Pole mais jovem da história da Daytona 500, Elliott exalta mecânicos e minimiza pilotagem: “Não fiz nada especial”

Chase Elliott conseguiu uma pole na Nascar já em sua primeira Daytona 500, mas não pensa que o papel do piloto tenha sido tão crucial. O novo #24 destacou o trabalho dos mecânicos, vendo-os como responsáveis pelo resultado

Chase Elliott, substituto de Jeff Gordon no #24, começou sua primeira temporada completa na Nascar quebrando recordes. Agora, o piloto da Hendrick Motorsports é o mais jovem pole-position da história da Daytona 500. O feito foi alcançado neste domingo (15), quando Elliott foi o mais rápido dentre os 44 candidatos no oval da Flórida.
 
Elliott, todavia, parecia mais impressionado com o trabalho de sua equipe de mecânicos do que com sua própria pilotagem. Chase exaltou que a pole é resultado do duro trabalho nas férias da Nascar.
 
“É um dia tão especial, um ótimo jeito de começar 2016. A classificação para a Daytona 500 é uma oportunidade para as equipes realmente mostraram o que fizeram nas férias. O tipo de trabalho, a quantidade de horas, o tratamento dado a esses carros para encontrar centésimos extras que são tão cruciais”, comemorou.
Chase Elliott, pole para a Daytona 500 (Foto: Nascar)
Em uma sessão que exige muito mais do carro do que das habilidades do piloto, Chase chegou ao ponto de se colocar como figurante em sua própria pole-position.
 
“Não sinto que isso tenha a ver comigo. Não fiz nada especial para conseguir. Tem a ver com esses caras, o tipo de carro que eles trouxeram para a pista. Isso é o principal. Estou apenas animado por fazer parte da equipe”, seguiu.
 
2016 será o segundo ano seguido com um #24 largando na pole em Daytona. Jeff Gordon, que mostrou um ótimo ritmo em superspeedways ao longo de 2015, conquistou a posição de honra para sua última Daytona 500. Um ano depois, Chase exaltou o papel de Jeff e de Alan Gustafson, chefe de mecânicos, na formação da equipe.
 
“Ele sabe do calibre das pessoas e do tipo de grupo que o #24 tem ao longo dos anos. Alan Gustafson teve um papel importante nisso. Ele cumpriu um papel tão bom em me apresentar a este papel, isso é muito importante. Tenho seu suporte desde que entrei por esta porta em dezembro e testei em Homestead com a equipe. O grupo inteiro me recebeu de braços abertos, fazendo com que eu me sentisse em casa”, finalizou.
 
A Daytona 500, todavia, só será realizada no próximo domingo (21). Antes serão realizados os Duels, corridas classificatórias responsáveis por definir a maioria das posições do grid. Apenas Elliott e Matt Kenseth, segundo, sabem de seus postos definitivos.
VEJA A EDIÇÃO #15 DO PADDOCK GP, COM LUCAS DI GRASSI

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;

google_ad_slot = “8352893793”;

google_ad_width = 300;

google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;

document.MAX_ct0 = '';

var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');

var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);

document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube