para tomar o segundo posto de Hamlin, que logo começou a ficar para trás. A briga entre os dois foi importante para que Logano conseguisse uma folga em relação ao segundo colocado.
 
Um pouco atrás, Harvick vinha fazendo uma corrida de superação. Após problemas com o motor no último treino livre, precisou trocar a peça e foi punido, perdendo posições no grid. Mesmo assim, o vencedor da última corrida da Xfinity conseguiu se recuperar, chegando à sexta posição e sofrendo muita pressão de um voraz Jimmie Jonhson.
 
Mas uma bandeira amarela, segunda da tarde – dessa vez por detritos na pista -, cortou a ação novamente. Ou melhor: os eventos da corrida se concentraram nos pits, onde todos foram para fazer a segunda parada da tarde.
 
Logano manteve a ponta, ainda com Earnhardt Jr. atrás, seguido de Edwards, Hamlin e Harvick. A relargada, na volta 53, se mostrou um problema para Dale, que patinou e caiu para o sexto lugar. Harvick, em contra partida, fez uma excelente partida e colou na traseira do líder.
 
A bandeira verde não durou muito, todavia. O pneu de Austin Dillon estourou, fazendo a borracha acertar Sam Hornish Jr. A corrida dos dois foi muito comprometida, com ambos caindo para as últimas colocações. A terceira bandeira amarela, logo acionada, reagrupou o grid.
 
A paralisação foi longa – durou mais de oito giros – e permitiu que os pilotos fossem aos boxes pela terceira vez. Assim, os primeiros colocados eram Logano, Harvick, Kahne, Edwards e Earnhardt Jr.
 
Logano e Harvick logo trataram de abrir vantagem para os demais. Era quase uma repetição da etapa da Xfinity Series, onde os dois protagonizaram uma disputa particular – que terminou com a vitória de Kevin.
 
Kahne, terceiro, não conseguia imprimir o ritmo dos que estavam à frente, mas conseguia abrir em relação a Edwards, quarto colocado.
 
Na volta 84, Logano se via em posição desconfortável. Harvick vinha faminto na segunda posição e estava apto para estragar a festa do líder. E assim o fez, na volta 88: uma ultrapassagem na curva quatrodeu ao atual campeão achance de vencer a segunda corrida no mesmo final de semana.
 
Perto de completar 100 voltas, o Chevrolet de LandonCassill começou a soltar fumaça. O motor tinha chegado ao seu limite. Era fim de prova e mais uma bandeira amarela – e outra uma rodada de pits para os demais.
 
Harvick seguiu na ponta, com Logano, Kenseth, Hamlin – após ganhar quatro posições nos boxes – e Kahne logo atrás.
 
Logano tentou, a qualquer custo, reassumir a ponta na reta oposta. A velocidade de Harvick, todavia, não permitiu o movimento. Ficando em posição difícil na pista, Kenseth quase conseguiu beliscar o segundo posto de Joey.
 
Dentre os cinco primeiros, Hamlin apresentava o melhor ritmo. Após relargar em quarto, não teve muitas dificuldades para passarKenseth. Logano chegou a oferecer alguma resistência, mas não foi páreo: o segundo posto tinha novo dono.
 
Mais atrás, Johnson. Em sexto, se aproximava perigosamente de Kenseth, que vinha perdendo ritmo – e posições. Gordon chegou a ocupar o sétimo lugar, mas em seguida começou a perder colocações, também.
 
Já que a bandeira amarela tardava em voltar, os pit-stops durante bandeira verde viraram uma realidade. Kenseth, Logano e Harvick foram os primeiros a entrar. Conforme as voltas passavam, quase todos fizeram o mesmo.
Jimmie Johnson triunfou após sair do fundo do pelotão (Foto: Getty Images)
O resultado final da rodada de pits foi surpreendente: Kenseth fez o pit antes de todos e saltou de quinto para a primeira posição. Atrás, Harvick, Hamlin, Logano e Earnhardt Jr.
 
Apesar de liderar, Kenseth não era o mais rápido. Harvick retomou sua posição sem grandes esforços. Três voltas depois Hamlin fez o mesmo.
 
Logano passava por momentos difíceis: seu ritmo já estava bem abaixo do apresentado no começo da prova e não ofereceu resistência a Dale, que vinha logo atrás. Johnson, sexto, fez o mesmo e entrou no top 5 pela primeira vez na Atlanta 500.
 
Kenseth, que tentava segurar o terceiro lugar com unhas e dentes, não foi capaz de gerenciar os ganhos que teve no box. Earnhardt Jr., Johnson e Logano superaram-no nas voltas seguintes.
 
Na volta 174, o maior trecho de bandeira verde do dia chegou ao fim. Detritos na pista impuseram a quinta bandeira amarela da prova.
 
A situação inverteu posições na ponta:Hamlin fez uma parada melhor que a de Harvick. Era o suficiente para ser o terceiro líder diferente da Atlanta 500. O campeão de 2014 também foi superado por Earnhardt Jr. Comboiando os três primeiros, vinham Johnson e Logano.
 
Apenas uma volta foi disputada em bandeira verde. A sexta bandeira amarela foi balançada na sequência, após Logano fazer uma bela largada e tomar o terceiro lugar. Atrás vinham Johnson e Earnhardt. Jr.
 
O motivo da bandeira amarela? Isso mesmo, detritos na pista. Mais quatro voltas sem ação antes da corrida recomeçar.
 
Nessa relargada quem brilhou foi Johnson, que passou Logano. Outra ultrapassagem marcou a volta seguinte: Harvick retomou a ponta, passando Hamlin.
 
Johnson não quis saber de se aquietar na terceira posição. Aproveitou-se do momento de dificuldade de Hamlin e foi à luta pelo segundo lugar. E assim o fez: largando de 37º, chegou ao segundo lugar. E não parou mais: passou Harvick duas voltas depois, na primeira chance que teve. Era uma tarde impecável para o piloto do #48.
 
Não muito atrás, Dale Jr. também tinha trabalho para fazer. Após relargar em quinto, passou Logano e Hamlin com louvor.
 
Na volta 200, os cinco primeiros eram Johnson, Harvick, Earnhardt Jr., Hamlin e Logano.
 
Edwards, que não fazia uma corrida brilhante, seguiu o ritmo dos outros pilotos e também passou Logano, que vinha em queda na tabela de classificação.
 
Chegando à volta 215, a briga pela liderança só tinha dois nomes: Johnson e Harvick. Kevin tentava fazer de tudo para retomar a ponta, mas não apresentava um ritmo muito bom nas curvas. Atrás da dupla, o piloto mais próximo vinha mais de seis segundos atrás.
 
A próxima rodada de pit-stops estava próxima e os dois primeiros começavam a girar mais rápido. Apesar disso, Harvick não conseguia se aproximar o suficiente para tentar ultrapassar. A oportunidade para tal seria nos boxes.
 
E assim foi feito. O vai-e-vem da liderança teve mais um movimento, conforme Harvick retomava a ponta nos boxes. Mais atrás, Hamlin fez uma parada mais lenta que o jogou para o sétimo posto.
 
Faltando 100 voltas para o fim, a ordem era Harvick, Johnson, Earnhardt Jr., Edwards e Logano. Apenas vinte carros vinham na mesma volta que o líder.
 
A tensão entre os dois primeiros não cessava. Johnson chegou a ultrapassar momentaneamente Harvick, mas para perder a ponta logo em seguida. Atrás deles, o terceiro vinha nove segundos atrás.
 
A sétima bandeira amarela abriu mais uma janela de pit-stops. Johnson aproveitou para reverter o que Harvick fizera na parada anterior: assumir a ponta nos boxes. Atrás, a única mudança relevante foi a troca de posições entre Edwards e Logano, que assumiu o quarto lugar.
 
Na volta 256 Hamlin, que vinha em sétimo, ocasionou a primeira grande batida da Atlanta 500. Após sair de traseira no meio de uma curva, acertou Newman. Os dois carros, desgovernados, ainda levaram Gordon e McMurray para os muros do autódromo. Fim de prova para todos os envolvidos.
 
Antes do incidente, Harvick tinha feito uma péssima relargada, que o jogou para quinto lugar. Com mais uma bandeira amarela, a oitava, os pilotos se preparavam para as últimas 65 voltas.
 
Após mais uma relargada, a ordem era Johnson, Earnhardt Jr., Logano, Harvick e Edwards. Sem seu maior adversário por perto, o #48 teve a chance de abrir vantagem na liderança.
 
Mas a situação ruim de Harvick não significava que ele estava fora do páreo. Após uma ultrapassagem fácil sobre Logano, era hora de tentar descontar os cinco segundos que existiam entre o terceiro colocado e o líder, Johnson.
 
Faltando 37 voltas para a bandeira quadriculada, era hora de ir para o último pit-stop. Harvick, após diminuir a vantagem em relação ao líder para três segundos, foi aos boxes. Johnson e Dale fizeram o mesmo, poucas voltas depois. A diferença foi que Harvick passou Earnhardt nos boxes, ficando a menos de dois segundos do líder.
 
Com 27 voltas faltando para o fim, a nona bandeira amarela foi agitada. A ordem era Johnson, Harvick, Earnhardt Jr., Logano e Keselowski. Os ponteiros aproveitaram para fazer um último pit-stop, garantindo pneus e combustível até o final. 
 
Kenseth, que resolveu não parar, assumiu a ponta. Johnson voltou em quarto, Harvick em quinto.
 
Na relargada, os que não foram aos boxes não puderam resistir. Johnson assumiu a ponta com Kenseth, Earnhardt Jr., Truex Jr. e Harvick – que não largou bem – logo atrás.
 
Mas outra grande batida paralisaria a corrida. No fundo do grid, oito carros foram envolvidos – entre eles, Stewart e Larson. Uma bandeira vermelha foi acionada, faltando vinte voltas para o fim.
 
Com todos colados e quinze voltas até o fim, a relargada seria crucial.Earnhardt Jr. tentou assumir a ponta, mas Johnson foi capaz de se segurar na frente. Atrás dos dois, Harvick, Kenseth e Logano.
 
Mais três voltas e Earnhardt Jr. cedeu à pressão de Harvick, que voltava ao segundo lugar depois de dificuldades na parte final da prova. A diferença para Johnson, líder, foi o suficiente para segurar o ímpeto do campeão de 2014.
 
Ao cruzar a bandeira quadriculada, a ordem final era Johnson, Harvick, Earnhardt Jr., Logano e Kenseth. Era a quarta vitória do #48 em Atlanta, a primeira desde 2007.

Nascar, segunda etapa, Atlanta, classificação final:

1 48 JIMMIE JOHNSON EUA HENDRICK CHEVROLET
2 4 KEVIN HARVICK EUA STEWART-HAAS CHEVROLET
3 88 DALE EARNHARDT JR. EUA HENDRICK CHEVROLET
4 22 JOEY LOGANO EUA PENSKE FORD
5 20 MATT KENSETH EUA JOE GIBBS TOYOTA
6 78 MARTIN TRUEX JR. EUA FURNITURE ROW CHEVROLET
7 47 AJ ALLMENDINGER EUA JTS DAUGHERTY CHEVROLET
8 55 BRETT MOFFITT EUA JOE GIBBS TOYOTA
9 2 BRAD KESELOWSKI EUA PENSKE FORD
10 31 RYAN NEWMAN EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET
11 43 ARIC ALMIROLA EUA RICHARD PETTY CHEVROLET
12 19 CARL EDWARDS EUA JOE GIBBS TOYOTA
13 27 PAUL MENARD EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET
14 4 KEVIN HARVICK EUA STEWART-HAAS CHEVROLET
15 5 KASEY KAHNE EUA HENDRICK FORD
16 10 DANICA PATRICK EUA STEWART-HAAS CHEVROLET
17 41 REGAN SMITH EUA STEWART-HAAS CHEVROLET
18 34 DAVID RAGAN EUA FRONT ROW FORD
19 6 TREVOR BAYNE EUA ROUSH FENWAY CHEVROLET
20 51 JUSTIN ALLGAIER EUA H SCOTT CHEVROLET
21 9 SAM HORNISH JR. EUA RICHARD PETTY CHEVROLET
22 38 DAVID GILLIAND EUA FRONT ROW FORD
23 7 ALEX BOWMAN EUA TOMMY BALDWIN CHEVROLET
24 15 CLINT BOWYER EUA MICHAEL WALTRIP TOYOTA
25 16 GREG BIFFLE EUA ROUSH FENWAY CHEVROLET
26 42 KYLE LARSON EUA GANASSI CHEVROLET
27 95 MICHAEL McDOWELL EUA LEAVINE FORD
28 62 BRENDAN GAUGHAN EUA PREMIUM CHEVROLET
29 33 MICHAEL ANNETT EUA H SCOTT CHEVROLET
30 14 TONY STEWART EUA STEWART-HAAS CHEVROLET
31 32 MIKE BLISS EUA GO F A S FORD
32 98 JOHN WISE EUA PHIL PARSONS FORD
33 34 JOE NEMECHEK EUA FRONT ROW FORD
34 23 JJ YELEY EUA BK TOYOTA
35 26 JEB BURTON EUA BK TOYOTA
36 17 RICKY STENHOUSE JR. EUA ROUSH FENWAY CHEVROLET
37 35 COLE WHITT EUA FRONT ROW FORD
38 11 DENNY HAMLIN EUA JOE GIBBS TOYOTA
39 3 AUSTIN DILLON EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET
40 1 JAMIE McMURRAY EUA GANASSI CHEVROLET
41 24 JEFF GORDON EUA HENDRICK FORD
42 30 RON HORNADAY EUA THE MOTORSPORT CHEVROLET
43 40 LANDON CASSILL EUA HILLMAN SMITH CHEVROLET

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube