Rali

Campeões sofrem problemas, Loeb aproveita e vence segunda etapa do Dakar. De Villiers vira líder

O longo trecho cronometrado de 342 km entre Pisco e San Juan de Marcona, no Peru, exigiu muito, sobretudo da navegação. Stéphane Peterhansel despontou como grande candidato à vitória, mas enfrentou problemas e perdeu 20 minutos. Nasser Al-Attiyah e Carlos Sainz também tiveram suas dificuldades. Melhor para Sébastien Loeb, que fechou a segunda etapa na frente. E Giniel de Villiers é o novo líder no geral
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Giniel de Villiers (Foto: Red Bull Content Pool)
2ª etapa – Pisco – San Juan de Marcona 
Trecho de especial: 342 km
Deslocamentos: 212 km
Trecho total: 554 km
 
 
Maior nome do rali de velocidade em todos os tempos, Sébastien Loeb faz em 2019 sua quarta participação no Rali Dakar. E depois de uma primeira especial cautelosa na última segunda-feira, o francês de 44 anos, que corre ao lado do inseparável navegador Daniel Elena, teve um dia de rei e venceu a desafiadora etapa entre Pisco e San Juan de Marcona, no Peru, com trecho cronometrado de 342 km no fim da manhã desta terça-feira. A dupla da PH Sport completou o percurso em 3h26min53s.
 
O percurso, marcado por ser muito exigente em termos de navegação, trouxe dificuldades aos campeões Nasser Al-Attiyah e Carlos Sainz, primeiro e segundo na primeira especial. Stéphane Peterhansel, que tinha tudo para ser o grande vencedor da etapa desta terça-feira, enfrentou problemas mecânicos no seu Mini John Cooper Works Buggy e perdeu 20 minutos. O ‘Monsieur Dakar’, que corre ao lado do navegador David Castera, viu suas chances de triunfar irem pelos ares. No waypoint 8, o dono de 13 títulos do Dakar passou apenas em 20º lugar.
Sébastien Loeb e Daniel Elena venceram a segunda especial nos carros (Foto: Red Bull Content Pool)
Aí Loeb assumiu a liderança com o Peugeot 3008 DKR de equipe privada, a PH Sport. Mas sua vitória não foi fácil porque Nani Roma, que acelera o Mini All4Racing, cresceu muito ao longo da prova e tirou bastante diferença para o francês. No fim das contas, o bicampeão do Dakar, que corre ao lado do navegador Alex Haro Bravo, fechou em segundo, apenas 0s008 atrás do francês.
 
Em seguida, ficaram dois pilotos da Toyota. O holandês Bernhard Ten Brinke, que foi um dos grandes destaques da edição do ano passado, finalizou em terceiro ao lado do navegador francês Xavier Panseri, 1min20s atrás de Loeb, enquanto Giniel de Villiers, campeão em 2009 pela Volkswagen, foi o quarto colocado, tendo ao seu lado o copiloto alemão Dirk Von Zitzewitz. 
 
No top-5 ficou outro piloto da Mini X-Raid, o saudita Yazeed Al-Rajhi, que corre ao lado do experiente navegador Timo Gottschalk. Só então, em sexto, que apareceu u primeiro buggy do ‘time dos sonhos’ da Mini, com Cyril Despres, que foi o décimo colocado na primeira especial. Despres tem como seu navegador no Dakar 2019 o multicampeão Jean-Paul Cottret, icônico parceiro de Peterhansel.
 
Harry Hunt, companheiro de equipe de Loeb e Elena na PH Sport, levou o outro Peugeot 3008 DKR Maxi ao top-10 em sétimo lugar, tendo ao seu lado o navegador holandês Wouter Rosegaar. Só então, em oitavo, terminou o atual campeão do Dakar, Carlos Sainz, que levou seu Buggy #300 da Mini X-Raid, tendo Lucas Cruz como navegador, com tempo 4min40s atrás de Loeb. 
Stéphane Peterhansel e David Castera tiveram problemas com o Mini Buggy nesta especial (Foto: Dakar/Twitter)
O peruano e dono da casa, Nicholas Fuchs, que tem ao seu lado o argentino Fernando Mussano, foi o nono, enquanto a tripulação russa formada pelo piloto Vladimir Vasilyev e o navegador Konstantin Zhiltsov, fecharam em décimo. E Nasser Al-Attiyah, de vencedor da primeira especial, ficou apenas em 11º na etapa desta terça-feira, com déficit de 7min37s para o tempo de Loeb.

Uma das baixas nesta terça-feira foi a do argentino Orlando Terranova, um dos pilotos da Mini. O experiente piloto, que terminou em 12º na especial de segunda-feira, abandonou a disputa.
 
Com duas especiais já disputadas, De Villiers assumiu a ponta e lidera a dobradinha da Toyota na classificação geral. O sul-africano está 28s à frente de Ten Brinke, enquanto Nani Roma agora surge em terceiro, 42s atrás do líder. Yazeed Al Rahji subiu para quarto e também está bem perto do líder, somente 50s atrás, e Loeb pulou de 13º para a quinta posição, com 1min56s de defasagem para De Villiers.
 
Sainz aparece em sexto, 2min28s atrás do líder no geral, enquanto Harry Hunt vem em sétimo lugar. Al-Attiyah, Despres e Vasilyev completam a lista dos dez primeiros colocados na classificação geral.
Eduard Nikolaev (Foto: Red Bull Content Pool)
Deu ele de novo
 
Eduard Nikolaev, atual bicampeão e dono de quatro títulos do Rali Dakar entre os caminhões, começou a 41ª edição com tudo. O russo que defende as cores da Kamaz conseguiu vencer também a segunda especial, entre as cidades peruanas de Pisco e San Juan de Marcona. Ele também havia vencido a abertura, que saíra da capital Lima. 
 
Nikolaev completou o trecho em 3h47min51s, 2min39s a mais que o segundo colocado, o holandês Gerard de Rooy, dono de outros dois títulos. Juntos, os dois ganharam cinco das últimas sete edições dos caminhões no Dakar. 
 
A terceira colocação ficou com Dimitry Sotnikov, outro membro da Kamaz, que terminou 5min28s atrás. Federico Villagra, Ton van Genugten e Martin Macik vieram nas seis primeiras colocações. Os também campeões de edições passadas Andrey Karginov e Martin Kolomy, respectivamente na sétima e nona posições, com Maurik van den Heuvel entre eles. Airat Mardeev fechou o top-10.
 
Nikolaev lidera a classificação geral com um tempo total de 5h01min19s e 4min23s de frente para De Rooy. Villagra é o terceiro, com desvantagem de 7min23s. Sotnikov, em quarto, ainda consegue se manter dentro de uma distância de dez minutos - está 9min01s atrás.
 
A terceira etapa do Dakar 2019 obriga os pilotos a saírem de Marcona a caminho de Arequipa, cidade 2.300 m acima do nível do mar.