Kyle Busch faz pit no fim, bate Johnson na estratégia e vence etapa da Nascar em Sonoma

Jimmie Johnson acreditou que não fazer um pit na última bandeira amarela era uma boa. Kyle Busch tomou a decisão oposta e, com pneus novos, superou o #48 na etapa da Sprint Cup em Sonoma. Foi a primeira vitória do #18 depois de seu grave acidente em Daytona

O final da etapa de Sonoma da Sprint Cup foi épico. Sem exageros, o adjetivo é adequado. Kyle Busch, na quinta prova após o forte acidente sofrido em Daytona, superou Jimmie Johnson na base da estratégia e venceu a primeira em 2015.
Kyle Busch foi espetacular em Sonoma (Foto: Reprodução/Twitter)
Johnson optou por não fazer um pit na última bandeira amarela, causada por Casey Mears, mas o que aconteceu depois mostrou que a decisão foi errada. Quase todos os pilotos foram aos boxes e, comprometendo a estratégia do #48. Kyle Busch, que havia retornado dos boxes em sétimo, foi passando um por um e venceu com maestria.
O segundo colocado foi justamente o irmão de Kyle. Kurt Busch, que também fez uma bela prova, sempre figurou entres os líderes e dava a impressão de ser o único capaz de derrotar Johnson. Apesar da velocidade, pit-stops lentos comprometeram a prova do piloto da Stewart-Haas.
 
Kevin Harvick, quarto colocado, conseguiu um resultado importante para se manter na liderança do campeonato. Ainda mais se considerarmos que o seu maior rival, Martin Truex Jr., abandonou após um acidente com David Ragan.
 
A vitória é importantíssima para Kyle Busch na tentativa de se classificar para o Chase. Agora, o #18 precisa ser constante, somar pontos e se recuperar dos pontos perdidos nas 11 primeiras etapas, realizadas enquanto estava machucado.

Saiba como foi a etapa da Nascar em Sonoma

 
O céu em Sonoma continuava tão azul quanto de costume. Não havia uma única nuvem na Califórnia e os pneus de chuva levados à costa oeste seriam inúteis. As temperaturas estavam agradáveis, com os termômetros registrando 23ºC.
 
Kurt Busch tomou a ponta de AJ Allmendinger logo na segunda curva, enquanto Kyle Larson tomava a terceira posição de Matt Kenseth. Jeff Gordon quinto, manteve a posição de largada.
 
Logo na terceira volta ficou claro que os três primeiros colocados tinham mais ritmo. Kurt Busch, todavia, parecia segurar Allmendinger e Larson.
 
O pouco ritmo de Kenseth ia cobrando seu preço. Gordon não tardou em fazer uma manobra sobre Matt na última curva.
 
No meio do pelotão a ação era intensa. A briga pela 12ª posição, por exemplo, terminou com Martin Truex Jr. cometendo um erro e abrindo caminho para Carl Edwards.
Kurt Busch e AJ Allmendinger foram os líderes no começo da prova (Foto: AP)
Kurt Busch, antes pressionado, começou a abrir alguma vantagem sobre Allmendinger, que ainda segurava Larson.
Mais atrás, Brad Keselowski vivia um dia difícil. O #2 ia perdendo diversas posições e, na volta 7, já era o 19º.
 
Enquanto isso, Gordon ultrapassava Larson, se colocando em posição de lutar até pelo segundo lugar de Allmendinger. Passando por um ano difícil, Sonoma poderia ser a melhor chance de vitória para Gordon.
 
Mas ninguém ultrapassava mais do que Dale Earnhardt Jr. Depois de largar em 19º, o #88 precisou de meras 11 voltas para chegar ao 11º lugar.
 
A briga pela quinta posição também estava intensa. Kenseth não conseguiu segurar a posição contra um impetuoso Clint Bowyer – que, por sua vez, trazia um veloz Jimmie Johnson no vácuo. O #48, poucas voltas depois, não teve dificuldades para superar o #15.
 
Enquanto isso, os dois primeiros colocados abriam muito sobre os outros. A diferença de Allmendinger sobre Gordon era de 9s4 com vinte voltas completas.
 
Apesar de uma boa posição de largada, o dia de Larson não era dos melhores. O #42 vinha perdendo ritmo e abriu caminho para Johnson e Bowyer.
 
A primeira bandeira amarela foi acionada na volta 21, após uma forte batida de David Gilliland – que saiu do incidente sem machucados. O acidente foi causado por um furo no pneu, coisa que já havia acontecido com Jamie McMurray mais cedo – mas sem danos ao carro.
Os pilotos aproveitaram para fazer seus primeiros pits. Nos boxes, Allmendinger tomou a primeira posição de Kurt Busch. Todavia, o #47 só aparecia em nono, já que oito pilotos não pararam nessa janela. Bowyer, Tony Stewart, McMurray e Kyle Busch eram os líderes de fato.
 
Na relargada, Stewart perdeu posições para McMurray e Kyle Busch, enquanto Bowyer tentava abrir. Allmendinger ainda era o nono, com Kurt Busch em décimo.
 
O líder mudou novamente algumas voltas depois. Kyle Busch conseguiu passar ambos McMurray e Bowyer, quase em sequência. Agora a tarefa de Clint era segurar o ímpeto de Jamie.
 
A amarela voltou na 29, quando David Ragan, espremido, bateu na traseira de Truex Jr., que foi rumo ao muro. Era o primeiro abandono do #78 em 2015.
 
Bowyer aproveitou a oportunidade para fazer seu primeiro pit. Kyle Busch e McMurray, na contramão, seguiram na pista.
 
A bandeira vermelha foi acionada logo depois. A barreira de pneus havia sido danificada, exigindo algum tempo para reparação.
 
A amarela voltou dez minutos depois. Quando a verde foi acionada, os cinco primeiros eram Kyle Busch, McMurray, Newman, Allmendinger e Kurt Busch.
 
Allmendinger não teve problemas para, na relargada, deixar Newman para trás. Agora havia um carro entre AJ e seu maior adversário na briga pela vitória, Kurt Busch.
 
McMurray, a exemplo de Newman, não pôde fazer resistência a Allmendinger. O #1, ao ser passado pelo #47, também perdeu posição para Newman e Kurt Busch. Kyle Busch seguia liderando com certa vantagem.
 
E McMurray não parava de ser ultrapassado. Gordon fez o mesmo uma volta depois, assim como Dale Jr. e Larson. O #1 já aparecia em nono.
 
Kurt Busch, enquanto isso, também passava Newman e colava em Allmendinger com certa facilidade. Na saída da última curva, o #41 passou o #47. Agora os irmãos dividiam as duas primeiras posições.
 
Kyle, Kurt e AJ estavam muito próximos. Com pneus mais gastos, Buschinho não conseguiu segurar os outros dois, caindo para terceiro.

Kyle Busch, aliás, não era capaz de resistir mais aos ataques. Johnson também conseguiu fazer ultrapassagem sobre o #18, sem maiores dramas.
Johnson foi vítima de uma estratégia ruim e terminou em sexto (Foto: AP)
Mais atrás, dificuldades para Kenseth. O #20 teve um pneu furado e perdeu muitas posições até chegar aos boxes.
 
Kyle Busch, agora em quinto, conseguia segurar a posição de Gordon e Dale Jr. Sem permitir que entrassem no top-5, restou aos pilotos da Hendrick Motorsport uma briga particular – com o #88 vencedor.
 
Parando na volta 48, Kyle Busch iria para uma estratégia com menos pits. O problema do #18 seria remar, saindo do meio do pelotão.
 
Com 50 voltas completas, os cinco primeiros eram Kurt Busch, Allmendinger, Johnson, Harvick e Dale Jr. Gordon, que era o sexto, abriu caminho para Larson e Kasey Kahne.
 
Johnson, que vinha com um ritmo de corrida incrível, não tardou em passar Allmendinger. Agora em segundo, o hexacampeão precisaria remar bastante até chegar em Kurt.
 
Quatro dos ponteiros entraram nos boxes na volta 54. Kurt Busch, Allmendinger, Harvick e Earnhardt Jr. foram os primeiros a fazer a parada. Larson e Kahne fizeram o mesmo, pouco depois.
 
Agora em sétimo, Kurt Busch conseguia fazer voltas mais rápidas do que Johnson, que demorava para parar.
 
Os pilotos de ponta começaram a ter alguns problemas. Gordon, por exemplo, teve um pneu furado e perdeu posições. Já Allmendinger relatava falta de pressão no combustível. Não muito depois, AJ precisou levar o carro para a garagem, saindo em definitivo da briga pela vitória.
 
A volta 62 já haviam sido completada e nada de Johnson nos boxes. As aparências indicavam que o #48 tentaria fazer uma parada a menos. No momento, ele tinha 29s de vantagem sobre Bowyer, segundo. Kurt Busch vinha em terceiro.
 
Johnson parou na volta 67, na expectativa de não parar mais. Kurt Busch, Dale Jr. e Kahne novos líderes, precisariam de mais uma parada. Jimmie voltou em quarto, mas logo passou Kasey e assumiu o terceiro lugar.
 
A bandeira amarela retornou na volta 74. JJ Yeley tocou a terra, perdeu o carro e bateu com certa força no muro de concreto. A intervenção foi muito boa para Johnson, que precisava poupar pneus. Além disso, o #48 ficaria colado nos líderes.
Enquanto isso, Gordon ficava parado nos boxes. O #24 apresentava problemas nas molas do carro. Kurt Busch também foi aos boxes – assim como outros –, mas apenas para fazer pits, sem maiores dramas. Na oportunidade, o #41 voltou em 15º, perdendo posições para Dale Jr. e Kahne. Com isso, o trio tinha combustível para ir até o final.
 
Johnson, líder novamente, conseguiu segurar Bowyer na relargada. Enquanto isso, um apagadíssimo Joey Logano surgia em terceiro, com um pit a menos.
 
Mas a bandeira verde foi curta. David Ragan e Carl Edwards se engancharam, rodaram e bateram no muro. Fim de prova para os dois e amarela. E Johnson só comemorava, enquanto garantia o que precisava de combustível.
 
Após uma longa bandeira amarela, a relargada foi permitida. Com 26 voltas para o fim, Johnson ainda liderava Bowyer. Kyle Busch era o terceiro. Dale Jr., primeiro dos que haviam parado depois dos outros, vinha em oitavo. Kurt Busch era o 11º. Nenhum dos dois parecia capaz de derrubar o #48.
 
Bowyer não conseguiu segurar Kyle Busch, que logo tomou a segunda posição. Com pneus mais gastos, o #18 tentaria atacar o #48. Enquanto isso, Dale Jr. era o sexto.
 
Mas o novo segundo colocado não era capaz de se aproximar de Johnson. Não tardou para que Jimmie tivesse 2s3 de vantagem sobre Kyle Busch. Kurt Busch, melhor piloto dos que tinham pneus novos, era o quinto. Dale Jr., na mesma estratégia do #41, estava preso em sétimo.
 
Bowyer, que fora ultrapassado por Kyle Busch, conseguiu dar o troco pouco depois, tomando o segundo lugar. A dupla teria que brigar com outro piloto em seguida: Kurt Busch passou a ser o quarto.

A bandeira amarela retornou com 12 voltas para o fim. A suspensão traseira de Casey Mears simplesmente decidiu que não queria mais fazer parte do carro. Ou algo assim. O que se sabe que a roda do carro se soltou do Chevrolet com eixo e tudo.
 
Aí começou a pairar uma dúvida: quem iria aos boxes? Johnson optou por ficar na pista – mas praticamente todos os outros pilotos entraram. Só Jimmie, McMurray, Gordon, Stenhouse Jr. e Kenseth ficaram na pista. 
 
Dos que pararam, Bowyer, Kyle Busch, Logano e Kurt Busch lideravam.
 
A relargada foi confusa. Os carros iam para a área de escape, se tocavam, mas a bandeira seguiu verde. Kyle Busch, com pneus novos, apareceu em segundo com rapidez. A liderança de Johnson estava seriamente ameaçada.
 
Jimmie Johnson foi ultrapassado por Kyle Busch em uma linda manobra do #18. E não foi só isso: Bowyer e Kurt Busch também fizeram o mesmo, sem muita dificuldade.
 
A vitória de Kyle Busch parecia intocável. A briga pelo segundo lugar estava em jogo: Bowyer segurava Kurt Busch e tentava evitar uma dobradinha familiar – em vão. O #41 tinha mais ritmo que o #15 e realizou a manobra.
 
Daí em diante, as ultrapassagens pararam. Era a primeira vitória de Kyle Busch em 2015. Atrás do #18 vieram Kurt Busch, Clint Bowyer, Kevin Harvick e Joey Logano.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube