Com Naoki Yamamoto, Button sustenta pódio em Motegi e leva título do Super GT no ano de estreia

Jenson Button, formando dupla com Naoki Yamamoto, precisava segurar Ryo Hirakawa a qualquer custo. Uma perda de posição significaria perda do título. Deu tudo certo: ao terminar em terceiro, o ex-F1 levou o título do Super GT

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

A primeira temporada completa de Jenson Button no automobilismo após a aposentadoria na Fórmula 1 já rendeu título. No Super GT japonês, competindo ao lado de Naoki Yamamoto, Button conseguiu neste domingo (11) em Motegi o resultado que precisava para se sagrar campeão ao fim da disputa com Ryo Hirakawa e Nick Cassidy.
 
A briga que definiu o título foi pelo terceiro lugar. Enquanto as duplas Tomoki Nojiri/Takuya Izawa e Yuji Tachikawa/Hiroaki Ishiura disparavam respectivamente em primeiro e segundo, a missão de Button e Yamamoto era segurar o terceiro lugar. O campeão da F1 estava ao volante nas últimas voltas e impediu a passagem de Hirakawa. Como as duplas chegaram a Motegi empatadas em pontos, quem terminasse na frente seria automaticamente campeão.
Jenson Button e Naoki Yamamoto são campeões do Super GT (Foto: Reprodução/TV)

“Essa foi uma corrida dura. Elas nunca são fáceis e é isso que as torna especiais. O campeonato é um dos mais duros do mundo, e isso vem de alguém que correu na F1 por tantos anos. Me sinto como uma visita aqui porque esses caras estão na briga há muito tempo. Não poderia estar mais feliz, foi uma longa espera para mim. Último campeonato que venci foi nove anos atrás. Aquele [F1] foi grande, mas para mim esse parece ser tão grande quanto. É muito importante”

 
Button fecha a temporada 2018 do Super GT com apenas uma vitória – curiosamente as oito etapas do campeonato tiveram oito vencedores diferentes. Mesmo que Jenson não tenha tanta experiência no turismo, a regularidade vista na F1 se repetiu: ao lado de Yamamoto, somente uma das oito corridas teve resultado fora do top-10.
 

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube