Beneficiado por problema de Kyle Busch, Erik Jones herda ponta e parte para vitória na Xfinity em Chicagoland

Parecia ser um passeio de Kyle Busch, até que um pneu furou com 18 voltas para o fim. Com a vitória em aberto, Erik Jones superou Elliott Sadler quando precisava, partindo para uma bela vitória em Chicagoland

Kyle Busch fazia uma prova sólida em Chicagoland. Dominando de tudo que era jeito, o #18 estava com a vitória na mão – isso até a volta 182 de 200. O pneu traseiro esquerdo furou, tirando o atual campeão da Nascar da briga pela vitória. Com a corrida em aberto, o herdeiro do Victory Lane foi Erik Jones: o piloto do #20 fez um belo fim de corrida, assegurando o triunfo.
 
Jones partiu para as últimas voltas com pneus novos, suficiente para ultrapassar Elliott Sadler com alguma facilidade. Depois restou segurar Kyle Larson, que se contentou com o segundo posto.
 
Sadler, com pneus gastos, acabou em terceiro. Daniel Suárez e Justin Allgaier, sempre entre os ponteiros, fecharam o top-5. Depois do pneu furado, Kyle Busch acabou em 13º.
Erik Jones (Foto: Reprodução/Twitter)
A prova de Chicagoland também definiu as últimas duas vagas para o Chase da Xfinity. Blake Koch e Ryan Sieg confirmaram presença, partindo para o mata-mata de 12 pilotos. Também estão garantidos os seguintes: Jones, Suárez, Sadler, Allgaier, Brennan Poole, Brendan Gaughan, Darrell Wallace Jr., Ty Dillon, Brandon Jones e Ryan Reed.
 
Saiba como foi a etapa da Xfinity em Chicagoland
 
A largada contou com Daniel Suárez tomando a primeira colocação. Mesmo que o segundo colocado fosse Kyle Busch, o mexicano conseguiu sustentar uma margem relativamente confortável. Kyle Larson, Elliott Sadler e Justin Allgaier fecharam o top-5. Claro, as diferenças ainda eram mínimas.
 
Kyle Busch, apesar de ter perdido o primeiro posto na largada, tratou de se recuperar já na volta 2. Uma ultrapassagem simples na reta oposta e pronto. Instantes depois, a primeira bandeira amarela, por conta de Derrike Cope. O #70 havia batido sozinho no muro externo.
 
A relargada veio na volta 10. E, assim como antes, Suárez levou a melhor. O mexicano recuperou a liderança. E, assim como antes, perdeu uma volta depois. Dessa vez, Daniel perdeu a traseira na curva, desabando para quarto.
 
Assim, Larson passou a ser o segundo, 1s4 atrás de Kyle Busch. O #18, em condições normais, tinha tudo para disparar na liderança. Isso enquanto Suárez estivesse um pouco mais atrás, pelo menos.
 
A bandeira amarela de competição foi acionada na volta 25. Kyle Busch e Larson seguiram em primeiro e segundo nos boxes, enquanto outros pilotos se enroscavam no pit-lane: Erik Jones saiu torto do seu box, espremendo Clint Bowyer, Daniel Suárez e Ty Dillon quase para a grama. Daniel acabou com a frente do carro danificada, precisando de outra parada.
 
Pela terceira vez seguida, Busch perdeu a liderança na relargada. Agora para Larson, novo líder. Além disso, o #18 quase foi superado por Sadler, terceiro.
Kyle Larson foi segundo (Foto: Reprodução/Twitter)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Mesmo conseguindo sustentar o segundo lugar, Busch estava em uma situação ruim. O #18 precisava buscar o #42 enquanto reclamava de problemas nos pneus. Os dois estavam próximos, todavia.
 
Mesmo com o temor sobre os pneus, Busch seguia pisando fundo. O atual campeão da Nascar retomou a liderança 18 voltas depois, tratando de abrir vantagem em seguida. Larson agora era o segundo, seguido por Sadler, Allgaier e Jones.
 
As voltas passavam e os ponteiros de distanciavam uns dos outros. Isso até a volta 80, quando o ciclo de pits em bandeira verde começou. Nos boxes, Allgaier tirou o terceiro lugar das mãos de Sadler.
 
Tão logo todos os líderes pararam, mais uma bandeira amarela. Ryan Reed havia rodado na entrada dos boxes. Assim, todos foram aos boxes novamente, apesar das paradas recentes.
 
A relargada aconteceu mas, segundos depois, outra amarela foi necessária. Travis Kvapil estava lento na pista, consequência de um vazamento de óleo.
 
Mais alguns minutos e a relargada definitiva aconteceu. Kyle Busch finalmente acertou a mão, segurando a ponta. Sadler, Jones e Suárez vinham atrás, enquanto Larson despencava. O #42 havia tocado no muro, ficando fora do top-10.
 
Mais algumas voltas e Larson voltou a se meter em encrencas. Kyle bateu na traseira de Ryan Reed, que foi com força contra o muro. Nova bandeira amarela, seguida de pit-stops.
 
Alguns decidiram seguir na pista: Logano e Sadler largariam em primeiro e segundo, mas com pneus velhos. Aqueles com borracha nova seriam uma ameaça séria.
 
Busch tomou o segundo lugar na relargada, ficando colado atrás de Logano. Suárez, Sadler e Jones completavam o top-5, mas já bem mais atrás.
 
Tão logo Busch ultrapassou Keselowski – algo previsível –, a sexta bandeira amarela foi necessária. Dessa vez por fluídos na pista, de curta duração. A relargada veio rápido, e o #18 voltou a disparar na liderança.
 
Atrás do #18, o top-5 era composto por Erik Jones, Sadler, Larson e Logano – este último despencando, ainda com pneus gastos.
 
Logano seguiu despencando, enquanto Larson tratava de ganhar terreno. A série de bandeiras amarelas impediu o #42 de se recuperar dos toques contra o muro, que custaram o segundo lugar. O piloto da Ganassi ultrapassou Sadler, tomando o terceiro posto, e partia para o ataque contra Jones.
 
Apesar das tentativas, Larson não conseguiu passar Jones. Os dois, juntos, começaram a se aproximar rapidamente de Busch, que vinha perdendo rendimento.
 
Com 45 voltas para o fim, todos foram aos boxes para um ciclo de pits em bandeira verde. Larson parou um pouco antes dos dois líderes, e cometeu um erro grave: excedeu o limite de velocidade dos boxes, recebendo um drive-through e saindo da briga pela vitória. Enquanto isso, Busch e Jones paravam normalmente, mantendo primeiro e segundo postos.
 
Faltando 40 para o fim, a sétima amarela. Jordan Anderson havia parado na pista, aparentemente com problemas mecânicos. Assim, os 16 pilotos da volta do líder seguiriam com chances de vitória.
 
Na relargada, Kyle Busch foi perfeito. A partida em si não foi sensacional, mas o #18 se posicionou bem, fazendo uma defesa precisa contra Jones. Erik, na volta seguinte, errou e entregou o segundo lugar para Allgaier. Bowyer e Menard fechavam o top-5.
 
Busch parecia estar encaminhando uma vitória fácil, mas tudo mudou com 18 voltas para o fim. Um pneu traseiro do #18 furou, levando a uma rodada. A bandeira amarela foi necessária, incendiando a prova.
 
Bowyer e Sadler não pararam, assumindo as duas primeiras posições. Já Allgaier e Jones encabeçaram a estratégia de um pit extra, relargando em terceiro e quarto. A vantagem da borracha nova era enorme, mas tudo estava em aberto.
 
Com pneus gastos, Sadler se consolidou como líder. Erik Jones pintava em segundo, com Larson em terceiro. Bowyer despencava com borracha velha.

É evidente que Sadler não se sustentaria em primeiro. Os pneus gastos eram um fardo muito pesado. De fato, Jones tomou a liderança com alguma facilidade. Larson, terceiro, fez o mesmo e partiu para a briga pela vitória.

Os dois, Jones e Larson, seguiram juntos até o fim. O #42 tinha velocidade, mas não conseguiu passar. Um erro na volta final foi suficiente para cravar a vitória de Erik.
 

PADDOCK GP #46 TRAZ BOB KELLER E DEBATE VITÓRIAS DE FRAGA E PEDROSA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube