Kyle Busch se consagra em grande disputa com Logano e vence etapa de Kentucky da Sprint Cup

Depois de uma disputa acirradíssima com Joey Logano, Kyle Busch conseguiu ir ao Victory Lane pela segunda vez em 2015. A dupla de pilotos passou três voltas andando lado a lado, trocando e posição a cada curva. No fim das contas, o ritmo melhor do #18 falou mais alto

A etapa de Kentucky da Sprint Cup, disputada neste sábado (11), garantiu um número inesperado de disputas e trocas de líderes. Toda esse emoção foi coroada com uma vitória de Kyle Busch, que veio após uma acirrada disputa com Joey Logano nas últimas voltas.
 
Kyle Busch assumiu a liderança ainda no começo da prova, enquanto Logano demorou a aparecer com protagonismo na briga pela ponta. Depois de uma bela relargada, Joey deixou dois carros para trás e virou líder.
Kyle Busch conseguiu uma vitória maiúscula em Kentucky (Foto: Nascar)
A vitória de Logano poderia ter acontecido. O piloto da Penske conseguiu abrir alguma vantagem sobre Kyle Busch. Seu azar é que o #18 estava impossível e descontou toda a diferença em poucos giros. Quando colou no #22, o que se viu foi uma disputa que durou três voltas, com os dois carros andando lado a lado.

Esta é a segunda vitória de Kyle Busch em 2015, apenas dois finais de semana depois do primeiro triunfo, em Sonoma. O #18, que perdeu diversas corridas do começo da temporada por causa de uma lesão nas pernas, precisa ser regular e pontuar bastante para alcançar a 30ª colocação no campeonato – o mínimo que o piloto precisa para participar do Chase.
 
Brad Keselowski, que chegou a liderar o começo da prova, teve um dia difícil. O #2 estava veloz, mas dois problemas consecutivos nos boxes – primeiro quase atropelando um mecânico e depois vítima de um porca que não prendia direito – trataram de dificultar a noite do piloto da Penske.
 
A próxima etapa da Nascar será já no próximo final de semana, com a etapa de New Hampshire.

Saiba como foi a etapa de Kentucky da Sprint Cup

 
O clima em Kentucky neste sábado (11) era melhor do que nos dias anteriores, que tiveram chuva e treinos cancelados. Mas também não era nenhuma maravilha: o céu estava nublado e a temperatura era de meros 21ºC.
O pole, Kyle Larson, fez uma largada ruim. Uma curva e o líder já era Brad Keselowski; outra curva e o segundo já era Jeff Gordon. Atrás do #42, Martin Truex Jr. e Jimmie Johnson fechavam o top-5 com largadas razoáveis.
 
A briga pelo quarto lugar, aliás, era intensa. Truex Jr. havia deixado Johnson para trás, mas logo levou o troco. No vácuo, Joey Logano tomou o quinto lugar do #78.
 
A vantagem que Keselowski conseguiu construir nas primeiras voltas era impressionante. O #2 conseguiu 3s de diferença para Gordon em apenas 18 giros.
 
A primeira bandeira amarela veio na volta 19. Josh Wise havia perdido o controle do carro, batendo no muro de leve.
 
Keselowski não teve dificuldades na relargada e logo tratou de abrir vantagem. Enquanto isso, Logano e Kyle Busch  batalhavam pela segunda posição, com o Toyota levando vantagem. Depois de relargadas ruins, Larson e Gordon fechavam os cinco primeiros.
 
Pouco depois, Gordon conseguiu abrir caminho para cima de Larson. No vácuo, Denny Hamlin também ganhou uma posição.
Keselowski tinha bom ritmo, mas foi vítima de trapalhadas nos boxes(Foto: AP)
A bandeira amarela de competição foi acionada na volta 30, permitindo que os pilotos fossem aos boxes pela primeira vez.
 
Nos boxes, a maioria dos pilotos optou por trocar apenas dois pneus – menos o líder, Keselowski, que optou por quatro e caiu para 12º. O top-5 passou a ser Kyle Busch, Hamlin, Logano, Larson e Gordon.
 
As duas primeiras posições seguiram inalteradas na relargada, enquanto Larson passava Logano. Johnson fechava os cinco primeiros. Keselowski aparecia em oitavo.
 
Gordon teve uma largada especialmente ruim. Saindo de quinto, o #24 logo apareceu em nono, já atrás do ex-líder Keselowski. O erro na partida complicou bastante a tentativa do veterano de vencer na única pista da Nascar em que ainda não tinha vitórias.

Nas primeiras posições, Kyle Busch conseguia uma vantagem sobre Hamlin. Logano, depois de passar Larson, já se aproximava de Denny. Falando em ultrapassar o #42, Truex Jr. assumiu o quarto lugar.
 
Com pneus 100% novos, ninguém era mais rápido do que Keselowski. O piloto da Penske conseguiu encaixar uma bela sequência de ultrapassagens, pulando para o quarto lugar na 49ª volta.
 
Mas Keselowski não era a única Penske veloz. Logano também conseguia ganhar posições, eventualmente tomando a segunda posição de Hamlin. Brad também passou Denny, alguns giros depois. Apesar do ímpeto da dupla, Kyle Busch já estava com 2s7 de vantagem.
 
Keselowski passou Logano  na volta 63, assumindo o segundo lugar. Agora, a missão do #2 era tirar 3s5 de vantagem de Kyle Busch.
 
Hamlin precisou ir aos boxes na volta 72. Com um pneu que ia perdendo pressão, o #11 abandonou o quarto lugar – talvez em definitivo.
 
A bandeira amarela voltou a ser acionada na volta 81. Paul Menard não foi capaz de evitar um toque no muro, deixando detritos na pista. Com a intervenção, os pilotos entraram em massa nos boxes.
 
Após os pits a ordem passou a ser Kyle Busch, Logano, Keselowski, Truex Jr. e Kenseth. Johnson, com problemas no pneu traseiro, perdeu muito tempo no pitlane e caiu para 24º.
 
Keselowski conseguiu ultrapassar Logano na relargada, deixando as posições do top-3 na ordem que estavam antes dos pits. Enquanto isso, Carl Edwards e Kevin Harvick iam para cima de Truex Jr. e Kenseth.
 
A briga pela liderança envolvia apenas Kyle Busch e Keselowski. O #2 conseguiu tomar a liderança momentaneamente, mas o #18 deu o troco na sequência. A resistência  não adiantou muito, já que o piloto da Penske retomou a liderança em definitivo pouco depois.
 
A bandeira amarela retornou na volta 99. Kurt Busch rodou sobre a linha de chegada, sem contato com nenhum outro carro. Todavia, o #41 escapou do incidente sem danos.
Logano, protagonista na luta pela vitória em Kentucky (Foto: Nascar)
Todos os pilotos optaram por ir aos boxes. Lá, Keselowski segurou a liderança, trazendo Kyle Busch, Logano, Truex Jr. e Kenseth atrás.
 
As quatro primeiras posições seguiram inalteradas na relargada. Enquanto isso, Edwards tomava o quinto posto – até ser ultrapassado por Harvick, pouco depois.
Depois de algumas voltas sem muita ação, a bandeira amarela voltou no 125º giro. JJ Yeley havia batido no muro. Os carros foram aos boxes e a vida de Keselowski ficou complicada: um dos mecânicos que trocava seus pneus, não conseguiu segurar a tira, além de tropeçar na frente do #2. A perda era grande.
 
Com as desventuras de Keselowski, os cinco primeiros passaram a ser Kyle Busch, Truex Jr., Edwards, David Ragan e Larson.
 
Kyle Busch e Truex Jr. mantiveram as duas primeiras posições na relargada, enquanto Edwards pulava para terceiro. Ragan e Keselowski fechavam o top-5.
 
A bandeira amarela foi acionada novamente na sequência. Dale Earnhardt Jr. saiu de frente na curva 3 e bateu com certa força no muro.
 
Kyle Busch manteve a ponta na relargada, enquanto Edwards ultrapassava Truex Jr. Keselowski e Logano fechavam os cinco primeiros.
 
Pena que a bandeira amarela voltou logo depois. Jeb Burton foi acertado por um estabanado Ricky Stenhouse Jr. De brinde, a dupla fez Tony Stewart rodar.
 
As Toyotas de Kyle Busch e Edwards se mantiveram nas duas primeiras posições, enquanto Keselowski e Logano galgavam posições na relargada. Harvick fechava os cinco primeiros.
 
Edwards, com um carro bem acertado, foi para cima de seu companheiro de equipe, Kyle Busch. Faltou pouco para Carl tomar a ponta. Keselowski, que tentava se aproveitar do que quer que sobrasse da briga pela liderança, conseguiu tomar a segunda posição do #19.
 
Mais algumas voltas; mais uma bandeira amarela. Detritos na pista fizeram com que o Pace Car voltasse à pista. Muitos pilotos resolveram ir aos boxes – como Keselowski e Kurt Busch –, mas a maioria dos líderes seguiu na pista.
 
Kyle Busch seguiu líder na relargada. Edwards, Harvick, Logano e Hamlin vinham atrás. Keselowski, com estratégia diferenciada, vinha em 12º.
 
A grande ação da corrida passou a ser a recuperação de Keselowski. Com pneus melhores, o #2 vinha ganhando posições com facilidade, chegando ao quinto lugar na volta 180.
 
E não parou aí. Keselowski também deixou Logano para trás pouco depois. E Harvick também. Agora, apenas Kyle Busch e Edwards separavam Brad da liderança.
 
A bandeira amarela, a nona, surgiu na volta 187. Com a janela da bandeira verde havia sido grande, todos foram aos boxes. Kyle Busch seguiu líder, se beneficiando de pits ruins de Edwards e Keselowski – Carl voltou em quinto e Brad em 15º. Hamlin era segundo, trazendo Harvick e Logano atrás.
 
Na relargada, a única alteração entre os cinco primeiros foi a ultrapassagem de Logano sobre Harvick. Mas fora do top-5, Keselowski seguia encaixando ultrapassagens. Na volta 200, o #2 aparecia em 9º.
 
Mais uma bandeira amarela na volta 207. Danica Patrick havia sido tocada por Dale Jr, incidente que comprometeu o carro da dama. Todos os pilotos foram aos boxes. O top-5 passou a ser Kyle Busch, Hamlin, Edwards, Logano e Kenseth.
 
A relargada reservou uma diputa especial entre os três primeiros. Kyle Busch, Hamlin e Edwards ficaram lado a lado, até que Denny tomasse a ponta em definitivo. Logano se aproveitou da briga e saltou para segundo. Kyle agora era o terceiro, com Carl e Keselowski atrás.
 
A ação foi interrompida pouco depois. Larson, após ser tocado na traseira, começou a perder controle e velocidade. Depois de tocar de leve no muro, a bandeira amarela voltou. Ninguém foi aos pits.
 
Logano se aproveitou de uma largada ruim de Hamlin e tomou a liderança pela primeira vez na noite. Denny havia caído para terceiro, perdendo posição também para Kyle Busch. Edwards e Kenseth fechavam os cinco primeiros.

Poucas voltas foram necessárias para perceber que Logano e Kyle Busch eram os carros com mais ritmo nas últimas voltas Os dois começaram a abrir sobre os demais.
 
Logano conseguiu evitar Kyle Busch por algum tempo, mas não para sempre. O #18 foi para cima do #22 e o que se viu a partir daí foi um disputada acirradíssima.
 
Depois de andar lado a lado por três voltas, Kyle conseguiu superar Logano em definitivo. E logo conseguiu abrir, mostrando que seria difícil tirar a vitória do #18.
 
E, de fato, foi definitivo. Kyle Busch venceu, com Logano, Hamlin, Edwards e Kenseth atrás.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube