Mesmo com pit-stops ruins, Logano recupera posições e vence etapa de Phoenix da Xfinity Series

Mesmo com Matt Kenseth e Kevin Harvick sempre por perto, Joey Logano soube usar a cabeça para fazer uma corrida constante e com a dose certa de agressividade. Ty Dillon termina em sexto e segue líder do campeonato

Joey Logano liderou a maioria das voltas, mas seria injusto dizer que teve vida fácil na quarta etapa da Xfinity Series, disputada nessa sábado (14) em Phoenix. Sempre ameaçado por adversários da Sprint Cup – Matt Kenseth e Kevin Harvick, principalmente – o vencedor precisou usar a cabeça após pit-stops ruins, que lhe roubaram posições. Dono do melhor ritmo, precisou dosar o ímpeto e não cometer erros para cruzar a linha de chegada com uma vantagem mínima sobre o segundo colocado.
 
A corrida não teve muitos incidentes, mas um deles poderia mudar a classificação do campeonato. Enquanto disputavam posições, Ty Dillon e Chase Elliott se tocaram. O líder do campeonato conseguiu controlar o carro, enquanto seu rival rodava e via sua corrida sendo comprometida. 
 
Apesar do incidente, Ty conseguiu terminar a etapa em sexto lugar, suficiente para manter Chris Buescher, 14º, atrás na classificação do campeonato.
 
A próxima etapa da Xfinity será disputada no próximo sábado, no Auto Club Speedway.
Joey Logano venceu a etapa da Xfinity em Phoenix (Foto: Getty Images)
Saiba como foi a etapa da Xfinity Series em Phoenix
 
O clima em Phoenix era um pouco mais ameno do que durante a classificação da Sprint Cup, nessa sexta. Com 29º e 15% de umidade, carros e pilotos estariam em condições melhores para trabalhar.
 
Na largada, Joey Logano manteve a ponta. Mas com um veloz Kevin Harvick atrás, não haveria vida fácil para o líder. Em terceiro, Matt Kenseth, com Erik Jones e Chase Elliott atrás.
 
Harvick chegou a impor um bom ritmo nas primeiras voltas, mas logo começou a ficar um pouco para trás. Logano conseguia abrir uma vantagem razoável, suficiente para respirar.
Logo, Kenseth se aproveitou da estagnação de Harvick para assumir a segunda posição. Quando a manobra foi executada, porém, a vantagem de Logano já passava dos 2s. Era a hora de Matt tentar caçar Joey, antes que a distância saísse de seu controle. E assim o fez: pouco a pouco, não demorou muito para a diferença cair para menos de 1s.
 
Mais atrás, Austin Dillon vinha ultrapassando seus adversários com naturalidade. Tendo passado os primeiros instantes da prova em sexto, logo passou Jones e Elliott para ser o quarto. Quando alcançou Harvick, a dupla começou a disputar posições com ímpeto.
 
Após alguma resistência de Harvick, Dillon concluiu mais uma ultrapassagem, assumindo o terceiro posto. A situação de Kevin ficava pior, conforme o quinto, Elliott, se aproximava.
 
Na volta 50, a primeira bandeira amarela – havia detritos na curva 3. Todos os pilotos aproveitaram para ir aos boxes pela primeira vez.
 
Foi aí que a liderança trocou pela primeira vez. Após pit ruim, Logano caiu para terceiro lugar – Kenseth e Jones ganharam as posições. Mas Joey não perdeu seu ritmo superior: pouco após a largada, retomou o segundo posto, apenas com Matt à frente.
 
E não parou aí. Conforme Kenseth e Logano se distanciavam dos outros, ficava claro que Logano – mais rápido – tentaria um movimento, mais cedo ou mais tarde. Sem enfrentar muita resistência de Matt, era a vez de Joey voltar ao posto que perdera nos boxes: o primeiro.
 
Na volta 69, os cinco primeiros eram Logano, Kenseth, Jones, Harvick e Ty Dillon. Algumas voltam depois, Austin Dillon ultrapassaria seu irmão para entrar no top five.
 
Na volta 94, a segunda amarela da tarde. Landon Cassill acertou o muro, acabando com sua corrida e seu Chevrolet. Era a deixa para os pilotos fazerem seu segundo pit-stop.
 
Quando as posições se reestabeleceram, uma grande surpresa. Austin Dillon tinha saltado da quinta para a primeira posição, com Logano atrás. Fechando os cinco primeiros, Regan Smith, Brian Scott e Kenseth.
 
Quando a bandeira verde foi agitada, outra mudança. Austin Dillon não fez a melhor de suas largadas e caiu para segundo, segurando os mais de quarenta carros que vinham atrás. Na confusão, Kenseth aproveitou para assumir o quarto lugar.
 
Austin Dillon não parou de perder posições, caindo para quarto na sequência. Mesmo com um bom pit, ficava claro que seu ritmo não era espetacular. A ordem passou a ser Logano, Smith, Kenseth, Dillon e Scott.
 
Na volta 123, a terceira paralisação da tarde. Peyton Sellers encontrou um dos muros de Phoenix e ficou pelo caminho. Seguindo o ritmo das outras vezes, os pilotos rumaram para o terceiro pit da corrida. Como alguns decidiram não parar, uma variável nas estratégias foi criada. 
 
O novo líder, por exemplo, era Brennan Poole, com Kenseth em segundo e Smith em terceiro. Ex-líder, Logano vinha em quarto após outro pit-stop devagar. Desses, apenas o ponteiro não tinha passado pelos boxes.
 
Na volta 133, os pneus novos de Kenseth superaram Poole com certa facilidade. Brennan, aliás, que não tardou a cair para quarto.
 
As mudanças na ponta não paravam. Logano voltou com tudo para reaver o que perdera e precisou de pouquíssimo tempo para passar os adversários e tomar a ponta de Kenseth. A sorte de Joey foi fazer a manobra antes da quarta bandeira amarela da tarde, que não tardou.
 
O incidente que provocou a paralisação ocorreu entre Elliott e Ty Dillon, comprometendo a corrida de Chase. O líder do campeonato teve sorte de não sair da corrida também, colocando em risco sua posição na disputa pelo título.
 
Os cinco primeiros passaram a ser Logano, Harvick, Kenseth, Scott e Jones.
 
Harvick, que voltou aos cinco primeiros, passou a oscilar entre segundo e quarto, trocando posições com Kenseth e Scott. Eventualmente, Kevin se acomodou em terceiro. Atrás, Scott e Austin Dillon.
 
Não muito depois, Scott perdeu duas posições, para Austin Dillon e Jones. A partir daí, as posições pouco se alteravam.
 
Faltando dez voltas para o fim, as tensões do final da prova chegaram para ficar. Scott seguia perdendo posições e não parecia dar pinta de que reagiria, chegando ao décimo lugar.
 
Na frente, Logano e Kenseth estavam próximos, mas Matt não parecia ter ritmo o suficiente para fazer o movimento decisivo – o da vitória. Em terceiro, Harvick segurava Austin Dillon de todas as maneiras possíveis. 
 
Todavia, as posições não mudaram mais. Os cinco primeiros a cruzar a linha de chegada foram Logano, Kenseth, Harvick, Austin Dillon e Jones.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube