Diretor-médico do GP do Brasil, Altmann assume presidência da comissão médica da FIA

Dino Altmann, responsável pela equipe médica no GP do Brasil desde 2001, virou a maior autoridade médica da FIA. O brasileiro assume cargo já ocupado por Sid Watkins no passado

O novo presidente da comissão médica da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) é brasileiro. Dino Altmann, com carreira de destaque como diretor-médico do GP do Brasil desde 2001, chamou atenção da entidade internacional e começa sua gestão já em janeiro.

Altmann substitui Gérard Saillant. Este, por sua vez, substituiu o icônico Sid Watkins, morto em 2012 após gestão que revolucionou a segurança na Fórmula 1.

“Foi uma honra. Antes de mim, os médicos que ocuparam esse cargo foram o Gérard Saillant e Sid Watkins, duas grandes referências”, disse Altman sobre o novo cargo.

“A presidência da Comissão Médica não impedirá que eu permaneça como diretor-médico da prova de Interlagos quando estarei completando 20 anos nesse cargo. Tenho um grande carinho por esta função”, seguiu.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A jornada de Altmann no automobilismo começou em 1990, escalando de função em função. Depois de um GP do Brasil de Fórmula 1 apenas dentro da ambulância e de outro na equipe de extração médica, 1992 trouxe a promoção para o centro médico de Interlagos. O primeiro cargo de gerência veio em 2001, como diretor-médico do GP do Brasil, posto ocupado até hoje.

Em 2020, uma das grandes tarefas de Altmann foi o combate à Covid-19. O médico passou a integrar subcomissão para determinar protocolos e medidas da FIA para evitar a doença. Deu certo, com todos os certames chancelados pela entidade internacional sendo encerrados com sucesso.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube