Organização da Corrida dos Campeões cancela evento por conta dos conflitos políticos na Tailândia

A organização da Corrida dos Campeões foi obrigada a cancelar o evento deste ano, que aconteceria neste mês, por conta dos protestos violentos em Bangcoc. Os manifestantes pedem a renúncia da primeira-ministra Yingluck Shinawatra

Os organizadores da Corrida dos Campeões foram obrigados a cancelar o evento que aconteceria nos dias 14 e 15 de dezembro, em Bangcoc, devido aos conflitos políticos que a Tailândia atravessa no momento.

A Autoridade do Esporte do país asiático e os responsáveis pela prova afirmaram que a situação não permite a realização das corridas. Em comunicado, os promotores da Corrida dos Campeões disseram ainda que "estão estudando opções de repetir o sucesso do evento do ano passado em outra data".

Tailândia vive período de conflitos contra o governo (Foto: Getty Images)

"Nossos pensamos estão com o povo tailandês durante esse período difícil. Desejamos apenas que uma solução pacifica seja encontrada logo", disse a nota da organização.

Três pessoas já morreram em protestos recentes contra o governo tailandês e mais de 100 ficaram feridas nos confrontos contra a polícia. No último fim de semana, ativistas tentaram invadir edifícios oficiais, pedindo a renúncia da primeira-ministra Yingluck Shinawatra. É a pior onda de violência registrada na Tailândia desde as manifestações em 2010, quando o exército foi chamado para conter os protestos contra o governo, o que resultou em centenas de mortes.

O heptacampeão Michael Schumacher, a lenda de Le Mans, Tom Kristensen, e o atual campeão do Mundial de Rali, Sébastien Ogier, estavam entre os nomes que disputariam a Corrida dos Campeões neste ano.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube