Dominador, Kenseth segura surpreendente Austin Dillon e parte para vitória na etapa de Michigan da Nascar

Matt Kenseth apresentou, com sobras, o melhor ritmo na etapa da Nascar de Michigan, realizada neste domingo (16). Como recompensa, dominou e liderou a maior parte da prova, rumando para o terceiro triunfo de 2015. O único momento de dificuldade do #20 foi quando um inesperado Austin Dillon, em estratégia diferencial, assumiu a liderança momentaneamente após uma relargada

É difícil ver alguém dominar uma prova da Nascar do jeito que Matt Kenseth fez neste domingo (16), em Michigan. O #20, que largou na pole, teve o melhor ritmo ao longo da tarde e venceu pela terceira vez em 2015 com certa tranquilidade.
 
A única ameaça sofrida por Kenseth foi um surpreendente Austin Dillon. O #3 pulou para as primeiras posições depois de optar por não fazer um pit em bandeira amarela. Daí em diante, sempre dentro do top-5, ameaçou seriamente a vitória de Matt em duas relargadas. Eventualmente o #3 perdeu contato e se contentou com um quarto lugar.
Kenseth deu show em Michigan e venceu pela terceira vez em 2015 (Foto: Nascar)

Outro piloto que fez uma prova interessante foi Kevin Harvick. O #4 teve uma pane-seca na última volta antes de fazer seu pit. Como conseguiu se manter na mesma volta do líder, não perdeu contato, se recuperou e cruzou a linha de chega em segundo, com Martin Truex Jr. logo atrás.

Este foi o terceiro triunfo de Kenseth – e o segundo em três provas. Matt também havia vencido em Bristol e Pocono.

 
A próxima etapa da Nascar será disputada em Bristol, na versão noturna da corrida no famoso oval, já no próximo final de semana. Será a antepenúltima prova antes do início do Chase.

Saiba como foi a etapa da Sprint Cup em Michigan

A corrida começou com uma grande alteração em relação à ordem definida no treino classificatório. Kyle Busch, classificado em sexto, precisou trocar de carro depois de sofrer um acidente em um treino livre, largando em 43º.
 
A largada foi dada e Matt Kenseth conseguiu segurar a primeira posição, com Jimmie Johnson atrás. Denny Hamlin largou mal e caiu para terceiro, com Joey Logano e Carl Edwards atrás.
 
A bandeira amarela foi acionada logo na primeira curva. David Ragan havia saído de traseira e rodado, mas com a sorte de não acertar nada nem ninguém.
 
A relargada veio e o top-5 não foi alterado. Mais seis voltas se passaram até mais uma bandeira amarela – dessa vez por causa de detritos.
 
Na nova relargada Kenseth seguiu líder, mas agora com Logano em segundo. Johnson, agora terceiro, tinha Clint Bowyer e Hamlin no retrovisor.
 
Hamlin, aliás, tinha um começo de prova bastante ruim. Largando em segundo, Denny foi perdendo posição por posição, até ser ultrapassado por Martin Truex Jr. e sair do top-5.
 
A bandeira amarela de competição – já programada para o 20º giro – foi acionada, permitindo que os pilotos fizessem os primeiros pits da tarde.
Uma das (várias) relargadas em Michigan, com Dillon e Kenseth dividindo a curva (Foto: AP)
A enorme maioria dos pilotos optou por fazer pits. Austin Dillon foi o único que ficou na pista. Kenseth não conseguiu o ultrapassar na relargada, todavia. Pelo contrário: Logano passou o #20 e assumiu o segundo lugar.
 
Mas Kenseth deu o troco logo depois. Matt não só passou Logano como também o deixou eu posição ruim na pista. O resultado foi uma série de posições perdidas, ficando em sexto. Os pilotos que o ultrapassaram foram Dale Earnhardt Jr., Clint Bowyer e Brad Keselowski, agora no top-5.
 
Ao contrário do que o senso comum indicaria, Austin Dillon conseguiu segurar uma liderança segura. Kenseth, com pneus novos, não conseguia ultrapassar o #3.
 
Pelo contrário: Matt logo ficou 2s atrás de Austin. Em compensação, Kenseth conseguia abrir bastante sobre Dale Jr., terceiro.
 
Mas o não-pit de Dillon logo cobrou seu preço. Austin fez um pit em bandeira verde na volta 43, o que o deixou uma volta atrás de Kenseth.
 
Com isso, Logano voltou ao top-5, ocupando o quinto posto. Mas Joey conseguiu ganhar mais uma posição ao deixar Keselowski, seu companheiro, para trás.
 
Com 50 voltas completas, Johnson teve um problema. Algo estava errado no #48, que precisou fazer um pit fora de sua janela.
O longo trecho em bandeira verde parecia não fazer bem para os pilotos da Penske. Com pneus gastos, tanto Logano quanto Keselowski perderam uma posição para Kurt Busch.
 
O ciclo de pits em bandeira verde começou para valer pouco depois, com todo mundo parando até o 63º giro. Austin Dillon assumiu a ponta provisoriamente, até que Kenseth o ultrapassou na pista, com pneus mais novos.
 
Os dois primeiros colocados tinham uma vantagem incrível sobre o terceiro, Dale Jr. Os 9s5 davam alguma tranquilidade para a dupla. Atrás do #88, Bowyer segurava Kurt Busch, mais veloz.
 
A bandeira amarela retornou na volta 71. O lento Timmy Hill estava deixando muitos detritos na pista. Quem comemorou foi Dillon, que estava perto de fazer mais um pit em bandeira verde. Com a parada em bandeira amarela, caiu para 14º.
 
A relargada foi dada, com Kenseth ao lado de Bowyer. Matt sustentou a ponta, enquanto Clint tratava de segurar Truex Jr., veloz. Kyle Busch, que não havia parado, estava em quarto, com Logano atrás.
Dillon fez em Michigan sua melhor prova em 2015, terminando em quarto (Foto: Nascar)
Bowyer não conseguiu segurar Truex Jr. por muito tempo. Logo o #78 assumiu o segundo posto, já 3s atrás de Kenseth.
 
Um surpreendente Kyle Busch conseguiu passar Bowyer pouco depois, assumindo o terceiro posto. Isso até que Kevin Harvick, que vinha fazendo uma prova constante, passou os dois.
 
Mais uma rodada de paradas em bandeira verde começou por volta do centésimo giro. A maioria dos pilotos optou por não esperar muito, evitando voltas desnecessárias com pneus gastos.
 
Mas alguns foram até o fim. Harvick, por exemplo, ficou sem combustível na pista e precisou se arrastar até os boxes.
 
A ordem só se reestabeleceu completamente depois que todos pararam. Quando isso aconteceu, Kenseth estava novamente na liderança. Truex Jr., Kyle Busch, Bowyer e Hamlin fechavam o top-5.
 
A quinta bandeira amarela da tarde foi acionada na volta 120, novamente por causa de detritos. Os líderes não deram chance ao azar e foram para mais uma parada.
 
Kenseth voltou como líder dos pilotos que haviam parado – o que significava estar em terceiro: Edwards e Dillon seguiram na pista. Atrás de Matt, vinham Truex Jr, Hamlin e Logano.
 
Na relargada, Edwards fez um péssimo trabalho. O #19 saiu muito lento e atrasou toda sua fila de pilotos – que contava com Truex Jr e Logano. Kenseth, em contra partida, largou lindamente e tomou a ponta.
 
Mas a bandeira amarela veio logo depois. Bowyer foi tocado por Ryan Newman, rodou e bateu no muro interno de Michigan. Clint, que luta por uma vaga no Chase, perderia pontos importantes, mesmo voltando à disputa.
 
Novamente em bandeira amarela, a ordem passou a ser Kenseth, Dillon, Edwards, Hamlin e Truex Jr.

A relargada seguinte confirmou a liderança de Kenseth, agora com Edwards, Dillon, Hamlin e Harvick atrás.
Harvick chegou a ter uma pane-seca, mas se recuperou e conseguiu terminar em segundo (Foto: Nascar)
O problema é que a ação foi interrompida logo depois. Stewart rodou sozinho e causou mais uma amarela.
 
Austin Dillon tomou a liderança da corrida na relargada, naquela que era a sua melhor chance de vencer uma corrida e entrar no Chase. Mas a posição não foi sustentada: Kenseth deu o troco já na volta seguinte. Harvick, Hamlin e Truex Jr. fechavam o top-5.
 
Mas Dillon definitivamente não entregaria essa vitória. O #3 seguiu próximo de Kenseth por mais um bom tempo, até que Kenseth conseguisse abrir um pouco.
 
O ritmo inconstante de Hamlin voltou a se fazer presente no fim da prova. Pressionado por Truex Jr., perdeu o quarto lugar. E, logo depois, Edwards veio e engoliu os dois.
 
Faltavam 34 voltas para o fim e os pilotos precisaram apelar para mais um pit em bandeira verde. Ninguém cruzaria a linha de chega com etanol sobrando, aumentando as chances de pane seca nas últimas voltas.
 
O ciclo de pits terminou com 24 voltas para o fim, quando Kenseth retomou a liderança. Harvick estava em segundo. Truex Jr. e Hamlin vinham atrás. Dillon, com um ritmo um pouco pior, ocupava o quinto lugar.
 
Faltavam apenas 17 voltas para o fim quando Johnson errou novamente – dessa vez, rodou sozinho na última curva. A bandeira amarela foi acionada uma vez mais.
Os pilotos, inesperadamente, optaram por não fazer pits. Na relargada, Kenseth quase teve dificuldades com Harvick, mas manteve a ponta. Hamlin assumiu o terceiro lugar, enquanto Truex Jr. e Dillon fechavam o top-5.
 
Com 6 voltas para o fim, estava difícil de acreditar que a vitória ficasse com qualquer outro piloto que não fosse Kenseth. A vantagem sobre Harvick já era de 1s e, na verdade, o #4 parecia mais preocupado em se defender de Truex Jr., agora em terceiro, do que qualquer outra coisa.
 
No fim das contas, as posições não sofreram grandes alterações nos últimos giros. O top-5 acabou sendo formado por Kenseth, Harvick, Truex Jr., Dillon e Hamlin.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube