Keselowski ultrapassa Austin Dillon nas últimas voltas e garante vitória na etapa do Texas da Xfinity

Austin Dillon se tornou líder na última rodada de pits, mas não foi capaz de sustentar tal condição. O #33, com ameaças vindas de todos os lados, perdeu a ponta para Brad Keselowski, que logo abriu vantagem e rumou para a vitória no Texas

Brad Keselowski teve um dia de altos e baixos no Texas. Largando na primeira fila, o #22 apagou no meio da prova e só acordou no final. Mas, quando o fez, foi para despachar Austin Dillon, disparar na liderança e rumar para a vitória na etapa da Xfinity deste sábado (7).
 
Dillon também não teve um dia ideal, sofrendo com a falta de ritmo em certos momentos da prova. Mas o #33 conseguiu assumir a liderança justamente no último ciclo de pits, com uma parada mais rápida que a dos demais. O problema é que, quando ameaçado por Keselowski e Kevin Harvick, Austin não foi capaz de se sustentar. O resultado foi a manobra decisiva de Brad.
 
Dillon também não conseguiu manter o segundo lugar, que acabou com Harvick. Em terceiro, Austin ficou à frente  de Erik Jones e seu irmão, Ty Dillon, que fechou o top-5.
Keselowski precisou superar Austin Dillon para vencer no Texas (Foto: Getty Images)
O azarado da prova foi Kyle Larson, vítima de um pneu furado. O #42 conseguiu abrir uma vantagem confortável em trechos de bandeira verde, mas foi pego de surpresa por um pneu que já vinha se mostrando problemático ao longo do trecho.
 
Entre os candidatos ao título da Xfinity, a disputa foi parelha. Chase Elliott cruzou a linha de chegada em oitavo, superando Chris Buescher – que perdeu um pouco de terreno no final e acabou em 11º. A vantagem do #60, todavia, é suficiente para lhe permitir pequenas perdas de pontos.
 
A próxima etapa da Xfinity Series será em Phoenix, a penúltima da temporada. Depois, restará apenas a prova de Homestead.

Saiba como foi a etapa do Texas da Xfinity

 
A largada atrasou um pouco por causa da chuva que havia atingido o Texas na manhã deste sábado (7). A pista demorou mais do que o normal para secar, adiando a largada em quase 20 minutos.
 
Quando a largada começou, todavia, as coisas começaram para valer. Nem duas voltas foram necessárias para que Brad Keselowski, segundo no grid, ultrapassasse Austin Dillon, pole. Kevin Harvick, que largara em oitavo, logo saltou para terceiro. Kyle Busch e Erik Jones fechavam o top-5.
 
Austin Dillon, todavia, conseguiu dar o troco na volta 13, relegando Keselowski ao segundo posto.
 
Daí em diante, Keselowski começou a perder várias posições. Harvick, Kyle Busch e Jones não tardaram em deixar o piloto da Penske para trás.
 
A bandeira amarela de competição, programada previamente, foi acionada na volta 25. Era a primeira oportunidade para os pilotos fazerem seus pits. Nos boxes, Austin seguiu líder, enquanto Kyle Busch saltava para segundo.
 
Na relargada, Austin Dillon conseguiu manter a pole, enquanto Kyle Busch e Keselowski se digladiavam pela segunda posição. O piloto da Joe Gibbs conseguiu levar a melhor, deixando o rival da Penske para trás. Regan Smith e Jones fechavam o top-5.
 
Kyle Busch precisou de algum tempo para acabar com a vantagem de Austin Dillon, que teimava em não diminuir. Eventualmente o #33 perdeu um pouco mais de seu ritmo, cedendo ao #54.
 
Harvick, que relargara em sexto, saltou para terceiro rapidamente. Nesta condição, atacou e passou Austin Dillon, assim como Kyle Busch.
Antes de furar um pneu, Larson aparecia como candidato à vitória (Foto: Getty Images)
Na volta 61, Harvick colou em Kyle Busch. A velocidade de Kevin era claramente superior, lhe permitindo uma ultrapassagem e a liderança.
 
A bandeira amarela foi necessária novamente na volta 77. Mike Harmon, com problemas mecânicos, havia parado no meio da pista. Os pilotos partiram para outra rodada de pits, onde Harvick manteve a liderança.
 
Mas brevemente. Uma volta depois, Kevin precisou de um pit emergencial, reclamando de alguma coisa errada na dianteira do carro. Kyle Busch também precisou de uma parada extra, com problemas no câmbio.
 
Contando com os problemas alheios, Keselowski voltou a ser líder. Smith, Larson, Jones e Chase Elliott fechavam o top-5.
A terceira bandeira amarela da tarde veio na volta 84, dessa vez por causa de detritos na pista. Nos boxes, Larson assumiu a liderança, deixando Keselowski em segundo.
 
Larson foi maiúsculo na relargada, quando conseguiu segurar Keselowski. O feito chamou a atenção por causa dos pneus do #42: algo estava claramente errado com a borracha de Kyle, que soltava fumaça nas curvas.
 
Apesar disso, Larson se sustentava na ponta. Keselowski, logo depois de se consolidar em segundo, foi ultrapassado por Smith. Brad, todavia, conseguiu dar o troco pouco depois.
 
Depois de ser ultrapassado por Keselowski, Smith começou a perder terreno. O #7 logo foi alcançado por Harvick – já recuperado dos problemas no carro – e Jones, perdendo posições para os dois rapidamente.
 
Harvick, agora em terceiro, estava próximo de Keselowski. Apesar disso, demorou para que Kevin deixasse Brad para trás. Poucas voltas depois, o piloto da Penske deu o troco. Enquanto isso, Larson abria vantagem.
 
Sem conseguir se livrar de Keselowski, Harvick optou por antecipar sua parada. Com 40 giros para o fim, Kevin foi o primeiro a parar, levando seus adversários a fazer o mesmo.
Austin Dillon chegou perto da vitória no Texas (Foto: Reprodução/Twitter)
Em sete voltas, todos os líderes já haviam feito seus pits, evitando problemas. Kyle Busch, foi a exceção: o #54, apenas com a quarta marcha, perdeu muito tempo ao recuperar velocidade. Além disso, excedeu o limite dos boxes e foi punido com um drive-through.
 
Com 30 voltas para o fim, a ordem era Larson, Harvick – bem sucedido ao parar mais cedo –, Keselowski, Austin Dillon e Jones.
 
Mas a prova de Larson sofreu um forte baque em seguida. Um pneu traseiro do #42 explodiu, levando Kyle a rodar, quase batendo. A bandeira amarela foi acionada.
 
Os pilotos optaram por fazer aquela que poderia ser o último pit do dia. Austin, antes em terceiro, saltou para a liderança, com Keselowski e Harvick atrás.
 
Austil Dillon sustentou sua posição na relargada, assim como Keselowski e Harvick.
 
Mas o trio logo tratou de trocar postos. Keselowski foi o primeiro a atacar Dillon, pela linha de baixo, enquanto Harvick vinha por cima. No fim das contas, Brad tomou a liderança, enquanto Austin segurava Kevin.

Em vão. Harvick não estava devendo para o ritmo de Keselowski e também passou Dillon. Mas o tempo perdido atrás de Austin acabou com as chances de vitória de Kevin.
 
O trio seguiu até o fim sem mais trocas de posição. Jones e Ty Dillon fecharam o top-5.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube