Larson segura Logano e Kyle Busch na última relargada e vence etapa agitada da Xfinity em Fontana

Kyle Larson sofreu para segurar o ímpeto de Joey Logano e Kyle Busch na última relargada. Por pouco, Larson manteve a liderança e venceu uma corrida marcada pelas reviravoltas em Fontana

A etapa de Fontana da Xfintiy, ao contrário do que a categoria costuma proporcionar, foi agitada até o final. Foi só na última relargada deste sábado (25) que a briga de faca dos líderes se resolveu: Kyle Larson, que ganhou muito terreno na segunda metade da corrida, conseguiu segurar o ímpeto de Joey Logano e Kyle Busch para vencer pela primeira vez em 2017.
 
Larson parecia ter a corrida na mão depois de optar por um pit extra – com pneus novos, o #42 desbancou Logano. Essa vantagem foi anulada por uma bandeira amarela. As últimas cinco voltas do piloto da Ganassi foram marcadas pela missão de segurar Logano. Por diferença mínima, Kyle levou a vitória.
 
Falando em Kyle, Busch teve uma prova estranha na Xfinity. Ao invés de dominar, o #18 teve altos e baixos. O veterano chegou a ser favorito ao triunfo, mas uma queda súbita de rendimento nas últimas voltas o relegou ao terceiro lugar. Erik Jones e William Byron fecharam o top-5.
Kyle Larson venceu a boa corrida de Fontana (Foto: Nascar Media)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Saiba como foi a etapa de Fontana da Xfinity

 
Primeiro segmento
 
A largada para a etapa de Fontana da Nascar foi dada exatamente às 17h20 (de Brasília). O céu estava azul e a chuva não era uma ameaça. Joey Logano, pole, teve uma largada tranquila e sustentou a primeira posição na largada.
 
Atrás, Daniel Hemric fazia um bom trabalho. O estreante da Xfinity estava consolidado em segundo depois de uma boa classificação. Cole Custer, terceiro, também fazia um bom trabalho. Paul Menard e Erik Jones completavam o top-5 nas primeiras voltas.
 
Mais atrás, os pilotos da divisão principal da Nascar ganhavam terreno. Kyle Larson fazia ultrapassagens com precisão e subia para sexto na volta seis. O mesmo vale para Kyle Busch, oitavo.
 
As voltas passavam e estes eram justamente os pilotos que mais agitavam. Menard, que chegou a pintar em terceiro, desabou para sétimo em poucas voltas. Melhor para Kyle Busch e Erik Jones que, juntos, subiram para quarto e quinto. Não demorou muito e, na volta 20, a dupla superou Hemric e Custer para assumir segundo e terceiro lugares.
 
Na volta 28, faltando sete para o fim do primeiro segmento, a bandeira amarela foi acionada. Era um momento importante da corrida: ninguém sabia ao certo quais seriam as estratégias das equipes de ponta.
Joey Logano em Fontana (Foto: Reprodução/Twitter)
No fim das contas, quase todo mundo decidiu trocar pneus. Menos um: JJ Yeley resolveram apostar na borracha velha. Logano excedeu o limite de velocidade nos boxes, recebeu um drive-through e caiu para 35º.
 
Em apenas uma volta de bandeira verde, a ação foi grande. Kyle Busch despachou Yeley com facilidade, mas foi atacado por Elliott Sadler, agora segundo. O #18 se segurou e venceu o primeiro segmento.
 
Segundo segmento
 
A relargada do segundo segmento parecia feita sob medida para Elliott Sadler, que teve uma chance clara de ultrapassar Busch. Mas a situação fugiu do controle: Larson, então terceiro, veio pela parte mais baixa da pista para passar os dois e virar líder.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Kyle Busch sustentou o segundo lugar na sequência, enquanto Ty Dillon pintou em terceiro. Sadler caiu para quarto, enquanto Erik Jones surgiu em quinto. Logano, em recuperação, era décimo.

 
Mas não demorou muito para Busch dar o troco. O #18 voltou e arquitetou uma ultrapassagem em meras dez voltas de bandeira verde. Logano, fazendo excelente prova de recuperação, passou Larson depois de mais dez giros. Erik Jones e Ty Dillon eram os últimos pilotos do top-5.
Ao contrário do que poderia se imaginar, Logano não conseguiu se aproximar de Busch nas últimas 15 voltas do segundo segmento. Pelo contrário: o #22 voltou a ser ultrapassado por Larson antes de se libertar em definitivo. Essa hesitação custou aproximadamente 2s, suficiente para deixar Kyle Busch com a vida mansa até o final deste trecho da prova.
 
Sem surpresas, Kyle Busch venceu o segundo segmento. Logano, Jones, Larson e Sadler fecharam o top-5.
Kyle Busch em Fontana (Foto: Reprodução/Twitter)
Terceiro segmento
 
Todos foram aos boxes para aproveitar a bandeira amarela que acompanha o final do segmento. Kyle Busch sustentou a liderança e, além disso, viu alguns concorrentes sendo punidos: Larson, por excesso de velocidade, e Menard, por excesso de mecânicos nos boxes, teriam de relargar do fim da volta do líder.
 
Mesmo assim, Busch teve vida difícil na relargada. Logano mandou bem na relargada e, por dentro, tomou a liderança. Logo atrás, o novato William Byron conseguia um belo terceiro lugar.
 
A bandeira amarela voltou a ser acionada na volta 81, faltando 69 para o fim. Ross Chastain havia furado um pneu, consequência da intensa disputa que se formava no meio do pelotão. O carro #4 ficou lento e soltou borracha na pista.
 
A relargada veio em seguida. Byron chegou muito perto de passar os dois primeiros e assumir a liderança, mas não teve velocidade para consolidar a liderança. Nesse enrosco, Busch recuperou a ponta, com Logano em segundo. William voltou ao terceiro lugar.
 
Disparando na liderança, Busch e Logano travavam uma bela disputa. O #18 chegou a tomar a liderança momentaneamente, mas levou o troco. Os dois estavam muito próximo quando mais uma bandeira amarela foi acionada. Faltando 56 voltas para o fim, Menard levou um totó de Erik Jones e bateu com certa força no muro externo da pista.
 
Nos boxes, drama para o líder Logano. O macaco utilizado para trocar pneus falhou, o que resultou em uma perda de tempo monumental. O #22 ia relargar em 26º, último na volta do líder.
Alguns pilotos aproveitaram a longa bandeira amarela para fazer mais um pit e encher o tanque de combustível. Era uma carta na manga interessante caso a corrida não tivesse mais bandeiras amarelas.
 
Byron voltou a brigar pela liderança na relargada. O #9 até tomou a liderança, mas não por muito tempo – menos de uma volta depois, Larson veio por dentro e o ultrapassou com certa facilidade.
 
Mas a bandeira amarela voltou a ser necessária. Custer, que vinha fazendo uma prova sólida, foi tocado por trás e bateu com força no muro. O #00 teve até um princípio de incêndio. O piloto escapou ileso, mas seu dia estava acabado.
 
Desta vez, o líder Larson foi aos boxes. Busch, por sua vez, seguiu na pista e herdou a ponta. Na verdade, 14 pilotos seguiram na pista – Allgaier passou a ser o segundo e Logano o terceiro.
Paul Menard bateu em Fontana (Foto: Reprodução/TV)
Ao contrário do que aconteceu antes, Busch teve uma relargada tranquila e seguiu em primeiro, agora com Logano em segundo e na ofensiva. Allgaier, Hemric e Brandon Jones fechavam o top-5. Larson, com pneus novos, era sexto.
 
Restando 30 voltas para o fim, Logano estava lado a lado com Busch. A ultrapassagem era questão de tempo. Depois de uma bela disputa, o #22 virou líder e começou a abrir. Larson já pintava em terceiro, mas 2s atrás de Joey.
 
A corrida se aproximava do fim e coisas estranhas aconteciam com Kyle Busch. O #18 subitamente perdeu velocidade, caiu para terceiro e perdeu qualquer contato com Logano e Larson.
 
Os pneus novos de Larson eram um ótimo coringa. Mesmo 0s8 atrás, o #42 se aproximou rapidamente. O problema é que estava difícil passar Logano: quando chegava perto, o piloto da Ganassi cometia um erro ou outro e não conseguia virar líder.
 
Com 10 voltas para o fim, Larson pintou em primeiro. E não adiantou muito: a bandeira amarela pintou na mesma hora, consequência de um acidente de Brandon Jones.

Nos boxes, Larson recebeu seu prêmio de consolação: o #42 trocou quatro pneus e voltou em primeiro. Conduzindo a relargada, o jovem piloto ia ter a chance de segurar Logano e Kyle Busch nas últimas quatro voltas. E o fez com sucesso: apesar das ameaças de Joey, Larson levou a vitória.
 

A PRÉVIA DE ABERTURA DAS TEMPORADAS DE F1 E MOTOGP: TUDO AQUI 

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube