Hamlin sobrevive a corrida acidentada e conquista vitória na etapa caseira em Richmond na definição do Chase

Danny Hamlin venceu em casa em Richmond e vai entrar no Chase como a terceira colocação. A prova de sábado à noite foi acidentada e marcada por um recorde de bandeiras amarelas. Teve tanto acidente que a corrida chegou a ser paralisada por conta de um ‘big one’ na parte final. A etapa também encerrou a temporada regular da Nascar e definiu os classificados para o Chase – a fase decisiva do campeonato

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Largando da pole-position, Denny Hamlin sobreviveu a uma corrida tumultuada, que teve um recorde de 16 bandeiras amarelas e uma vermelha, e venceu sua etapa caseira em Richmond, neste sábado (10) à noite. A prova também marcou o fim da temporada regular da Nascar e definiu os 16 nomes que vão brigar pelo título no Chase, que tem início logo na próxima semana, no oval de Chicago. 

 
Com a vitória, o #11 se colocou na terceira colocação na classificação para a fase decisiva do campeonato norte-americano. Kyle Larson, Martin Truex Jr., que comandou boa parte da corrida com 197 voltas na liderança, Brad Keselowski e Kevin Harvick completaram os cinco primeiros. Ao todo, sete pilotos ocuparam a ponta da prova de 400 giros no estado da Virgínia.
 
A corrida em Richmond foi bastante acidentada e paralisada diversas vezes, inclusive com bandeira vermelha. A primeira delas aconteceu logo na volta 10, quando  Ryan Blaney bateu em Trevor Bayne e cortou o pneu do adversário. Blaney precisou de reparos na garagem, mas ainda conseguiu retornar à prova na volta 123 e, depois de muitos pit-stops, completou a corrida em 40º. 
Largada da Nascar em Richmond neste sábado (Foto: Nascar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
AJ Allmendinger foi outro a se envolver em problemas. O #47 rodou na volta 86 e provocou a segunda amarela da noite. Enquanto isso, Hamlin vinha liderando sem grandes dramas – isso foi até a terceira interrupção, quando Chase Elliott tocou em Jeff Gordon na reta oposto, também danificando o pneu do veterano. 

 
O próximo a bater foi Jimmie Johnson, logo depois que relatou detritos na pista. Neste momento, a corrida já se aproximava da metade. Johnson colidiu na curva 1 depois de um problema de pneu também. O #48 ainda foi capaz de voltar à corrida, entretanto. Mas os incidentes não cessaram. 
 
Na volta 245, David Ragan também foi para a parede da curva 1, trazendo a amarela novamente. Cinco voltas mais tarde, Ricky Stenhouse e Paul Menard estamparam o muro da 2. Não demorou muito, e a curva 3 acabou protagonista com o acidente entre Casey Mears e Matt DiBenedetto na 279ª passagem. E aí veio uma série de novos incidentes: Michael Annett bateu na curva 2 no giro 290, pouco depois foi a vez de Carl Edwards. Allmendinger rodou na 328. Aí Keselowski e Matt Kenseth também se tocaram, o que causou um furo de pneu no carro do segundo. 
 
Em seguida, veio o momento de maior desastre da prova. Na volta 363, Tony Stewart e Ryan Newman vinham disputando a décima colocação, na 14ª relargada da corrida, quando bateram entre as curvas 1 e 2, levando junto outros oito pilotos. Por conta do 'big one', a pista ficou bloqueada e a direção de prova não teve outra alternativa a não ser acionar a bandeira vermelha. 
AJ Allmendinger roda durante prova em Richmond na Nascar (Foto: Nascar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A corrida ficou paralisada por 20 minutos para a limpeza da pista. Na volta das ações, Hamlin foi capaz de retomar a ponta – ele comandou a corrida por 189, contra 197 de Truex Jr. e 15 de Larson. A prova ainda viu mais duas bandeiras amarelas antes do fim, mas sem grandes dramas também. 

 
No final, o dono da casa segurou bem a liderança nas últimas voltas e cruzou a linha de chegada com 0s609 de vantagem para Larson, que passou em segundo menos de décimo à frente de Truex Jr., que comandou a corrida em sua fase intermediária. 
 
Agora, a Nascar retorna às ações para o início do Chase na próxima semana, com a prova em Chicago – serão mais dez provas até a decisão do título de 2016.
PADDOCK GP #45 COMENTA FIM DE SEMANA COM F1, INDY, MOTOGP E WEC

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube