Nascar acerta ao banir bandeira confederada, mas entender contexto por trás é crucial

A Nascar finalmente baniu a bandeira confederada, símbolo racista americano, de seus eventos, mas é importante entender também interesses e o contexto que envolvem isso, como apontaram os jornalistas do Paddock GP

O clamor de Bubba Wallace foi atendido. Único piloto negro da Nascar, o americano pediu que a categoria banisse a bandeira confederada de seus eventos e, finalmente, aconteceu. No Paddock GP #201, Pedro Henrique Marum lembrou episódios da categoria que envolveram o símbolo racista e falou do contexto da proibição.

Assista ao trecho completo abaixo:

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube